ALGUNS TENTARAM DIVULGAR A VERDADE E FORAM SILENCIADOS.NÓS CHEGAMOS DISPOSTOS A DENUNCIAR, SEM MEDO,O NEPOTISMO,O TRÁFICO DE INFLUÊNCIAS, O MERCENARISMO E O TERRORISMO CORRUPTO QUE A COMUNICAÇÃO SOCIAL, EM ESPECIAL A DESPORTIVA, NÃO TEM A CORAGEM DE ASSUMIR.

DIVULGA www.pulpuscorruptus.blogspot.com EM PROL DA VERDADE E COMBATE À CORRUPÇÃO!

E-Mail: pulpuscorruptus69@gmail.com

segunda-feira, 8 de maio de 2017

(A Festa Continua) A MÁFIA DA PALERMO PORTUGUESA (192)


Nalgas acusa os outros de drogados e traficantes de droga quando era ele que o fazia.

Ao minuto 1.30

http://www.dailymotion.com/video/x3bj4a9

O Canelas
A Federação Portuguesa de Futebol (FPF) emitiu hoje um comunicado em que “lamenta e repudia, de forma veemente, a agressão de que o árbitro José Rodrigues foi vítima” no jogo Rio Tinto-Canelas 2010, do Campeonato de Elite Pro-Nacional.
“A FPF contactou o presidente da Associação de Futebol do Porto, organizadora da prova em que se insere o jogo em referência, e acordou com a mesma na remessa imediata de todas as informações relevantes no mais curto espaço de tempo”, refere a nota do organismo.
Em causa estão os incidentes verificados no encontro entre o Sport Rio Tinto e Canelas 2010, da 3.ª jornada da fase de subida da Divisão de Elite da Associação de Futebol do Porto, que durou apenas dois minutos, depois de um jogador da equipa gaiense ter agredido um atleta da formação da casa e o árbitro.
A FPF “agirá para que este e todos os atos que atentem contra o desporto e a sua essência – como, infelizmente, já aconteceu esta época - sejam punidos de forma exemplar e dissuasora”.
Segundo fonte do Rio Tinto, "num dos primeiros lances da partida, o jogador Marco, do Canelas, agrediu um jogador da equipa da casa e imediatamente o árbitro mostrou o cartão vermelho", e a partir daí gerou-se a confusão.
"Depois de ter recebido a ordem de expulsão, o jogador rodeou o árbitro e agrediu-o com violência, com uma joelhada, atirando-o ao chão. Foi socorrido de imediato e ele próprio chamou o INEM para ser assistido no local, pois tudo leva a crer que partiu o nariz", esclareceu ainda em declarações à agência Lusa.
A polícia entrou em campo para serenar os ânimos, acompanhando Marco na saída do retângulo de jogo.
A FPF “apoia e incentiva a Associação de Futebol do Porto a tomar medidas para que nunca mais se vejam atos como o desta tarde” e “agradece a pronta intervenção dos inúmeros agentes de autoridade presentes no local”.
“O Conselho de Arbitragem tem acompanhado o árbitro José Rodrigues, vítima da agressão a que todos assistimos”, refere ainda o comunicado.
Contactado pela Lusa, Luciano Gonçalves, presidente da Associação Portuguesa de Árbitros de Futebol (APAF), classificou o ato como "vergonhoso" e alertou que situações como esta não devem voltar a acontecer.
"O que aconteceu é vergonhoso para o futebol e não pode voltar a acontecer. As instâncias têm que pôr mão nisto de alguma forma. Estas situações estão a passar o âmbito desportivo e têm que terminar. Porque corremos o risco que um dia apareça um árbitro morto num qualquer relvado", começou por dizer o dirigente.
Luciano Gonçalves explicou ainda que situações como esta têm sido recorrentes e que a necessidade de agir com "medidas severas" tornou-se imperativo.
"Sinto que estão a querer desvalorizar um assunto muito grave e, atendendo à gravidade das questões que têm vindo a acontecer, é necessário procurar em todas as instâncias soluções para colocar um ponto final nisto de uma vez por todas", esclareceu ainda.
Após o incidente, ficou definido que não estavam reunidas as condições de segurança para que o jogo continuasse.

