ALGUNS TENTARAM DIVULGAR A VERDADE E FORAM SILENCIADOS.NÓS CHEGAMOS DISPOSTOS A DENUNCIAR, SEM MEDO,O NEPOTISMO,O TRÁFICO DE INFLUÊNCIAS, O MERCENARISMO E O TERRORISMO CORRUPTO QUE A COMUNICAÇÃO SOCIAL, EM ESPECIAL A DESPORTIVA, NÃO TEM A CORAGEM DE ASSUMIR.

DIVULGA www.pulpuscorruptus.blogspot.com EM PROL DA VERDADE E COMBATE À CORRUPÇÃO!

E-Mail: pulpuscorruptus69@gmail.com

segunda-feira, 24 de outubro de 2011

(A Vergonha Sem Vergonha) A MÁFIA DA PALERMO PORTUGUESA (29)

Corrupção Nepotista (2)

* Porto-Leiria 2010/11

Mais uma jornada mal cheirosa, vinda de um Leiria sem vergonha, através de um treinador submisso e invertebrado, sem estatuto moral para treinar o "mija na escada"! Toda a imprensa submissa sem vergonha, aplaudiu um jogo em que a equipa mais fraca faz a primeira falta quando já perde 3-0!

A vergonha começara antes do jogo
Os jornais online anunciavam a lista dos convocados manifestando estranheza por tantas ausências por opção técnica; Silas (6 jogos em 7 possíveis), Paulo Vinícius (7 jogos), Hugo Gomes (4 jogos) e Diego Gaúcho (1 jogo).
"A Bola" dizia, «Surpresa nos convocados de Pedro Caixinha para o jogo desta segunda-feira, no Dragão, com a exclusão de Silas, um dos jogadores mais utilizados do plantel e que ainda não tinha falhado qualquer convocatória esta época. A decisão ficou a dever-se a mera opção técnica, razão pela qual também Paulo Vinícius, outros dos habituais «cativos», e Diego Gaúcho também não constam na relação de eleitos. Em compensação, o técnico leiriense chamou dois avançados há muito sem competir:Rodrigo Silva não figurava numa ficha de jogo desde a segunda jornada, e Zahoivaiko, também deixou de ser opção desde que foi titular em Olhão, na terceira ronda, há dois meses. Mamadou Tall, também de fora há algum tempo, completa a lista de regressos”.

Que terá levado o tal Pedro "submisso invertebrado" Caixinha, a não convocar dois titulares absolutos da sua equipa por opção técnica, nem para o banco de suplentes?
O avençado Hugo Sousa no jornal "oJogo" diz; “Foi fácil, fácil. Para quê complicar se a vitória portista se resume assim, de uma forma tão simples?” Mais à frente diz,  “Caixinha corrigiu ao intervalo. Melhor: corrigiu-se. Apostou no trinco clássico que tinha deixado no banco!”
Então a jogar em casa dos corruptos joga-se sem trinco, sem preocupações defensivas? Mas aquilo foi um jogo entre amigos, ou um jogo treino? Mais às claras não podia ser!
Voltamos aos velhos tempos em que o Salgueiros nos jogos em casa (Maia) aos 25 minutos já tinha empacotado 3 golos, sem fazer qualquer falta?
Diz o treinador submisso sem espinha, não fazendo "caixinha" ;
"Não pensámos que pudesse ser tão fácil para o adversário".
Não? Então não convocas os melhores jogadores, jogas sem trinco, mandas a malta correr pouco, sem fazer faltas e ainda te espantas?
Sem perder a oportunidade dobrou-se mais um pouco, dando os parabéns e reconhecendo no
adversário "uma equipa fantástica", aproveitando para avisar: Pedro Caixinha pensa "em retomar a dinâmica de vitória já no próximo jogo". "Vamos esquecer este resultado, começar a pensar já no Sporting e em levantar a cabeça para podermos seguir em frente"
U.Leiria sem espinha dorsal ou dignidade, juntando-se a sporting, braga, olhanense, portimonense, académica ou nacional da madeira!

* Pedro Emanuel depois do jogo Académica-Porto (0-3)
"Assumi uma estratégia que tínhamos delineado ao longo da semana. Os jogadores fizeram exactamente aquilo que lhes pedi.

Os jogadores trabalharam bastante.
Sabíamos que não iria ser um jogo fácil, especialmente porque o campeão nacional vinha de uma série menos positiva e que queria restabelecer a normalidade do seu futebol. E o FC Porto foi de facto superior.


Tenho orgulho naquilo que faço e no que sou, mas claro que não posso esquecer o meu passado."

