ALGUNS TENTARAM DIVULGAR A VERDADE E FORAM SILENCIADOS.NÓS CHEGAMOS DISPOSTOS A DENUNCIAR, SEM MEDO,O NEPOTISMO,O TRÁFICO DE INFLUÊNCIAS, O MERCENARISMO E O TERRORISMO CORRUPTO QUE A COMUNICAÇÃO SOCIAL, EM ESPECIAL A DESPORTIVA, NÃO TEM A CORAGEM DE ASSUMIR.

DIVULGA www.pulpuscorruptus.blogspot.com EM PROL DA VERDADE E COMBATE À CORRUPÇÃO!

E-Mail: pulpuscorruptus69@gmail.com

segunda-feira, 4 de junho de 2018

(hiiiiii...QUE SARRABULHADA) A MÁFIA DA PALERMO PORTUGUESA (219)


Adeptos presos fazem revelações explosivas.
Camisolas e Bilhetes para a próxima época a troco do ataque.

A verdade, vinda da cadeia de Caxias, é clara: quem mandou dar um “apertão” aos jogadores foram o presidente do Sporting e o ex-lider da claque leoninda (Fernando Mendes). Porém, não correu como planeado…

São cinco os jovens adeptos sportinguistas que há uma semana só comem arroz com salsichas, arrozcom ovo ou arroz com atum na Ala B da prisão de Caxias e vêem pela primeira vez a realidade dura do crime desde que uma alegada ordem do presidente do Sporting, como garantem, os atirou para ali. Nenhum dos membros do grupo de atacantes na Academia de Alcochete, tinha cadastro. De miúdos fanáticos pelos Sporting a criminosos, mostram-se agora arrependidos e em pânico entre os outros prisioneiros.

O juiz de instrução criminal do Tribunal do Barreiro decretou prisão preventiva para os 23 arguidos.
A mesma descrição vem de dentro da prisão de Caxias, onde agora estão 5 destes jovens, que já confirmaram aos colegas de prisão que a ordem veio “de cima”: terá sido o presidente juntamente com Fernando Mendes, ex-lider a Juve Leo, que esteve na Academia de Alcochete durante o episódio das agressões e que foi impedido pela polícia de entrar no Estádio do Jamor para vefr a final da Taça. A dar a ordem.

“Escolhem a dedo um bando de miúdos, coitados e pobres, aliciaram-nos com as prendas que deu nisto”,conta quem com eles agora convive.

“Garantem que foi o Bruno e o Mendes que mandaram apertar. A ordem veio de cima”: Testemunho que já terá sido dado às autoridades, ao contrário do que tem sido avançado. A mesma fonte revelou o que os detidos contaram: 
“Tiveram uma reunião, um breefing, com os mapas do local e ordens superiores para terem acesso”.

No entanto, a esta reunião foram apenas os “cabecilhas” entre os quais, garantem, o condutor do BMW azul. 
“O Bruno de Carvalho soube como fazer, pois nunca falou com eles directamente”. 

A promessa era que todos iam receber camisolas do Sporting e bilhetes para a próxima época. As ordens chegaram-lhes também com nomes de jogadores a assustar – Rui Patrício, William Carvalho e Acuna estariam na lista. Contudo, ninguém esperava que os jogadores do plantel leonino se defendessem e a situação ficou incontrolável.

Sporting - União de Madeira 2-0 2017/18

1. Paulinho (Defesa) titular nos 3 jogos antes e nos 3 jogos depois. Contra o spitting nem ao banco foi. Não estava castigado (não viu cartão no jogo anterior).
2. Paulo Monteiro (Defesa) titular nos 3 jogos antes e nos 3 jogos depois. Contra o spitting ficou no banco.
3. Élio Martins (Avançado) titular nos 3 jogos antes e nos três jogos depois. Contra o spitting nem ao banco foi. Nos últimos 7 jogos o União marcou 9 golos. Este jogador fez 3 golos e 3 assistências. Mas para defrontar o spitting não vai fazer falta...
4. Carlos Manuel (Defesa) Titular. Jogou 90'. Ultima utilização 2' num jogo exactamente 3 meses antes. Caso flagrante de por um jogador sem ritmo de jogo em campo, jogou 118 minutos no campeonato inteiro, 90 dos quais contra o spitting.
5. Marco Túlio (médio) Jogou 18 minutos a época toda. Quantos minutos contra o spitting? Acertaram, 18 minutos.

No 2º golo, o guarda redes tentou defender a bola… em câmara lenta!

Resposta de César Boaventura (31/5/18)
“Existe uma cabala para detonar o SL Benfica que envolvem o meu nome. Deixo bem claro que o SL Benfica em momento algum me pediu para exercer qualquer tipo de corrupção, sendo um clube que comigo sempre pautou pela honestidade. 

A minha função é agenciamento de jogadores, e na verdade obriga-me a falar com os mesmo. De referir um nome, avançado pela CMTV, Patrick, que não conheço pessoalmente e nunca falei com ele, venha o jogador publicamente dizer que me conhece, dai se vê a dimensão desta calúnia. 
Estou disponível para tudo em benefício da verdade, e não vou desistir de forma alguma da verdade. 

Não existem provas nenhumas que possa ter tentado corromper qualquer jogador porque isso é mentira. Mas sei que assim como me tentaram corromper a mim para mentir àcerca deste processo, também andaram a contratar jogadores para mentir sobre o Benfica, o que demonstra a falta de dignidade que existe em algumas pessoas que estão no futebol. 
Estejam descansados que eu não vou para Vigo, nem compro casa em Cabo Verde. 
A injustiça é negra, mas a transparência não tem cor!

Fica aqui um desejo, 
Aos que tanto acusam, que possam fumar o charuto da paz tal como eu faço. 

A paz só existe em quem tem a consciência tranquila. Beijinhos e até breve nas instâncias apropriadas.
Nao apagam o cash ball com isto, muito menos apagam a oferta de viaturas a arbritos. O melhor afinal está mesmo para vir.

César Boaventura
COMUNICADO (2/6/18):
Vejo-me neste momento metido no meio deste lamaçal inconsciente que os nomes que referi em programas televisivos criaram para me denegrir. Talvez por eu ser frontal e por sempre tentar demonstrar a verdade no futebol português.

Sou agente acerca de quatro anos e meio e desde o início me vejo envolvido em determinadas situações que inclusive já foram julgadas e sempre sai de cara levantada.
Até este momento, não fui chamado á justiça para falar sobre as alegadas denúncias anônimas, mas sou um alegado corruptor, sem nenhum comunicado oficial das instâncias legais.

Não tenho qualquer dúvida que possa estar a ser investigado, pelo facto de existir denúncias anônimas, mas tenho a certeza de uma coisa, tenho a minha consciência tranquila. Não é fácil passar por um momento destes, porque tenho família e essa é a que mais me preocupa. 