“Não me lembro de o ter agredido. Foi o empurra aqui e empurra ali. Lembro-me de agarrar o árbitro, mas não sei como aconteceu aquilo. Você [jornalista] está a dizer que foi uma joelhada... talvez fosse. Se for esse o caso, eu queria mesmo pedir desculpa ao árbitro, à respetiva família e aos portugueses", contou Marco Gonçalves no domingo à SIC.
A atitude do jogador foi condenada pelo Canelas 2010, que diz que Marco Gonçalves nunca mais voltará a vestir a camisola do clube. Também a FPF condenou a agressão, incentivando a AF Porto a “tomar medidas”.

Marco Gonçalves, avançado do Canelas que agrediu o árbitro na partida com o Rio Tinto e que, por isso, foi afastado da equipa de forma definitiva, veio a terreiro criticar a atitude dos dirigentes do emblema de Vila Nova de Gaia, acusando-os de falta de frontalidade e hipocrisia.

"Arrependo-me de tudo o que aconteceu e peço desculpa ao árbitro e à sua família. Mas os dirigentes do Canelas não podem falar assim tão mal de mim porque nunca me disseram na cara que estava dispensado, assim como nunca me disseram que tive culpa em tudo o que se passou. Sou culpado e assumo, agora eles fazem-se de santinhos e atiraram tudo para cima de mim. Isso não admito. Esse senhor que falou que tenho de ser castigado é o mesmo que me disse que se tiver de foder dois ou três, para fazê-lo. Sou culpado das minhas atitudes mas não me venham tapar os olhos, seus otários", disparou o também membro dos Super Dragões.

Marco Gonçalves, recorde-se, foi ouvido ontem em tribunal e constituido arguido, ficando com termo de identidade e residência (WTF?!?!).

Testemunho de um Árbitro
É um retrato, na primeira pessoa, de um árbitro que já apitou vários jogos do Canelas 2010 e que relata o clima de intimidação que se vive em muitos dos jogos daquela equipa dos distritais da Associação de Futebol do Porto (AFP).

Sem poder dar a cara ou identificar-se para não ser alvo de um processo disciplinar por parte do Conselho de Arbitragem, este juiz de campo da AFP, habituado a fazer jogos desta categoria, revela que nada se aproxima ao ambiente que jogadores e alguns adeptos da equipa daquela freguesia do concelho de Vila Nova de Gaia constroem antes, durante e depois das partidas.

Marco “Orelhas” Gonçalves, agressor do árbitro José Rodrigues, é qualificado por este juiz de campo que aceitou falar com o PÚBLICO com a expressão… “é do pior”. Mas há vários elementos que dominam a equipa de futebol do Canelas que merecem qualificativos semelhantes – um defesa lateral chamado Isaac, o guarda-redes Chibante e, claro, Fernando Madureira, capitão de equipa, líder da claque SuperDragões do FC Porto e conhecido no mundo do futebol com a alcunha de “macaco”. “Havia outro, Bruno Ribeiro, conhecido por ‘Aranha’, mas foi detido recentemente por causa do caso de viciação de resultados com jogos do Oriental, Penafiel e Académico de Viseu”, na Operação Jogo Duplo.

Este árbitro que falou ao PÚBLICO viu as imagens televisivas da agressão ao seu colega e identificou aquilo que designa por “forma de actuação recorrente” por parte dos homens-forte da equipa do Canelas 2010. “Se reparar, o Marco começa por agredir um adversário. Face a essa agressão clara, o árbitro dirige-se para o atleta de forma a exibir-lhe o cartão vermelho e é logo abordado não pelo ‘orelhas’ mas pelo ‘macaco’. É sempre assim. É sempre ele que vem primeiro e começa com as ameaças – ‘olha que eu não seguro isto, olha que eu não aguento esta merda. Eles dão-te no focinho e depois não me venhas pedir ajuda. É melhor não expulsares’”.