(E não é que não esqueceu mesmo? Estratégias iguais! Repararam no discurso paracticamente igual, entre um caso e outro?)

* O Norte com mais equipas
Diz-me um amigo ex-capitão de uma equipa da primeira divisão dos anos 90, contra o Porto somos obrigados a perder para não descer de divisão! Cada vez são mais as equipas do norte na primeira divisao...e todas elas tem que ceder pontos ao patronato! Não se chateiem muito com o futebol porque isto é tudo mais do que planeado! Por algum motivo os estádios entre 1982 e a data de hoje foram-se esvaziando de interesse...nada acontece por acaso! Enquanto a era dos pintos (pinto de sousa, pinto da costa, lourenço pinto) não terminar o futebol português não tem qualquer tipo de interesse! Questionem-se sobre o silêncio do presidente da liga durante uma época em que tanta polémica ouve...”

*Testemunho de Octávio Machado
Muitas vezes sportinguistas e benfiquistas questionam-se do porquê que diversos clubes quando jogam contra o FCP parecem ser fracos e cansados e nos jgs contra os grandes de Lisboa até comem a relva.
Octávio Machado deu a dica e viu como as coisas funcionam nesse clube…
 P.: Ficou surpreendido com a evolução do Apito Dourado?
OM: Eu, que ando há 40 anos no futebol? Fui a primeira pessoa a falar no sistema, 10 anos antes do Dias da Cunha. Pensa que alguma vez me vou esquecer de um Gil Vicente-Porto na época do Carlos Alberto Silva? Esse determinava a descida do Gil treinado por António Oliveira, caso perdesse contra o Porto na altura já campeão nacional.
 P.: Sofreu pressões para facilitar a vida ao Gil?
OM: Num telefonema chegaram a dizer-me que eu era a única pessoa do FCPorto que desejava a vitória da equipa frente ao Gil Vicente.
 P.: Quem lhe telefonou?
OM. Um amigo. Bem vi aqueles que foram ao balneário do Gil festejar a vitória da equipa. Perdemos por 1-0 mas não perdemos a dignidade e disse isso mesmo aos jogadores no fim do jogo.
Há muitas maneiras de fazer pressão. Num jogo com a Académica em que se discutia a descida da Académica, no tempo do Ivic, também passei por momentos difíceis. Acabámos por ganhar com golo do Raudnei, infelizmente para alguns, porque não era suposto o FCPorto ter ganho esse jogo. O treinador da Académica era o António Oliveira. Exactamente, fui pressionado 2 vezes contra equipas treinadas pelo António Oliveira.

Comparem agora o que confidenciou o Octávio Machado sobre a viciação de resultados, com o que diz o livro “Máfia no Futebol”, de Declan Hill, que escreve sobre a corrupção e a viciação de resultados no futebol a nível mundial.
 Na sua autobiografia, “Na Lama com o Deus do Futebol”, o avançado italiano Carlo Petrini descreveu o problema que ele e os seus colegas do Bolonha tiveram quando arranjaram um jogo contra a Juventus na Série A. O plano era que o jogo acabasse empatado.
O problema foi que aos 55 min de jogo um jogador da Juventus marcou um golo ao Bolonha! Tinha nevado e o guarda-redes do Bolonha largou a bola. Um a zero para a Juventus. A equipa do Bolonha estava furiosa!
Segundo Petrini, quase começou uma luta dentro do campo. Contudo, um médio da Juventus acalmou as coisas e disse: “Não se preocupam, rapazes, marcamos o empate”. Dez minutos depois houve um canto contra a Juventus e um jogador desta equipa elevou-se no ar, com perfeita impulsão, e cabeceou a bola para a sua própria baliza!. O jogo acabou 1-1 e saíram todos satisfeitos, excepto os adeptos que furiosos massacraram os jogadores com bolas de neve”.
(Viram as igualdades e as diferenças? Trata-se de corrupção, de falsificação da classificação e de combinação de resultados que devia ser fortemente castigada).

* Testemunho
Viciação de resultados
"Em relação aos casos que relatou, concordo plenamente que são estranhos. Já lhe apresentaram casos muito recentes que envolveram Leandro Lima, Bruno Gama, Hélton, mas você tem o azar de falar com uma pessoa que nasceu na década de 70 e que é familiar por afinidade de um defesa-central chamado Teixeirinha que foi emprestado a clubes como oSetúbal, Guimarães e Marítimo onde em jogos contra o FCP tinha sempre o «azar» de provocar grandes penalidades ou de marcar autogolos.
Posso também falar-lhe de um malogrado caboverdiano chamado Mariano, defesa central do Salgueiros que, já com contrato promessa assinado com o FCP teve a desdita de provocar uma grande penalidade nas Antas na época 83-84, dando a vitória 1-0 ao FCP. 