Vejo jornalistas incrédulos pelo facto de eu me expor e combater na medida do possível tal difamação. Vou aguardar serenamente pelo desfecho desta investigação e neste momento posso já garantir que acionei os meios legais para processar sem dó nem piedade e até as últimas consequências quem tanto manipula a realidade. 

Depois me ser envolvido no jogo Maritimo vs Benfica e Rio Ave vs Benfica, hoje recebi mais uma surpresa. Mas que surpresa!

Fui contactado por um jornalista consciente e com muito carácter que me perguntou a que me referia nos prints que deixo aqui. Enviou-me os prints para eu ver. Depois de os ver recordei-me sim, estes prints foram relativos a renovação de contrato do atleta Carlos Santos. 

Eu negociei a renovação do contrato do atleta com o dr. João Loureiro e depois de tudo estar acertado disse ao atleta para ir no dia seguinte à SAD, no sentido de renovar. Depois de renovar o meu querido amigo e conterrâneo Carlos Santos enviou uma mensagem a dizer “não é fácil falar contigo” ao que eu respondi, “tratado? 100 %?”, referia-me à renovação.

No dia seguinte mandei um print da conversa com o Carlos Santos ao Presidente do Boavista para lhe agradecer pela renovação, mas enganei-me no nome quando enviei o print e enviei ao Presidente do Benfica, que inclusive me ligou a perguntar na altura, “o que é isto?”... Tendo sim, depois enviado ao Presidente do Boavista agradecendo pela renovação do grande Capitão.

Fui informado hoje pelo jornal Expresso que este jogo está em investigação por uma denúncia anônima que se baseia nesta mensagem. 
Deixo claro que o Carlos Santos nem jogou contra o Benfica, e deixo claro ainda que em momento algum isto faz qualquer sentido. 
Admiro as pessoas do Expresso procurarem perceber qual o sentido das mensagens e deixo-lhes uma palavra de agradecimento pela grande honestidade que tiveram e por se recusarem a alimentar uma mentira.

Agora entendo o motivo pelo qual este processo está tão demorado e não tem ainda arguidos constituídos. Também acredito que no meio deste processo todo, exista alguém a mentir a troco de dinheiro para fundamentar mensagens como estas que não fazem sentido.
Antes que saia uma notícia a dizer “mais um caso que pode abalar o futebol Português” eu próprio denuncio a fraca investigação dos que me querem denegrir a mim e ao SL Benfica, deixando-lhes uma palavra de repúdio e indignação!

Vou levar todas estas denúncias e histórias da carochinha onde participam escrotos e pinta rodapés, até as últimas consequências. Relembro, esta investigação leva 1 ano. 
Até ao momento não fui chamado a nada mas estou à disposição que me chamem o mais rápido possível para acabar com este lamaçal, para que possa limpar a minha imagem e provar que nem todos somos iguais.
Deixo a prova em como renovou nessa altura.
Estou atento a toda esta manipulação jornalística e não vou perdoar a mínima acusação! 
A FRUTA PODRE CAI SOZINHA. 

Acabei de falar com um atleta do Maritimo que já lá está há muito tempo! Não revelo o atleta pelo facto de não se querer envolver em polémicas. Mas disse que o Maritimo nunca teve salários em atraso. Haja vergonha neste País. Tenham vergonha, mentirosos.

Vão ser accionados os meios legais para processar um ex-funcionário meu que foi quem se apoderou das minhas mensagens. Esse funcionário é Portista e entregou isto ao tal Pedro Pinho. 
Não foi o tal falado Ramiro Viana que se redimiu e informou que muitas vezes publicava coisas a mando desse meu outro ex-funcionário. 
Tenho testemunhas a quem ele mostrou estas mensagens. Por isso o fio à meada está a ser desvendado. Esse funcionário saiu da empresa no ano transacto. Aguardem novidades!
Quem menos pensam e eu mesmo pensava é quem se vende por uma chiclete gorila.

Página Facebook de César Boaventura.

2º Comunicado do César Boaventura
 (3/6/18)
“Hoje obtive certezas e testemunhos de tudo quanto foi feito ao longo destes meses pela investigação de Gonçalo Ferreira jornalista da SIC, as quais vou expor a todos.
Gonçalo Ferreira contactou com pessoas que trabalharam comigo, como o meu amigo Remulo Marques que foi diretor geral da SIC, fazendo perguntas:

- O César troca de telemóvel muitas vezes?
A resposta foi não.

- Qual a ligação do César ao presidente do SL Benfica?
A resposta foi que era uma relação como com todos os outros presidentes e clubes.

- Sabe de algum acto de corrupção do César?
A resposta foi não, o César faz apenas um trabalho de agenciamento e mantém uma boa relação com todos.

Gonçalo Ferreira, fez-me uma entrevista, onde o recebi na minha casa, e o tratei com todo o respeito, mas não foi capaz de me dizer que essa entrevista era para uma investigação, retirando-me assim o direito a defesa, ousando a falsa fé para poder manipular qualquer palavra minha em benefício da encomenda que recebeu por parte de quem me quer denegrir.

Resumindo, Gonçalo Ferreira andou a investigar a minha vida profissional, no entanto a única coisa que obteve foi alguém de cara tapada para mentir sobre mim e esse alguém brevemente será identificado e processado até as últimas consequências.

Gonçalo Ferreira demonstrou realmente má fé no trabalho desenvolvido, porque apenas introduziu na caluniosa notícia a mentira de cara tapada e não os testemunhos que abonam a meu favor, uma vez que isso retirava todo o crédito á notícia.

Assim, só demonstrou que tudo isto passa por uma encomenda como eu já referi publicamente e não quis demonstrar a opinião que outras pessoas têm sobre mim, muito menos apresentar testemunhos reais de que eu tenho uma vida normal e de trabalho.

Neste processo que dizem eu estar a ser investigado, apenas me resta trabalhar e continuar a minha vida na normalidade como até a data, esperando pelas autoridades para que possa ser constituído arguido ou ser ouvido por quem de direito.
Apenas deixo um aviso, o desfecho de tudo isto vai ser zero e cá estarei para processar todos quanto me denegriram e difamaram.
A justiça existe para julgar, não a praça pública, muito menos as televisões podem fazer justiça sem que nada tenha sido provado e muito menos julgado.

Assim informo que não me vou mais pronunciar sobre ataques de que estou a ser alvo, remetendo tudo para os advogados e instâncias legais.

Obrigado Gonçalo Ferreira por demonstrar a enorme falta de profissionalismo e respeito que teve comigo.
Jornalismo de má fé, com todo o respeito pela SIC, escolham melhor os profissionais que tem e não ponham pseudo profissionais a fazer este tipo de trabalhos.