Na boca deste árbitro, situações deste tipo são recorrentes. E aproveita para alertar para outro detalhe que é possível constatar nas imagens televisivas da agressão a José Rodrigues. “Se reparar, o agressor não foi logo agarrado. Mesmo com a polícia ali, a própria polícia tem consciência de que as coisas podem complicar-se. Nos jogos em casa do Canelas 2010 podem até vir pessoas das bancadas, entrarem em campo…”

Os Corruptos a caminho da insolvência
Dragões antecipam 81 milhões do acordo com o Meo No fim de dezembro, empresa tinha pago antecipadamente à sociedade 57,6 milhões de euros.
A SAD do FC Porto já recebeu, de forma antecipada, mais de 81 milhões de euros do contrato assinado com o MEO a 27 de dezembro de 2015. Parte do valor foi adiantada pela empresa de telecomunicações, tendo o restante sido negociado com dois bancos em contratos de factoring. Nas contas referentes ao primeiro semestre da temporada 2016/17, é revelado o "adiantamento no montante global de 57,6 milhões de euros do contrato celebrado com a Altice, pelo valor global de 457,5 milhões". A somar a este valor, a SAD presidida por Jorge Nuno Pinto da Costa celebrou três contratos de factoring. O de maior valor, de quase 18,6 milhões de euros, foi assinado em novembro de 2016 com o Ecotonian AG e será liquidado em "dez prestações mensais de 2,666 milhões de euros" a partir de dezembro de 2018. Este contrato foi feito com as "verbas a receber da Altice pelos direitos de TV de épocas futuras". Antes, em outubro, a SAD fechou dois acordos com o Internationales Bankhaus Bodensee. Um de 2,7 milhões e outro de 2,3 milhões. O primeiro diz respeito às "verbas a receber da Altice de direitos de distribuição do Porto Canal de épocas futuras" e o segundo de "verbas a receber da Altice de patrocínio de camisolas de épocas futuras". No total, com os três contratos, os dragões anteciparam mais 23,6 milhões. Contas feitas, a SAD recebeu 81,2 milhões adiantados. Mas nem só os contratos com a Altice foram usados para antecipar receitas de épocas vindouras. A PPTV, de Joaquim Oliveira, adiantou quase 2,3 milhões "relativos a direitos de transmissão televisiva" e o acordo com a PPTV foi usado para uma linha de factoring de seis milhões de euros contratualizada com o Novo Banco. Já o banco BIC adiantou 4,2 milhões do contrato do patrocínio da Unicer. No total, e só em factoring, os dragões anteciparam 48 milhões de euros.

OBS: Anteciparem verbas referentes a um contrato que entra em vigor apenas na época desportiva de 2018/19 é obra, especialmente atendendo aos valores, e ainda mais duas antecipações de outras duas empresas diz bem do estado em que está o clube da fruta.

O DEMAGOGO
Demagogia é um termo de origem grega que significa "arte ou poder de conduzir o povo". É uma forma de atuação política na qual existe um claro interesse em manipular ou agradar à massa popular, incluindo promessas que muito provavelmente não serão realizadas, visando apenas a conquista do poder político.
Um discurso demagógico é, por exemplo, proferido em uma campanha eleitoral com recurso a poderosas técnicas de oratória que irão sensibilizar e aliciar o eleitorado para dar o seu voto. Demagogo é a denominação daqueles que praticam demagogia.
Quando a expressão surgiu, ela não tinha nenhum sentido pejorativo, e os demagogos eram defensores da democracia, como Sólon e Demóstenes. No entanto, a expressão evoluiu na sua forma semântica depois da morte de Péricles, quando novos líderes surgiram e foram fortemente criticados pela sua forma de fazer política.
No sentido figurado, demagogia é uma prática daqueles que aparentamhumildade ou honestidade com o intuito de obter favores pouco claros. Outra forma de demagogia é um indivíduo engrandecer a si próprio para atrair o reconhecimento ou admiração dos outros.


O demagogo e o mentiroso-compulsivo

- Quando em 2012, numa Assembleia-Geral, prometeu 120 milhões de euros para investir no Sporting, hoje conclui-se, que foi somente para promover a sua aparência.

- Quando a poucos dias das eleições de Março de 2013, Bruno de Carvalho viajou até Moçambique, supostamente, para se reunir com possíveis investidores, mais uma vez, foi para dar nas vistas, e promover a sua aparência.

- Aquando das eleições de 2013, quando este prometeu que entrariam de imediato 15 a 20 milhões de euros, hoje conclui-se que foi somente para promover a sua aparência.

- Já depois de eleito, a banca quase que puxou o tapete a Bruno de Carvalho, tendo que seguir a reestruturação financeira já em curso - deixada por Godinho Lopes - para tentar manter as aparências.