Nos anos 90, posso falar-lhe de um autogolo de Jorge Costa num Maritimo-FCP quando estava emprestado pelos Dragões.
Em relação ao Estoril, posso contar-lhe algo similar: na época 1976-77, FCP e Braga apuraram-se para a final da Taça de Portugal marcada para o Jamor e o então chefe de departamento de futebol do FCP reuniu-se com o Presidente do Braga, Gomes de Almeida e depois de o ter conven$$ido, a final foi miraculosamente transferida para o estádio das Antas onde os azuis ganharam a muito custo com um golo de Fernando Gomes...



Posso falar do Penafiel dos anos 80, da tentativa de corrupção a Cadorin do Portimonense em 1985, do Rio Ave da época 91-92 treinado por Augusto Inácio e com 14 jogadores afectos ao quadro do FCP, terminando em 2010-11 com um presidente Fernando Rocha que, apesar de presidir ao Portimonense, sente mais o FCP que o Manuel Serrão...
Espero pelo seu contraditório que não inclua expressões como «Calabote» e «Salazar benfiquista» porque o segredo de vencer uma discussão construtiva é falar daquilo que experenciaram e não de assuntos adulterados por pseudo-jornalistas que até descobriram que o FCP nasceu 13 anos antes da sua fundação oficial..."
*O livro “MÁFIA NO FUTEBOL”, de Declan Hill.
Comparando o que Declan Hill nos diz, depois de muitos anos a investigar o arranjo de resultados combinados em jogos de futebol por todo o mundo, verificamos que há muitos pontos de contacto e coincidências com o que se tem passado nos últimos 30 anos no futebol em PortugalPor parte dos árbitros e por parte de alguns jogadores, pagos para facilitarem o serviço quando jogam contra o FCPorto. As falcatruas têm-se sofisticado, mas continuam a estar presentes.

Retirado do livro, “Máfia no Futebol”:
Um jogador corrupto tem de ser um grande actor. Não chega apenas jogar mal; o jogador tem também de fingir que está a esforçar-se.(...) Deve deixar a impressão de que o arranjo do jogo seria a última coisa a passar-lhe pela cabeça”.
Diz o jogador Scott Ollerenshaw:
Depois no jogo, são coisas pequeninas como sair uns microsegundos a um corte de carrinho ou deixarem um adversário fugir à marcação. Estes tipos tornam-se peritos em fingir que estiveram a dar tudo por tudo pela equipa: regressam aos balneários, depois dos jogos, e atiram-se para o chão aos berros”.
Como diz um polícia de investigação, “o futebol é muito subjectivo. Pode-se estar a ter um péssimo jogo, mas apenas por se estar a jogar mal. Mesmo que se esteja subornado”. 
Um jogador de futebol que queira entregar um golo ao adversário, deixa seguir o avançado para a baliza sem oposição, já que fazer uma falta para penalty dá muito nas vistas. Ao cometer pequenos erros posicionais que são muito mais discretos, permite o arranjo.
Os árbitros corruptos usam os penalties marcando-os ou omitindo-os para assim conseguirem o arranjo de jogos”.
Já marcar um golo na própria baliza é demasiado óbvio pelo que quase nunca acontece. A não ser em casos muito excepcionais.

Erros por Comissão e por Omissão
Os árbitros e os jogadores podem errar de duas maneiras: por omissão ou por comissão.
Um erro por comissão, é quando um árbitro, ou um jogador, faz algo de concreto, a marcação de um penalty que não foi, a amostragem de um cartão amarelo ou vermelho, a marcação de um offside que não existe ou a provocação de um penalty, etc.
Um erro por omissão é quando um árbitro, por exemplo, não marca um penalty (critério do árbitro), não mostra um cartão amarelo ou vermelho (critério do árbitro), não assinala um offside que devia ter sido marcado (má colocação do assistente), ou um jogador que falha um corte essencial, etc.
É mais difícil medir um erro por omissão de um jogador ou de um árbitro. Podemos argumentar que um jogador podia ter feito melhor numa intercepção ou num passe mas esse julgamento é subjectivo. No caso de um árbitro pode sempre falar em critério do árbitro ou mau posicionamento do fiscal.
Já os erros por comissão podem mais facilmente ser medidos”.