“Nunca lutes com um porco, ficas todo sujo, e ainda por cima o porco gosta”, palavras proferidas há muito pouco tempo pelo Presidente António Salvador e muito bem direccionadas.
César Boaventura, página do Facebook


“Estatuto do Sportinguista” 
Uma lista num papel criada em 2006, que foi entregue aos jovens da formação sub-11 e familiares quando foram treinar em Alvalade no dia anterior ao final da Taça. Os familares, chocados, espalharam pela internet 

1. O Sportinguista é do Sporting Clube de Portugal.
2. Ser Sportinguista é ajudar sempre a lutar pelo título maior.
3. O Sportinguista é fanático só vê o seu Leão e nada mais.
4. Ser do Sporting é saber dizer sempre o pior do adversário.
5. Ser Sportinguista é defender o seu clube de todas as calúnias.
6. O Sportinguista nunca é vencido, ainda que o seu clube saia derrotado em campo.
7. O Sportinguista tem adoração pelo verde.
8. Ser do Sporting é ser bairrista e gritar no estádio, quer chova ou faça sol.
9. Ser Sportinguista é fazer parte do maior clube da cidade e arredores.
10. Ser Sportinguista é acreditar, com garras de leão, no título de Campeão.
11. Ser Sportinguista é rezar 3 vezes ao dia por Bruno.
12. Ser Sportinguista é inventar novas maneiras de escrever fifica.
13. Ser Sportinguista é cum caralho, partir o focinho aos lampiões rabolhos boca de piano.
  
O Que Correu Mal em Alcochete?
Parece óbvio que a ideia era dar um apertão aos jogadores "pouco esforçados". No fundo copiar aquilo que se faz a norte. Mas correu mal por várias razões. 

Uma delas é que o polícia lá do Porto, está cheia de super-dragões e não se mete em cenas destas (lembram-se há uns anos, no estádio do dragão a segurança privada mandar alguns polícias menos conhecedores destes assuntos sair dali para os "adeptos legalizados" poderem atirar pedras aos carros dos jogadores? foi mostrado nas TVs). 
Outra coisa que não foi bem feita neste caso foi a cena ter sido montada com os jogadores juntos; lá no Porto, os jogadores ou treinadores quando são "apertados" estão sózinhos. A dose do apertão deixou marcas físicas visíveis, o que dá sempre mau aspecto na comunicação social. Lá no Porto sabem magoar sem deixar marcas nas pessoas. 

Portanto, houve vários erros de principiante e sem o respaldo das forças de segurança, o pessoal que fez isso vai parar com os costados na cadeia. Lá no Porto até há um alto funcionário do clube (Alves) que se suicidou com um tiro na nuca no estádio do dragão e que depois de se suicidar escondeu a arma. Viram as autoridades do Porto a ficarem muito preocupadas com este caso? É evidente que as coisas mais graves se passam no Porto. 

O Campeonato 2017/18
Depois da dolorosa época, eis uma tentativa de sintetizar o que se passou desde há cerca de um ano no Campeonato de Futebol Português.

Os artigos aqui publicados desde Agosto de 2017, sobre como os clubes da santa aliança iam vencendo as suas partidas são tantos que a uma certa altura, cheguei a pensar que era eu a trabalhar para o Benfica não sendo funcionário do clube... Eu e tantos outros blogues certamente (EDdB, Guachos Vermelhos, Coluna, MG, Benfiliado, Vozes, HGeB, NGB, Tertúlia, O Indefectível...) Tantos e outros mais que não me lembro.

À partida para esta época, o Benfica já tinha o dobro dos Campeonatos do Sporting. Poderia ficar com mais 10 do que o Porto. Poderia alcançar o feito histórico de conquistar 5 consecutivos. Poderia ir à Champions sem passar pelo crivo dos play-offs! O que é que o clube-já-condenado-por-corrupção fez? Chamou a si o seu pajem de estimação - o Sporting - e urdiram uma aliança que visava dinamitar por todos os lados o clube Tetra Campeão.

Sabendo que sozinhos não conseguiriam parar o Benfica (mesmo com o clube a dar a ideia de estar calmamente a aguardar o que quer que fosse), a aliança trabalhou a fundo, por detrás das cortinas, para alcançar o seu objectivo. Convocou ainda as claques legalizadas, a imprensa em geral, dirigentes federativos, políticos e magistrados para ajudar na tarefa.

Janeiro de 2017:

Árbitro Artur Soares Dias ameaçado de morte.
O Juiz internacional momeado para dirigir o Paços Ferreira com o Porto foi abordado por indivíduos da claque SD quando se preparava para treinar, tendo sido ameaçado de morte.
Isto na presença do próprio presidente do Conselho de Arbitragem da FPF, José Fontela Gomes.

Isto foi um aviso à navegação: Ou apitavam em favor do Porto-clube e do Sporting ou iriam sofrer as consequências na pele. Eles e as suas famílias.

Abril de 2017, como o Benfica estava a conseguir ser mais forte, a aliança perde a vergonha na cara e faz as coisas à frente das pessoas:

Nesta altura, só um burro é que poderia sonhar que os culpados iriam ser julgados e condenados... Mas o Benfica vence o Campeonato e a Taça e o Porto-clube é colocado em prisão preventiva pela UEFA (gastar dinheiro em prostitutas, viagens, condomínios, carros, árbitros, etc., tem as suas consequências). A coisa tinha de ser melhorada...

Começa a nova época, é introduzido o VAR que, vendo agora, melhora a possibilidade de a coação do Porto-clube conseguir resultados mais tangíveis. O Benfica vai tropeçando em todas as competições com a sua direcção algo impávida a assistir aos acontecimentos depondo a sua confiança na justiça... E os benefícios arbitrais começam a aumentar a olhos vistos para a aliança, especialmente para o Sporting que nesta altura pouco joga e assim, mantém-se colado ao topo:

A estratégia resulta e é simples de analisar: Os árbitros têm de beneficiar o Porto-clube e o pajem de modo a colocar o Benfica fora da LdC, caso contrário: Serão atacados fisicamente e irão descer de categoria (deixando de ser internacionais).

A estratégia resulta, especialmente nos árbitros que não são adeptos desse clube, ninguém quer perder os dentes e o salário principesco.

O Benfica vai sendo prejudicado:

Aqui, estão 2 pontos para cada um... No mínimo!