- Quando se tentou passar a ideia que todos os dirigentes do Sporting de 1995 a 2013 prejudicaram o Sporting deliberadamente para proveito próprio, hoje conclui-se que foi somente para prejudicar a aparência dos seus antecessores e, de certa forma, promover a sua própria aparência.

- Quando as auditorias não concluíram nada que não se soubesse já, e mesmo assim este conseguiu através das suas demagogias expulsar Godinho Lopes de sócio, foi somente para salvaguardar a sua aparência.

- Quando ao fim de apenas 1 ano, se escreveu um livro com o título “O presidente sem medo”, foi somente para promover a sua aparência.

- Quando afirma que é o "salvador" do Sporting, é uma tentativa de promover a sua aparência.

- Quando afirmou que a bandeira de Portugal deveria ter mais verde, foi somente para cair em graça dos adeptos e tentar promover a sua aparência.

- Quando um presidente afirma algo como isto: "Funciona como aquele fenómeno fisiológico conhecido como ânus.. de onde sai vento mal cheiroso ou trampa". Mais uma vez, é uma tentativa de ser engraçado e cair em graça dos adeptos, tentando promover, pois claro, a sua aparência.

- Quando rasgou o contrato com a Doyen, e sob esse pretexto começou a promover-se à sombra de uma posição já conhecida da FIFA de Blatter, mais uma vez conclui-se que foi somente para promover a sua aparência.

- Quando através do dinheiro da Doyen apresenta um lucro inédito na história recente do clube e  se vangloria, mais uma vez, foi para promover a sua aparência (e aumentou o seu próprio ordenado para o dobro).

- Quando os sportinguistas, só através do Leaks, ficaram a saber que afinal o Sporting recorria a Caálas e mosquitos para contratar jogadores, e ainda pagava comissões; este, foi armar peixerada com o Pedro Guerra, somente para desviar atenções, e claro está, tentar salvaguardar a sua aparência. 

- Quando se empurra a questão das VMOCS, e na dita reunião estão do lado de fora uns quantos meninos rebeldes da Juve Leo, mais uma vez é a necessidade de salvaguardar a sua aparência.

- Quando um presidente toma a decisão de se sentar no banco de suplentes, e depois de um qualquer jogo, bate com o punho no peito todo eufórico, é para promover a sua aparência.

- Quando Manuel Fernandes afirmou que o Sporting comprou fracos jogadores e empatou com a pior equipa da Champions (Maribor), Bruno de Carvalho aproveitou para o humilhar através da SportingTV, tendo inclusive afirmado que estaria sempre pronto para defender os activos do Sporting (os jogadores por si contratados), tentando salvaguardar a sua aparência.

- Quando após uma derrota contra o Guimarães por 3-0, este escreve um post de facebook a colocar em causa o profissionalismo e a própria dignidade dos jogadores (os tais que ele contratou), foi somente para se colocar à margem da derrota e salvaguardar a sua aparência.

- Quando através da SportingTV expôs as divergências internas com Rojo, Slimani ou Jefferson, foi o aproveitar da situação, para tentar passar uma imagem de uma suposta liderança-forte e, assim, promover a sua aparência.

- Quando afirmou que o Sporting tem hoje uma "Champions de gestão", foi somente para tentar promover a sua aparência.

- Quando se cria um programa chamado a Hora do Presidente, todo ele é com o propósito de promover a sua aparência.

- Quando não conseguiu renovar com André Carrillo, a culpa foi do empresário e do resto do mundo, só mesmo para tentar salvaguardar a sua aparência.

- Quando não soube coabitar com o treinador Marco Silva, querendo despedi-lo a meio da época somente por razões de ordem pessoal, mandou o empresário do catering fazer o trabalho sujo, pois claro, para tentar salvaguardar a sua aparência.

- Quando tentou despedir Marco Silva a meio da época e os adeptos não caíram na armadilha de José Eduardo, tendo até recebido muitas criticas, sentiu necessidade de marcar uma Assembleia-Geral só para se sentir legitimado, tentando salvaguardar a sua aparência.

- Quando se escrevem posts de facebook, ou se dão entrevistas quase diárias, é para tentar promover e salvaguardar a sua aparência. 

- Quando disse que o Sporting conseguiu o melhor contrato de televisão e publicidade só porque "sim", "esquecendo" tudo o que envolveu os negócios de cada um dos 3 "grandes", foi somente para salvaguardar e promover a sua aparência.