*Acácio aliciado
Um guarda-redes brasileiro que passou com discrição pelo Tirsense e Beira-Mar. Só depois de regressar ao Brasil teve a coragem de falar sobre a sua aventura europeia. E contou então que recebera pressões e propostas diversas para facilitar uma vitória do Porto em Aveiro que valia (e valeu) o título nacional em 1993. Terá sido nessa ocasião em Aveiro que Carlos Pinhão, jornalista da Bola, foi barbaramente agredido por elementos ligados ao Porto.
Anos antes havia sido Candorin a acusar o empresário D´Onofrio de lhe prometeu um bom contrato em Portugal ou estrangeiro caso fizesse penalti nos primeiros minutos de um Portimonense-Porto (“depois jogas normalmente”, ter-lhe-ão dito). Com a sua saída do futebol português o caso acabou por morrer.
* Jogadores comprados
Só três jogadores recebiam regularmente: eu, Nuno (Coelho) e Varela. Eu, do Sporting, e os dois, do Porto na altura, Celsinho, ex-jogador do Sporting, sobre a sua passagem pelo Estrela da Amadora.


É impressão minha ou nessa altura o Varela não pertencia aos quadros do porto, já que recordo-me perfeitamente de se falar de um alegado interesse do Benfica. Só foi público que o Varela ia para o porto já muito perto do final da época. Mas pelos vistos o moço já recebia dinheiro azulado quando ainda era jogador do Estrela...


* Varela recebia dos andrades
 Silvestre Varela assinou, esta segunda-feira, pelo FC Porto. O avançado, de 24 anos, que tem contrato com o Estrela da Amadora até ao final da presente temporada, assumiu com os dragões um vínculo válido a partir de 1 de Julho [de 2009] e que termina em 2013”.


Mas... parece que o FC Porto já pagava salários a Varela ainda antes do avançado assinar pelos dragões. Como se sabe que Pinto da Costa já pagava por um jogador que ainda não pertencia aos quadros dos dragões?...


Varela jogava no Estrela, jogava contra o FC Porto, mas recebia do FC Porto. O clube das Antas aproveitou-se do facto de o emblema da Amadora atravessar uma grave crise para fazer batota... E o que fazer perante estas denúncias? A Justiça vai condenar?.


* Pagos para ganhar
Os andrades pagam a jogadores de equipas que eles vêem que têm possibilidade de tirar pontos ao Benfica. Faz parte da organização daquela escumalha. Aconteceu o no passado, naqueles jogos onde houve problemas, Braga, Olhão, e outro que não me lembro. Os jogadores dessas equipas quando não conseguem o desiderato, ganhar algum dinheiro extra, ficam danados e no fim tentam tirar desforço dos jogadores do Benfica. É difícil provar, pois eles usam intermediários para o fazer, mas é o que acontece. Aliás, eles pagam a intermediários para fazer todas as falcatruas de modo a não ficarem comprometidos.  
É uma táctica já muito antiga e que todas as máfias do mundo utilizam e utilizaram em todos os tempos. E a táctica contrária, pagar para se agacharem no jogos contra eles também acontece. Vejam o Leiria. E o Nacional.

* Uma visita ao norte.
Fui ver um jogo no norte de Portugal (Gil Vicente), com Duarte Gomes a apitar. Fui ao estádio apoiar. Até aqui tudo normal.
O que tornou este jogo diferente é que ia rever um amigo de longa data, meu companheiro dos tempos de liceu, que trabalhava nesse clube. Ele que foi jogador e é grande benfiquista deu-me convites para ir assistir ao jogo. A mim e a um amigo.

O facto de ver o homem festejar o golo caseiro junto à linha de forma efusiva fez-me confusão mas entendi pelo profissionalismo.
O ar muito desapontado que mostrou após o jogo perto da garagem dos jogadores já me deixou intrigado. Afinal o clube onde trabalhava não tinha perdido e o Benfica conseguiu empatar perto do fim salvando um ponto.
Contra este pensamento ele desabafou: "esse golo do Benfica fez com que os mil e tal euros que me calhavam fossem por água abaixo".
Eu e o meu amigo admirados ainda comentámos: "bem, grande prémio de jogo que vocês tinham...".
Ele esclareceu: "foi uma atenção que o clube principal da cidade Invicta enviou para distribuir pelo grupo em caso de vitória".


Assim mesmo, sem rodeios e à frente de mais pessoas. Com naturalidade.
Confirmei depois que é uma prática corrente, não me admira que este ano o Braga tenha aderido à moda dos seus grandes aliados.
Por acaso o amigo que assistiu à cena nem é do Benfica e anda pela blogosfera".