Mas mesmo assim, em Janeiro - Fevereiro de 2018, a aliança abana e o Benfica continua a subir (tinha só o Campeonato), pelo que há que fazer ainda mais e acontece o golpe de mestre só possível de acontecer num país sem rei nem roque:
Com a ajuda da Liga de Clubes, da FPF, do Estoril e da PSP, o Porto-clube foge a uma derrota iminente (em Janeiro) para conquistar os 3 pontos (em Fevereiro) num esquema que acaba por envolver jogadores do Estoril e o pagamento de 784 mil euros... 
Caro presidente LFV, isto é caso para ir até à FIFA ou prefere manter as aparências?

A imprensa nada escreve a não ser breves resumos que, de tão superficiais, fazem parecer que nada se passou... Vale tudo para a aliança mas o Benfica nesta altura não desarma!

Segue-se o caso singular de Chaves:
O Sporting acede sob a condição de que o Porto-clube não se esqueça de que o segundo lugar fica para eles.

O Benfica mantêm-se na luta e o Porto-clube consegue atingir e transformar o árbitro que, afirmam, defende o Benfica:

Filipe agride o colega Ricardo e é assinalado um penalty a favor do Porto. Surreal!!
E eis que chega a parte decisiva...

Já escrevi sobre as culpas próprias do Benfica nisto tudo no artigo anterior. Lá, até afirmo que mesmo assim, poderíamos agora ser nós a festejar e é com base nessa ideia que o Porto-clube faz o esforço final de minar o Benfica: (ver vídeos no blogue militancia da mentira)

PS1: Esta época, até agora (33ª Jornada) a contar para o campeonato, existem 37 lances específicos que reportam lances passíveis de serem grandes penalidades não assinaladas a favor do Benfica:
Neste lote, estão 8 referentes aos jogos do Benfica frente aos clubes da aliança!


O Estado do Sporting (em blogue verde)
“Meus senhores, como todos sabem, há diversas modalidades de Estado. Os estados sociais, os corporativos e o estado a que chegámos.”

Portugal saia de um regime que nunca foi o que lhe apelidaram e começou um novo ciclo político, virado para o progresso, onde o contrato social ganhava mais significado para todos. 

Hoje somos, sem banais generalidades, um país contemporâneo, com qualidade de vida e que, com as dificuldades que conhecemos, perspetivas e oportunidades de futuro à disponibilidade de todos. 

O Sporting vive atualmente um dos mais negros momentos da sua história. 

Um Presidente, com a ajuda de um exército de menores e outros iletrados, que tenta impor um regime, uma refundação, um novo Clube.

Em cinco anos de regime, muitos são os episódios que nos envergonham, que são motivo de chacota para com os nossos amigos e com o Sporting além fronteiras.

Bruno de Carvalho não percebe nem quer perceber. Os autistas têm este comportamento. Não são uma tábua rasa à espera de ser esculpida e evoluir com o conhecimento que se adquire diariamente. Bruno é obtuso. E quando assim é, não é de estranhar estes comportamentos que são notícia de forma periódica.

Como todos sabemos, comportamento gera comportamento e depois de se lançarem intifadas contra a comunicação social, magistrados, políticos, agentes desportivos e outros profissionais, o mais evidente seria estar à espera da reação.

Ontem, um página na rede social Facebook, usurpou o nome de um movimento, Rapaziada, e começou a publicar excertos de conversas entre jogadores e o Presidente e as fotos de jogadores. 
A verdadeira “Rapaziada” já se colocou à margem de tal comportamento, e como é óbvio, é mais que evidente que tal página, mais uma, é da mesma linha e dos mesmos criadores da Sporting Fans, Pasquim do Ti Tonho, Cigano de Alvalade, Chamuças da curva sul, e os Blogs Mister do Café.

Tudo trabalha no mesmo piso, a toque de caixa e com as ordens dos mesmos peixes comensais que todos conhecemos já há vários anos. Digamos que há uma network de anormais que se alaparam no Clube, que são pagos pelo Sporting e que não o defendem, mas que trabalham, única e exclusivamente para a imagem de uma pessoa, o Presidente Bruno de Carvalho.

Posto isto, e depois de mais uma anedota escrita de Nuno Saraiva onde identificava Bruno de Carvalho como o Messias, o Sebastião do Futebol Português, o Homem que poderia fazer o 25 de abril do nosso desporto rei, parece evidente que com todos estes episódios, é tempo de perceber que necessitamos é de um Salgueiro Maia e de mais uns Capitães para acabar de vez com este estado de sitio. 

O Sporting vive vergado em vergonhas sucessivas. Entregue a um desequilibrado que  não mede as consequências e que só conta com a sua (pouca) inteligência.

Quando se queimam e desvalorizam ativos como os jogadores nos meios de comunicação social, quando tudo se faz para retirar dignidade a atletas com décadas de Sporting, como Rui Patrício, William Carvalho e Gelson Martins.
Quando os Sócios que criticam são “indignos e ingratos”. Meus caros é tempo de agitar e acabar com este desnorte.

O estado a que chegámos, como o nosso país em 74, é da nossa total responsabilidade. Nós Sócios, os que permitiram serão os que vão acabar com este vergonhoso circo que diariamente nos diminui, retira o foco dos problemas dos rivais e nos ridiculariza no mundo do desporto. 

O tempo é mestre!

sexta-feira, 25 de maio de 2018

(Canalhadas Pagam-se Caras) A MÁFIA DA PALERMO PORTUGUESA (218)

Lagartos e Viscondes
Depois de tudo o que aconteceu nesta semana ao SCP, ainda existem sportinguistas ilustres a defender o estroina do BC e a exaltar este excelso génio da gestão e da finança. É a confirmação da tendência geneticamente classista e supremacista deste clube centenário, nascido dentro da burguesia monárquica e na coscuvilhice entre pares, no sexismo e na misoginia dum clube secreto. 
O parto desta associação assusta e é uma das razões por que não sou lagarto. A outra é porque detesto misturas com gente ilustre, néscia e cagona, com iletrados arrogantes, com intelectuais insofridos, com vaidosos das linhagens, com aduladores do dinheiro herdado, com castas ufanas e urbanas que desprezam os rurais que vingaram na cidade, nascidos nas berças da miséria e que cresceram nos ergástulos fumegantes do toucinho no braseiro que a cidade rejeitaria.

Trata-se de gente socialmente jactante, gabarola de estirpes afamadas, fanfarrões de famílias abastadas e com história, apegada aos empregos públicos surgidos das cunhas, beneficiários dos serviços dependentes do orçamento do país, conquistadores de mordomias, serventuários do Estado e herdeiros de antepassados brasonados que lhes proporcionaram bibliotecas e universidades para se manterem no cume da pirâmide do Estado, das corporações, da banca, dos reguladores, das forças militares, dos seguros e das empresas públicas e privadas.