- Quando se intimidam sócios que têm opinião, e se televisionam na SportingTV as Assembleias-Gerais com pouco mais de 100 ou 200 pessoas, é para salvaguardar a sua aparência.

- Quando um presidente tem monólogos de 2\3 horas nas Assembleias-Gerais só para responder a críticos internos e externos, é porque sente a necessidade de salvaguardar a sua aparência.

- Quando se criam guerras contra tudo e contra todos, é somente para agregar os sócios em seu torno, e salvaguardar a sua aparência.

- Quando se colocam cláusulas de rescisão de 60 milhões a um qualquer Tanaka e Barcos desta vida, é somente para "valorizar" o activo e promover a sua aparência.

- Quando em entrevista à RTP, afirmou que o Sporting não era conhecido internacionalmente antes de si, foi para promover a sua aparência.

- Quando afirmou que recusou 80 milhões a pronto por um jogador, foi uma tentativa (falhada) de promover a sua aparência.

- Quando afirmou que "os adversários têm que começar a dar mais luta", foi somente para cair bem perante os adeptos, e promover a sua aparência.

- Quando afirmou que "os nossos rivais tremem todos os dias", foi somente uma frase populista que caiu bem perante muitos, e assim, tentou promover a sua aparência.

- Quando afirmou "olhem bem para nós aqui em cima no 1º lugar, que daqui não sairemos mais", como sempre, foi para promover a sua aparência.

- Quando no final da época, o Sporting nada ganha, e este ordena aos seus soldadinhos do facebook para esperarem e receberem o autocarro do Sporting em clima de festa, tendo este saído para o meio desses miúdos, mais uma vez, foi para salvaguardar as aparências, depois de tudo o que se disse e que se fez.

- E ainda depois de tudo, conseguir ter a coragem de reservar no museu um espaço para o título de campeão da época seguinte é já o cúmulo do egocentrismo. 

- Quando faleceu Mário Moniz Pereira, não houve uma mobilização para homenageá-lo, ao contrário do que se fez para festejar um 2º lugar, porque convém que não se perceba que há figuras ímpares na história do Sporting, muito maiores e melhores que Azevedo de Carvalho.

- E quando se processam sócios do Sporting por terem opinião, são tentativas de amordaçar quem lhe possa apontar todas as suas mentiras e contradições, demonstrando toda a sua insegurança e completo vazio de conteúdo.

E aqui vai o remate final: quando se olha para o percurso profissional de Bruno de Carvalho e este, cheio de medo, apela em plena Assembleia-Geral para não o deixarem cair do poder por razões familiares e profissionais do próprio, todas as dúvidas do porquê de tanta propaganda em torno da sua imagem, ficam assim dissipadas!

As aparências por vezes iludem. Até um dia que todos acordarão definitivamente do sono! E ai é que serão elas!


Eduardo Barroso criticou a forma de estar e os actos de gestão de Vale e Azevedo.
Desde logo se podem fazer várias analogias com o actual presidente do Sporting:
- Aquela pose de quem acha que convence os outros das suas atoardas.
- Promessas ao nível de contratar um Rui Costa (connosco foram os investidores russos e americanos).
- O rasgar contratos com outras entidades.
- O centralismo\presidencialismo, achando que ainda tem que reformular os estatutos para ter o poder total.
- Culpar todos os males do Benfica com os 10 anos anteriores, apelidando os anteriores dirigentes e o futebol português em geral, de muita irresponsabilidade.
- A vitimização perante a comunicação social.

Fora desta entrevista, ao longo dos anos, muitos outros episódios fazem lembrar o actual Sporting. Por exemplo:
- O afirmar que era o Salvador.
- A forma como quis despedir Manuel José por justa causa. 
- Apregoava que lutava contra o "sistema".
- O corte de relações e as constantes provocações aos presidentes de Sporting e FC Porto.
- Por vezes, comportava-se como um adepto. Numa vitória por 1-4 em Alvalade, ao lado de José Roquette, a cada golo, levantava-se e festejava de forma eufórica, demonstrando falta de respeito e pouco sentido institucional.
Num outro jogo contra o Sporting em Alvalade, assistiu ao jogo no meio da claque do Benfica, festejando eufóricamente os golos do seu clube.
- O colocar-se à margem dos 7-0 em Vigo, obrigando todo o plantel, através do capitão João Pinto, a pedir desculpa aos benfiquistas numa conferencia de imprensa (ainda não havia facebook para pôr em causa o profissionalismo dos jogadores).