Este senhor está a referir-se ao Guimarães-Benfica (1-1). Penso que dispensa mais comentários. 
Ao contrário do que muita gente diz, que incentivar com dinheiro para ganhar não é corrupção, ao contrário de incentivar para perder, peço para discordar. Tudo o que seja incentivos alheios aos terreno de jogo e que contribuam para alterar a verdade desportiva é ilegal e corrupção. Como o doping. O doping também é um incentivo para uma das equipas ganhar, e altera a verdade desportiva. Espero que o MP investigue bem este caso.

(Bem podes esperar sentado, amigo).

* Corrupção nepotista
Há uns anos atrás, falava eu com um antigo dirigente de um esforçado clube da minha terra sobre as ambições legítimas deles em subir de divisão e dizia-me ele: Oh meu caro, não fizemos ainda os favores suficientes e quem vai subir são os clubes A e B”,identificando-os. Devo dizer que estávamso na pré-época ainda e eu vi aquilo como uma premonição que lhe havia de sair furada seguramente. Porque uma das equipas nem para meio da tabela dava. Adivinhem o que aconteceu? Subiram os dois clubes indicados por ele!!
Quando eu disse a esse dirigente, já decorria a época seguinte, “Eh pah, grande sorte você teve nos clubes que subiam o ano passado…” ouvi algo tão objectivo quanto isto: “Este ano já temos direito a mais uma coisinhas, mas quem sobe é o B e o C”… e adivinhem mais uma vez. TUNGA, EM CHEIO! Por aqui se vê que o futebol em Portugal é controlado por entidades que têm interesse directo nessa acção!!

7 comentários:

  1. divulguem, divulguem tudo, mostrem a vergonha que se passa neste país, é por isto que portugal está assim, é controlado por corruptos e este é o resultado.
    esses criminosos do porto são o mal do futebol portugues, é preciso acabar com eles de vez, esses batoteiros merecem ser irradiados de todo o desporto.

    ResponderEliminar
  2. Muito Bom!! É o que tenho a dizer.
    A corrupção aqui escrita, não deve ser nunca esquecida ou abafada.

    ResponderEliminar
  3. Meu DEUS como e tudo possivel nas barbas destes energumenos da justiça..

    Estou sem palavras ao ler e ver o que esta escrito aqui ,o Porto é como o País: vive acima das suas possibilidades. Depois dá nisto mas toda a gente acha normal.VERGONHOSO ,VERGONHOSO

    Força ,força , força a mostrar ao mundo como se ganha titulos com máfias nas torres das antas .

    ResponderEliminar
  4. Nunca será demais manter viva a memória das pessoas para que possam ajuizar da podridão da justiça que governa o país.

    A verdadeira JUSTIÇA tarda, mas um dia fará sentir o quão pesada será a sua espada.

    Assim queira e desperte o povo nas decisões cívicas a que não se devem furtar.

    Força companheiros.

    ResponderEliminar
  5. Força campeões!!! Jamais deixaremos esquecer as tropelias que PC e o seu Clube têm feito ao futebol Português há mais de 30 anos....

    Gloriosas Saudações!!!

    ResponderEliminar
  6. A M O R D A Ç A D O S

    QUANDO SE PENSAVA QUE A CENSURA TERIA SIDO BANIDA COM A "REVOLUÇÃO DOS CRAVOS" EIS QUE ELA SE APRESENTA CADA VEZ MAIS ACTIVA E MAIS ACUTILANTE ATRAVÉS DOS MODERNOS CENSORES CIBERNÉTICOS QUE TENTAM CALAR A VOZ OPOSITORA EM NOME DA "DEMOCRACIA". A DELES!
    AMORDAÇADOS NASCE SEM REGRAS E SEM RESTRIÇÕES, PRECISAMENTE PARA DAR VOZ AOS AMORDAÇADOS.
    ARQUIVEM OS VOSSO COMENTÁRIOS E EM CASO DE NÃO PUBLICAÇÃO, DISPONHAM DESTE ESPAÇO E DENUNCIEM A MAIS CRUEL E VIL PRÁTICA FASCISTA: A CENSURA!

    www.amordacados.blogspot.com

    ResponderEliminar
  7. O Pedro Caixinha um treinador incompetente e corruptos e um dos treinadores do sistema, depois de ter feito o trabalhinho no Leiria, de ter aberto as pernas aos corruptos, foi "recompensado" com uma nova "missão", agora noutra equipa do "sistema", o Nacional. Eles não enganam ninguém e é tudo feito às claras e tudo muito previsível.

    ResponderEliminar