Detesto, intrínseca e intelectualmente, estas castas que uluam em Alvalade de e nas Avenidas Novas, a quem o povo e os pedreiros apelidaram de betos e betinhos, que cresceram para oeste e se estenderam para o Estoril e Cascais. Detesto os notáveis e as famílias: Sampaio, Barroso, Ferreira Dias, Roquete, Rocha, Cintra, Ricciardi, Sobrinho, Relvas, Ferro, Pires de Lima, Santana, Portas, Soares dos Santos, Carmona, Barbosa da Cruz, Lacerda, Soares Franco, Palha Silva, Frasquilho, Salema Garção, Núncio, Fernandes Thomas, Tomás Froes, Vera Jardim, Cortes Martins... Uff, tanto ilustre! Tanto empertigado social que trata o país como quinta e os portugueses como serviçais!

O meu clube é do povo que enche o estádio com saloios assimilados e provincianos que baixam à capital para assistir aos jogos do seu Benfica na “catedral”; que sempre se deslocaram em magotes, vestidos de fatos de trabalho número único, a cheirar a suor e salpicados de cimento, com as mãos gretadas dos baldes e dos tijolos; que em vez de tratados e códigos se faziam acompanhar-se de garrafões de vinho tinto, sardinha de escabeche e couratos para desgustarem no chão empoado da avenida, às portas de Monsanto. Foi este povo que construiu o antigo Estádio Da Luz, durante fins-de-semana, pagando bilhetes dos combóios, vindos das Beiras ao Algarve, sem direito a recompensas nem blandícias, carregando pás, talochas e sacas de cimento desviadas dos estaleiros dos patrões. 
É este povo que eu amo! É junto dele que me stino bem! O Benfica não é uma “naçon-e”, o Benfica é uma religião axiomática dum só dogma; victória. Carrega Benfica!

Os condes, adeptos e sócios de um clube falido há muito tempo, elegeram para presidente da canhestra associação em 2013, um bardamerda vindo dos pardieiros africanos.  Um deslumbrado, ávido de publicidade, mortinho por aparecer diariamente na televisão, feito actor de quinta categoria a passear na passadeira verde; por integrar a fina-flor do jet-set da capital; por se imiscuir no seio das famílias nobres do regime que ocupam os camarotes de luxo de Alvalade, longe das cáveas dos desnutridos onde sempre sentaram o traseiro. E não é que o homem, manipulador, populista, fanático e hooligan conseguiu mesmo! Quem lhe chamou Vale e Azevedo do Sporting, acertou.

Um ser desprezível e dissimulado – tanto que até os notáveis Dias Ferreira e os Eduardo Barroso acreditaram nele, que tratou logo de arranjar uma cerimónia de casamento (as anteriores não valiam, a que vale é esta...) ao nível da nobreza que reunisse a fidalguia do reino; televisões em directo, coches de encantar, revistas sociais presentes, fotógrafos com máquinas apontadas, convidados aos montes, Mosteiro dos Jerónimos como ar e caviar para distribuir. Prendas? Prendas, só em dinheiro. Os convidados deviam comportar-se com classe superior, noblesse oblige, nada de foleirices, nem contas bancárias em dieta! E os sportinguistas não conseguiram vislumbrar nada! Não interessava, o homem salvara o clube.

Salvara o clube! Hoje, “zangadas as comadres, descobertas as verdades”, podemos, mesmo sem consultar os contratos, inferir as condições mais importantes acordadas com os bancos que decretaram o perdão da divida do SCP e deduzir os pontos fortes das negociações. 
O bardamerda africano encontrou o clube falido. Literal e tecnicamente. Não havia dinheiro e há muitos anos que o clube não acrescentava património, reduzia, aliás, o activo tangível para sobreviver. 
O exemplo mais flagrante foi a venda do Moutinho para o clube da fruta. Vender ao Poaarto? Foi a demonstração evidente da inanição financeira! O serviço da dívida bancária acumulada depauperava o clube e não permitia investir no futebol. 
O bardamerda tomou uma decisão corajosa; geniflectiu perante os bancos e, exaurido, informou-os que não pagava, nem juros, nem capital. As instituições financeiras conhecedoras da insolvência e confortadas por algum sportinguismo, assumiram o problema e depararam-se com um dilema: matar o cliente, requerendo a insolvência, ou mantê-lo vivo, renegociando a dívida.

Desta renegociação saiu, como é do conheicmnto público, a substituição da dívida de cerca de 140M de euros por VMOCS, Valores Mobiliários Obrigatoriamente Convertíveis, remunerados à taxa de uro de 3,5%. Juros exigíveis apenas no caso de a SAD distribuir dividendos. Agora imaginam em que milénio é que o SCP vai dispor de um exercício que gere lucros de tamanho tal que permita a distribuição de dividendos pelos acionistas!

Primeiro round: BdC viu-se livre da dívida de 140 milhões e dos respoecivos juros, cerca de 30 milhões de euros em 4 anos.
Sabe-se agora que os bancos para aceitarem a troca da dívida por VMOCS exigiram que a Holdimo, de Alvaro Sobrinho (de quem se diz que desviou cerca de 400 milhões de euros do BES-ANGOLA), transformasse o empréstimo de 20M em acções da SAD. Exigência que visou afastar um credor preferencial e reforçar os capitais próprios da SAD, numa ténue tentativa de a fortalecer financeiramente e de possibilitar uma hipotética recuperação. 
Para Álvaro Sobrinho, que aceitou a exigência bancária, transformar crédito em acções não foi mais do que abdicar do capital e dos juros. Mas para quem compra apartamentos no Estoril, às dúzias, por 10M de euros cada!

Segund round: BdC viu-se livre da dívida de 20M e dos respectivos juros, cerca de 3M em 4 anos. Os bancos não se ficaram por aqui. A ideia de viabilizar a SAD sportinguista, presente nas negociações da troca de dívida por obrigações, encaminhou-os para o reforço da autonomia financeira da SAD para o que, pelos vistos, as acções de Álvaro Sobrinho se mostraram insuficientes. Exigiram, então, a entrada de um investidor accionista que injectasse 18M na SAD. Ou seja, alguém disposto a meter em capital próprio da SAD os ditos 18M a troco de remuneração nenhuma. A última notícia vinda dos mentideros sportinguistas aponta para o surgimento de um investidor fantasma, sem cara, que disponibilizara os 18M exigidos pelos bancos para aceitarem a operação em troca de dívida.

Terceiro round: BdC passou a dispor de mais 18M, que  não necessita de reembolsar, nem de pagar os respectivos juros, cerca de 1M euros. Como sabemos, e como expliquei numa anterior crónica, os bancos, a partir do momento em que entraram neste jogo e substituiram dívida por obrigações, ficaram nas mãos do cliente e perderam autonomia decisória. Como referi, só receberiam algum se aparecesse um chinês a comprar as obrigações VMOC ao preço da uva mijona ou seriam obrigados a vendê-las ao Sporting ao preço que a SAD quisesse.