- Deixou o João Pinto sair para o Sporting a custo zero, por incompatibilidades (Carrillo).

Estas personalidades, por vezes, surgem na política como no futebol. Surgem sempre após momentos de crise, e os espertalhões aproveitam a oportunidade, já que o país ou a instituição estão vulneráveis a ouvirem as atoardas do primeiro aventureiro que surgir. Foi assim com o Benfica de Vale e Azevedo, foi assim como este Sporting, como foi em muitos outros casos da história da política.

Personalidades que se agarram ao poder e que tentam viver à custa do cargo, seja para conseguir dinheiro ou estatuto social. A sua politica visa sobretudo a reeleição, e não o diálogo aberto e saudável sobre o que poderá melhor servir os interesses da instituição. Logicamente, que nestas circunstâncias, quem perde é a instituição e o final da história é um rastro de destruição com as pessoas completamente divididas e a instituição muito mais pobre.

Perguntam vocês: e o Bruno de Carvalho está-se a servir do Sporting? Bem, o passado empresarial de Bruno de Carvalho fala por si. Os 10.000€ de ordenado são um luxo, e ele próprio já apelou numa Assembleia-Geral para não o deixarem cair - porque tem família e em Portugal não consegue emprego. Ou seja: ele próprio assume que está agarrado ao poder por questões que não têm a ver com o Sporting.



sexta-feira, 28 de abril de 2017

(A "Festa" Brunalgueira Continua) A MÁFIA DA PALERMO PORTUGUESA (191)


Nalgas acusa os outros de drogados e traficantes de droga quando era ele que o fazia.
Ao minuto 1.30

http://www.dailymotion.com/video/x3bj4a9

O Choro do Centralismo. Por um Grunho
“”A realidade nua e crua:
99,99% da tv, Rádio, jornais, revistas em Portugal são lisboetas.
No Porto não há massa crítica capaz de fomentar a criação de um grande grupo económico desde Porto no domínio da TV, Rádio e jornal. Enquanto isso não acontecer, falaremos sozinhos. Somos de facto um dos países mais atrasados da Europa. Quem pode modificar isto? Difícil. Quando 33% das pessoas do Grande Porto são do Benfica, ficaremos sempre a falar sozinhos.

O centralismo cria numa criança o hábito de escutar apenas a TV e a Rádio de Lisboa. Só há um sotaque na TV nacional: o lisboeta. Décadas e décadas de centralismo, graças aos políticos de merda locais eleitos para a Ar, permitiram uma aglutinação de hábitos lisboetas pelo país. Até o nome do pão nos supermercados em Portugal só usam as designações da cidade Lisboa. Até no Porto chamam Carris aos STCP. Até no Porto chamam linha do Norte à uma linha que só nos liga ao sul. A falta de identidade das regiões, a ausência de massa crítica nos diferentes áreas do saber, a ausência de acesso à TV e Rádio fora de Lisboa, levou à Lisboetizacao do país e à perda de gosto pela sua terra. O futebol não pode fugir à está realidade é por isso sofremos na pele a falta de voz. O Bernardino Barros tem que ir a Lisboa para estar na TVI.

A TVI no Porto tem um apartamento, tipo t3 que apenas serve de vez em quando para colocar alguém sentado à falar para Lisboa. Por exemplo, em Lisboa a TVI tem no mínimo 10000 metros quadrados de estúdios de tv. Assim, cada vez mais pequenos ficaremos. A culpa é de gerações de portugueses que permitiram tamanho centralismo. A todos que contribuíram e contribuem para o centralismo, ide pro car@lho. José Caos - Rio Tinto.

Ambiente Pidesco nos Lagartos
O ex-presidente do Conselho fiscal e Disciplinar do Sporting, Jorge Bacelar Gouveia, não poupa quem rodeia Azevedo de Carvalho na entrevista que deu ao Diário de Notícias.