Quarto round. Os bancos aceitaram vender à SAD os VMOC por cerca de 30% do valor de emissão, configurando um perdão de cerca de 100M euros. Na práctica, os bancos intervencionados, com as condições impostas para avançarem para a operação de troca de dívida, ofereceram a BdC, em perdão de capital, perdão de juros e em reforço de capitais próprios, quantos milhões? 
Agora é só somar: 100 + 30 + 20 + 3 + 18 + 1. O mago da gestão e da finança, elogiado e exaltado por José Pina, Eduardo Barroso, Dias Ferreira e tantos outros, dispôs de 182M de euros, dados, para safar o clube dos condes. 

São muitos milhões que os portugueses têm que pagar através da intervenção do Estado na banca, que permitiu repor os níveis de capital comido pelas imparidades destes e de muitos outros créditos incobráveis.
Mantenho que a Bolsa de Valores e o Banco de Portugal deveriam analizar estas operações financeiras ruinosas. O Sporting tem activos que valem milhões e que, estando livres deveriam servir de garantia para pagar as dívidas; academia, estádio, passes dos jogadores, receitas de bilheteira, receitas da UEFA, patrocínios e receitas da NOS. O perdão decretado é vergonhoso para o país, o desporto, a concorrência e a verdade desportiva.
Ao Clubce dos Viscondes perdoam-se as dívidas. Ao Clube da Fruta oferecem centros de estágio e terrenos para construir o estádio. Está linda a moenga!
Carrega Benfica!

Cèsar Boaventura ataca again!
15/05/18
César Boaventura recorreu ao Facebook para atacar Nuno Saraia, diretor de comunicação do Sporting, e defende que foram alguns dos principais responáveis leoninos quem deu aval à situação vivida em Alcochete: "Essas agressões aposto que foste tu, o teu presidente e o Geraldes do saco, que mandaram fazer para abafar a corrupção em que anda metidos. Não gastem as energias todas. O melhor está para vir", sublinhou o empresário de futebol.

Esta acusação veio na sequência de uma resposta às críticas que Nuno Saraiva fez ao próprio César Boaventura quando este falou de um esquema de corrupção que envolvia André Geraldes."Alguém me sabe dizer onde está o doente anão do Nuno Saraiva? Já falou? Fale agora. Fala agora em mim, que nunca me meti contigo e nunca faltei do Sporting, até falares o meu nome com essa boca porca. Vai-te embora pinta rodapés. Tem vergonha e respeita os sócios, adeptos, simpatizantes", frisou César Boaventura.

As Suspeitas existentes são Insuportáveis!!! AHAHAHAHAHAHA!

O diretor de comunicação criticou ainda aqueles que condenaram a postura de Bruno de Carvalho, por este pedir intervenção governamental no futebol português Nuno Saraiva, diretor de comunicação do Sporting, reiterou o pedido feito por Bruno de Carvalho, presidente do Sporting, que apelou a uma intervenção do Governo no futebol português, lembrando, a propósito, que "as suspeitas existentes são insuportáveis".

Através de uma publicação no Facebook, Nuno Saraiva lembrou que ainda esta terça-feira "os polícias e os militares pediram a intervenção do Presidente da República para que este, junto do Governo, pressione para que os seus problemas sejam resolvidos", portanto Bruno de Carvalho foi oportuno nas suas pretensões e condenou quem o critica. "Parece que é visto como um crime de lesa-pátria quando quem pede a intervenção do governo no futebol, junto de uma federação que é por si tutelada, é o presidente do Sporting."

E prosseguiu na sua visão. "A verdade é que, no espaço público, todos concordam que as suspeitas existentes são insuportáveis, que o ambiente é perigosíssimo, que as cartilhas de terrorismo comunicacional são inaceitáveis, que a verdade desportiva tem que ser um valor inalienável e inegociável, etc., etc., etc.. Mas depois, hipocritamente, quando se exige a intervenção de quem tem responsabilidade de o fazer, aqui d"el rei que é incendiário e que está a criar cortinas de fumo e factos para distrair."

O Funeral Público do Benfica (O fim da macacada!!)

Um email enviado a um blogue benfiquista pelos criminosos do costume.

“Segundo estes dados, que batem certo e já tivemos oportunidade de validar alguns pontos que estão lá escritos nesta denuncia o plano não tem nada de ilegal, diga-se, assenta acima de tudo no esmagamento mediático constante da imagem do SLBenfica por diversas pessoas (jornalistas, comentadores, funcionários dos clubes e até jogadores...) para que árbitros, juizes e todas as forças de ordem e justiça, por pressão pública e perante constantes julgamentos populares seja forçadas a penalizar o SLBenfica.

Desportivamente já vimos o resultado, preparem-se os benfiquistas para a pressão que está a ser orquestrada sobre a justiça, envolvendo juizes.

Por outro lado, inqualificavelmente, a estrutura de investigação sabe bem que ambos os clubes têm acesso a todos os emails do SLBenfica até há alguns meses atrás... atualmente conhecem contratos de jogadores, patrocinadores, etc... e tem havido partilha de informação com terceiras partes com vista a penalizar o SLBenfica no momento de renovações e até na disputa de novos contratos.

Há quem diga que um contrato de muitos milhões chegou a certas pessoas antes de negociarem os seus respetivos contratos que deram origem também a vários milhões.

Face a um plano que, repito, pelo que já pudemos, validar nada tem de ilegal... trata-se simplesmente de atacar, fragilizar e depenar de forma exaustiva o SLBenfica para que não volte a ganhar nos próximos anos.

Há gente nestes clubes que têm UNICAMENTE como função fazer isto!

O que se está a passar é gravíssimo, na medida em que se trata de estratégias concertadas para, com a complacência da justiça, poder conspirar contra um adversário comum.

Mesmo resultando em títulos e muito dinheiro para os obreiros desta estratégia, o que se antecipa é o afastamento de muita gente do fenómeno do futebol, a redução de muito potencial de receitas e a destruição de muito do que é hoje o futebol nacional a troco dos planos destes dois clubes.
Tem a palavra a FPF... que aparentemente, à boca pequena, se mantém calada porque entende que será a unica forma de "não ser sempre o mesmo a ganhar, face à diferença do projeto empresarial que, a prazo, iria secar os adversários".

(A propaganda dragarta no seu melhor. Vivem na “Twilight Zone”. “Wishful thinking” para papalvos. E ainda têm a lata de dizerem que é tudo legal!! Para eles, corrupção e tráfico de influências é uma coisa legal!! WTF!!!!). 