Ora vejamos:

"Essa "ligação estreita" (Nota nossa, a André Ventura, paineleiro afecto ao Benfica), como diz, foi objecto de intervenções que não me agradaram porque, a partir de certa altura, ia recebendo comentários e inquirições de dirigentes intermédios do Sporting questionando o grau de proximidade que tinha com esse comentador, ao que eu respondia sempre com a verdade das coisas, mas sentia que essas perguntas tinham, na sua essência, uma suspeita inadmissível quanto à minha lealdade e ao meu sportinguismo. E, a partir desse momento, comecei a encarar
a minha continuidade no CFD de outra maneira. (...)

(...) Isso começou a partir de Setembro, Outubro, em que várias pessoas, num ambiente "pidesco" desagradável, me questionaram...

(...) Estou a falar de dirigentes intermédios, que me perguntavam, em tom "pidesco", o que é que eu tinha com esse comentador. Até logo me recordei, a esse propósito, que o presidente da Assembleia Geral é amigo de Luís Filipe Vieira. Costuma jantar ou almoçar com ele... bem, talvez agora já não possa...
Aqui tem de haver bom senso e o mínimo de respeito. Uma coisa são as nossas relações académicas, profissionais e privadas, outra coisa são as nossas relações institucionais e de lealdade.
Portanto, a partir do momento em que essas pessoas, agindo por conta própria ou não...(...)

(...) Esse ambiente foi muito desagradável e eu não podia tolerar isso. Não podia continuar com a minha lealdade sob suspeita.(...)

Mas disse mais à pergunta do jornalista do DN "Houve mais episódios de desconforto?"

Houve sim.
O primeiro foi logo ao princípio quando o Dr. Bruno de Carvalho desejou apresentar aos sócios as contas consolidadas do clube. E ele pediu aos membros do CFD um termo de confidencialidade para terem acesso às contas da SAD no âmbito da reestruturação financeira.
Houve alguns membros do CFD que não assinaram e eu achava que não tinha de assinar porque, tendo sido eleito, a minha legitimidade democrática directa dispensaria qualquer tipo de assinatura.
E eu estou à vontade nestes procedimentos porque já fiscalizei segredos bem mais importantes - quando fui eleito pela Assembleia da República presidente do Conselho de Fiscalização do Sistema de Informação da República Portuguesa - e nunca assinei qualquer documento de confidencialidade para ter acesso a segredos de Estado.
Não era no Sporting que ia assinar...

Então, não assinou?

Acabei por assinar porque considerei que se não o fizesse iria gerar uma perturbação muito grande e estávamos no início do mandato.
Por uma questão de paz interna, pensei que devia assinar e assinei.
Já mais tarde, outro episódio que não correu muito bem foi uma tentativa - felizmente frustrada - de fazer uma alteração estatutária (e da qual o CFD só teve conhecimento pela leitura das atas) que tinha como uma das medidas o absurdo de retirar o poder disciplinar ao Conselho Fiscal e transferi-lo para o Conselho Directivo.
Isso, além de ilegal e inconstitucional, seria gravíssimo porque violaria a separação de poderes. A entidade que administra um clube não pode ser a entidade que pune os seus associados.
Se essa medida tivesse ido para a frente, o Conselho Fiscal teria ficado sem o poder disciplinar. E, na altura, houve mesmo alguns membros do CFD que puseram em cima da mesa a sua demissão imediata.
Ainda bem que foi algo que se resolveu rapidamente e tornou-se uma medida esquecida e espero que esquecida se mantenha para sempre.

E como geriu essa situação com Bruno de Carvalho, já que não houve uma comunicação entre órgãos?

O CFD e eu próprio ficámos preocupados porque nos disseram que o CD tinha aprovado essa proposta de alteração estatutária.
Foi assim que soubemos e a partir desse momento pedimos acesso às atas para saber o que lá estava porque ninguém me tinha dito nada. E ficámos muito espantados com essa alteração estatutária a ser proposta em Assembleia Geral e na qual o Conselho Fiscal deixaria de ser "Disciplinar"."