Só eu sei porque sou Caloteiro!
Se deve pouco dinheiro a um banco, o problema é seu. Se deve muito, o problema é do banco. É a terceira vez que Novo Banco e BCP fazem um perdão à dívida do Sporting. Faz sentido?

A discussão sobre os devedores à banca entrou novamente na agenda depois de Rui Rio ter dito que queria que a Caixa Geral Depósitos tornasse pública a lista dos seus 50 maiores devedores em incumprimento ou com dívidas reestruturadas. Isto para que o país percebesse por que razão teve de injetar 5 mil milhões de euros no banco público, dinheiro esse que para o líder do PSD poderia ser utilizado para outros fins, nomeadamente para aumentar salários na Função Pública.

A ideia de Rui Rio foi acolhida pelo PCP, CDS e Bloco que até querem mais. Querem que a divulgação da lista dos caloteiros da banca abranja não só a Caixa, mas todos os bancos que receberam ajudas públicas. Esta possibilidade de fazer tábua rasa do sigilo bancário tem uma vantagem e uma desvantagem.

A vantagem é que permitiria escrutinar as opções dos bancos e impedir que se dessem créditos por favor ou por cunha, ou simplesmente porque o banqueiro é adepto de um determinado clube. A desvantagem é que colocaria os bancos que tivessem de mostrar esses créditos em situação de desvantagem face aos concorrentes: nenhuma empresa quereria fazer negócios com um banco cujo historial de crédito possa ir para aos jornais.

Colocando a vantagem e a desvantagem na balança, a desvantagem pesa mais, ou seja, os bancos não devem revelar quem são os seus maus pagadores. Até porque existem, ou deveriam existir, mecanismos internos e externos nos bancos para controlar a forma como se dá crédito e a forma como são negociados.

Isto que dizer que não devemos questionar a forma como a banca dá crédito ou o renegoceia? Falso. Há casos, como os sucessivos perdões de dívida que o Novo Banco e o BCP deram à SAD do Sporting ou ao próprio clube que merecem ser escrutinados, questionados e estranhados, até porque podemos estar perante negócios moralmente questionáveis e que minam a confiança no setor financeiro.

O acordo de reestruturação

Comecemos por contar a história do início. O Sporting, como quase todos as SAD de futebol, era (é) um clube que estava falido: capitais próprios negativos, dívida astronómica à banca e violações constantes do artigo 35 do Código das Sociedades Comerciais.
Para ajudar a resolver o problema, ou pelo menos para adiá-lo, em 2011, ainda no tempo José Eduardo Bettencourt, o Sporting emitiu VMOC (Valores Mobiliários Obrigatoriamente Convertíveis em ações) no valor de 55 milhões de euros, que são instrumentos em que a banca troca dívida por um instrumento financeiro que, se não for pago, dá ao banco o direito a ficar com capital da SAD.

Como as dificuldades financeiras da SAD continuaram, no dia a 14 de Novembro de 2014, a SAD e o Clube fizeram um Acordo de Reestruturarão Financeira com o BCP e Novo Banco e consistia, grosso modo, no seguinte:

1. Renegociação dos financiamentos bancários, mediante a contratação de novas linhas de financiamento em condições mais vantajosas para o Grupo SCP;
2. Reembolso dos saldos intergrupo, designadamente da dívida do SCP à Sporting SAD;
3. Aumento de capital da Sporting SAD por conversão de dívida em paticipações da SAD à Holdimo;
4. Novas entradas em dinheiro a efetuar por investidores externos;
5. Emissão de novos valores mobiliários obrigatoriamente convertíveis (VMOC) em ações da Sporting SAD por conversão de dívida dos bancos.

No âmbito deste acordo (ponto 3), o angolano Álvaro Sobrinho passou a ser o maior acionista individual da SAD e, no âmbito do ponto 5), a SAD do Sporting voltou a emitir, em dezembro de 2014, os VMOC B no valor de 80 milhões: 56 milhões subscritos pelo BCP e 24 milhões pelo Novo Banco.

Os três perdões

Até aqui, não há nada de estranho. É uma relação entre uma SAD meio falida e dois bancos cheios de boa vontade em ajudar o clube e a quererem reaver o dinheiro que emprestaram. A estranheza começa quando, não se percebendo muito bem o porquê, BCP e Novo Banco começam a não cumprir o Acordo de Reestruturação e a perdoar dívida atrás de dívida.

1º perdão: O primeiro perdão aconteceu a 8 de janeiro de 2016, quando a banca e a SAD decidem prolongar a maturidade dos VMOC A em 10 anos, até 2026. A contrapartida foi a subida de 3,5% para 4% dos juros pagos. Neste perdão, o agravamento dos juros é claramente insuficiente para compensar tamanho alargamento de maturidade e, na negociação, foi introduzida uma cláusula de que os juros são pagos “caso a SAD do Sporting tenha lucros e distribua dividendos”. É uma espécie de, “se puderes, pagas. Se não puderes, a gente não leva a mal”.

A renegociação dava de tal forma nas vistas que, nessa altura, a Assembleia da República chegou mesmo a discutir uma petição contra esse prolongamento e o aparente tratamento desigual com que os bancos brindam os clubes de futebol e as famílias.

2º perdão: O segundo “perdão” tem a ver com o Ponto 4) do Acordo de Reestruturação. Como o Sporting, pelos vistos, não conseguiu encontrar um novo investidor para injetar 18 milhões de euros através de um aumento de capital, então o Novo Banco resolveu adiantar esse dinheiro, cobrando um juro de 1%, sim, leu bem, 1%.

3º perdão: Foi na semana passada que ficámos a saber por um artigo que Bruno de Carvalho escreveu no DN, e pelo Correio da Manhã, que os dois VMOC (VMOC A = 55 milhões e VMOC B = 80 milhões) que totalizavam 135 milhões de euros, poderiam ser recomprados pelo Sporting por 40,5 milhões, ou seja, com um desconto de 70%. Em vez de 1 euro, os VMOC podem ser recomprados por 30 cêntimos cada.
Se Paulo Futre pensava que ir buscar charters de chineses era um negócio da China para o Sporting, enganou-se. Este negócio com o Novo Banco e com o BCP é que é o negócio da China.

Reflexões e conclusão

Estes negócios ou negociatas entre o Sporting e a banca levantam várias questões, de índole moral, financeira e clubística.
Se um pobre coitado de um cliente falhar meia dúzia de pagamentos da prestação da casa, os bancos acionam de imediato a hipoteca e ele fica sem casa. É caso para recordar aquela máxima:“Se deve pouco dinheiro a um banco, o problema é seu. Se deve muito, o problema já é do banco”.

Se uma empresa não paga a tempo e horas, na melhor das hipóteses a sua dívida é reestruturada e a banca normalmente transforma dívida em capital. Por isso é que hoje os bancos são acionistas das mais variadas empresas, desde a comunicação social ao turismo. Quando não ficam com o capital, entregam-no aos fundos de recuperação como a ECS. Se é assim com as empresas, por que é que com o Sporting é diferente? Dois pesos, duas medidas.

O Novo Banco e o BCP desculpam-se, informalmente, dizendo que já tinham colocado parte do dinheiro dos VMOC como imparidades, ou seja, já tinham dado o dinheiro como perdido. Então se já o tinham dado por perdido, não deveriam executar a hipoteca e transformar a dívida em capital?
Há quem argumente que os bancos não querem forçar a conversão dos VMOC, já que a banca não tem vocação para ser acionista de um clube de futebol. Então, se assim é, por que razão aceitaram o capital de um clube de futebol como garantia de um instrumento financeiro?

O Correio da Manhã afirma que no âmbito do 3º perdão, o Novo Banco e o BCP vão poder usar os 17,5 milhões de euros que o Sporting colocou à parte, numa conta penhor, para um dia pagar esses VMOC. Então os bancos dão-se por satisfeitos por receber como contrapartida poderem usar um dinheiro que já é seu?

Sendo o Novo Banco um banco com 25% de capital público, e tendo recebido 4,9 mil milhões em 2014 e podendo receber mais 3,9 mil milhões de euros de capital contingente com dinheiro dos contribuintes, não deveria ter um maior cuidado na concessão / renegociação destes créditos? E não deveria dar uma explicação pública sobre este negócio?

Quando a Comissão Europeia veio dizer que no Novo Banco continuava a ser “concedido crédito por favor”, tal como no tempo do antigo BES, será que estava a referir-se a negócios como este do Sporting?
Conclusão: É imperdoável e inadmissível!!

AS TOUPEIRAS
Nem só o Benfica terá “toupeiras” no interior do sistema judicial português. Também FC Porto e Sporting terão elementos infiltrados na estrutura, com acesso ao programa informático Citius, que centraliza as informações judiciais na Internet.
Muitos magistrados do Ministério Público suspeitam que, além do Benfica, também o FC Porto e o Sporting têm “toupeiras” no sistema judicial, passando-lhes informações confidenciais sobre processos.

De tal forma as suspeitas são fortes que há juízes e procuradores que “não confiam no Citius” e que estão “a tentar esconder vários processos” do alcance dessas “toupeiras”. Um desses processos será o caso dos emails que envolve o Benfica e que levou à detenção de Paulo Gonçalves, assessor jurídico da SAD da Luz, e de um funcionário judicial do Tribunal de Guimarães.
Esse funcionário está em prisão preventiva, acusado de corrupção passiva, mas o MP suspeita que o Benfica terá outras “toupeiras” noutros tribunais.

O i adianta, agora, que FC Porto e Sporting terão também adeptos infiltrados no sistema judicial. Serão pessoas que, sem receberem necessariamente contrapartidas financeiras ou quaisquer benesses, estão dispostas a violar os deveres profissionais de sigilo para passarem informações privilegiadas aos seus clubes.
“É mais fácil um inspector passar informações privilegiadas ao seu clube do que a troco de muito dinheiro”, explica uma fonte ligada à Polícia Judiciária que não é identificada. “Não há explicação racional para o que é irracional”, constata, frisando que “não há hipótese de acabar com isto a não ser afastando as pessoas em causa”.

O antigo inspetor da PJ Carlos Anjos, que agora é comentador de televisão, nota no jornal o caso de Pinto da Costa, presidente do FC Porto, lembrando que foi avisado por um responsável da Judiciária do Porto de que iria ser detido, no âmbito do processo Apito Dourado, em 2004.
O i constata que há vários blogues na Internet que não se inibem de divulgar informações confidenciais sobre processos judiciais, dando a conhecer que têm acesso privilegiado a esses dados.

A situação está a gerar “mal-estar dentro do MP e da PJ”, depois de ter havido “fugas de informação que têm condicionado as investigações”.
O Correio da Manhã avançou que o caso dos emails passou a ser “tramitado fora do Citius” para “evitar fugas na justiça”. O jornal evidencia também que “são cada vez mais os procuradores e juízes que não colocam peças processuais no sistema”. “Não confiam no programa criado para unificar a Justiça”.
(Mas o que transparece para a opinião pública com a conivência da CS é que apenas o Benfica que o faz, quando se sabe que não só ou outros clubes fazem o mesmo, como jornalistas, jornais e muita gente influente consegue saber o estado dos processos em que estão envolvidos). 

A Vergonha do Volei
A novela começou com a vergonhosa inscrição deste Sporting, com o seleccionador nacional (e treinador do Sporting) a convocar jogadores, exclusivamente para poderem ser inscritos como jogadores dos Lagartos, para permitir a inscrição da Divisão de Elite, sendo que alguns jogadores já nem fazem parte do plantel, e outros foram para a bancada nesta Final...!!!

Depois um Clube falido, caloteiro, que não paga aos Bancos e fornecedores (foi ontem anunciado um vergonhoso perdão bancário de €95 milhões), com vários processos em Tribunal por falta de pagamento contra, tem um orçamento brutal em todas as modalidades, no Volei o dobro do Benfica... isto por “cima da mesa” porque também é sabido que vários atletas das modalidades andam a receber por “baixo da mesa” para fugir aos impostos!!!

Neste contexto todo a gente pensava que o Benfica não teria qualquer hipótese... mas não foi bem assim, lutámos, e com um bocadinho mais de “seriedade”, até podíamos ter ganho!!!
O jogo foi bem jogado, os jogadores das duas equipas entregaram-se e nem as pressões constantes do Chefe Maia e companhia pareciam incomodar o Benfica!!! 

Mas no Set final, duas decisões erradas, foram fatais: o 4-3 para os Lagartos devia ter sido 3-4 para o Benfica; e o 14-13 para os Lagartos, devia ter dado o 13-14 para o Benfica e respectivo Match Point!!! 
Sendo que este erro do árbitro absurdo, existiu uma claríssima “invasão”... Isto com o Violas a ser agredido a meio do Set decisivo  a ter que ser assistido... como já é habitual nos Pavilhões Lagartos: no Futsal o comportamento animalesco tem sido muito acima do aceitável!
Tenho a certeza que a mudança de cadeira do Babalu no 5.º Set, colocando-se atrás do árbitro, foi uma mera coincidência!!!

O Benfica não pode entrar em maluqueiras, espero que a escolha do treinador seja a mais acertada, e não espero uma revolução no plantel: Violas e Mrdak fizeram um final de temporada muito bom... e o Winters também...!!!

Este foi o último jogo do Professor Jardim. Obrigado por toda a dedicação e trabalho... uma vida! Como jogador e como treinador!!! Obrigado...