A Cartilha denuncia o que a CS escondeu
Operação Fenix – BDC em Tribunal
No âmbito da operação Fénix, em que são arguidos Pinto da Costa e Antero Henriques por ligações às máfias da noite no Porto, o presidente do Sporting foi chamado a tribunal por ter usado os serviços de segurança ilegais e com ligações perigosas ao mundo do crime.
A contratação desses Seguranças para escoltar e proteger BdC nas deslocações ao norte é um facto rpovado.
BcD afirma que não foi da sua responsabilidade a contratação desses suguranças da SPDE, uma empresa ilegal.
Terá que ser o Tribunal a apurar a responsabilidade de BdC neste caso.
Tendo começado por negar o uso de seguranças, BdC quando confrontado com as fotografias do tribunal, BdC rodeado de 4 seguranças, não conseguiu manter a versão inicial e afirmou, “não me lembro”.
No Tribunal de Guimarães, uma testemiunha, ex-vice-presidente do Núcleo do Sporting do Norte, portanto um sportinguista, afirmou que foi BdC que trouxe seguranças pessoais que até nem deixavam chegar as pessoas aproximar-se de BdC.

Os testemunhos em tribunal contrariam a versão oficial de BdC que diz, “não saber quem contratou aqueles seguranças”.
Os responsáveis do evento no Solar do Norte garantiram em Tribunal que não contrataram qualquer serviço de Segurança.
Há um facto concreto e provado pelo Ministério Público, o presidente do Sporting usou o serviço de Seguranças de uma empresa ilegal.
Ou seja, cometeu o mesmo crime de quesão acusados os Arguidos Pinto da Costa e Antero Henriques. Para quem faz de conta que veio para limpar e regenerar o futebol é mais uma nódoa no role de contradições de BdC.

Operação Jogo Duplo – Aprisão de um elemento de topo dos Superdragões:
Um elemento da estrutura de topo dos SD, Bruno Mendes, foi preso por viciação de resultados e corrupção activa.
Este elemento é conhecido como alguém muito próximo de PC e da direcção do Porto e era um dos membros dos SD que escoltava o presidente do Porto ao tribunal de Gondomar durante o processo AD.
A máquina de intoxicação do Porto está a fazer tudo para plantar na opinão pública a ideia que o elemento preso era alguém menor na claque portista e completamente desconhecido da direcção do Porto.
Há até gente que finge não saber o nome do preso.

A Cartilha Lagarta
Tanta conversa com a maneira como os comentadores do Benfica se organizam que agora também é revelado aquilo que qualquer um de nós já sabia. O Sporting também tem uma ‘cartilha’ para os comentadores afetos ao clube usarem nos programas televisivos.
Inicialmente reunião-se no restaurante Edmundo. Depois de se ter feito ruído em relação a isso, passaram a ter reuniões ao domingo e à segundo no camarote presidencial com Bruno de Carvalho e Nuno saraiva que se apresentava de calcinha de ganga

Há cerca de 30 endereços de email que recebem as tais informações. Entre os comentadores cujos emails estão na lista, estão José Eduardo, Eduardo Barroso, Dias Ferreira, Fernando Mendes, José Pina, Paulo Andrade, Carlos Severino, Hélder Amaral, Daniel Oliveira e até o Núcleo Sportinguista da Assembleia da República, entre outros. Pina por vezes até recebe whatsapps em directo assim como Fernando Mendes e Diogo Orvalho (quando substitui o Pina).
A informação mais épica é que se fale “em todos os programas de forma repetida” sobre dois temas: Peyroteo e o número dos campeonatos do Sporting. O líder leonino anexa a capa do jornal do clube e reafirma que são 22 títulos em vez dos 18, que são defendidos pelo Benfica.
No final das cartilhas, o dirigente garante disponibilidade para responder a “dúvidas adicionais” ou temas “não focados”, quer por “email, SMS ou telefone”.

Nalgas de Carvalho tenta colher para si algo que não é seu
O Tribunal Arbitral do Desporto (TAS) confirmou a interdição da propriedade por parte de terceiros (TPO ou Third Part Ownership) dos passes dos futebolistas decretada pela FIFA, no âmbito do litígio entre esta e o clube belga RFC Seraing.

Acto continuo, Azevedo de Carvalho assume a decisão como uma vitória, mais que do Clube, sua, pessoal, mais uma vez ajudado pelos "malandros" da Comunicação Social que propositadamente tentam correlacionar o caso com o diferendo Sporting/Doyen.

Acontece que o caso, pouco ou nada tem a ver com o caso Doyen.

Na verdade, o que esta decisão confirma é a sanção ao clube belga imposto pela FIFA em Setembro de 2015 pelo incumprimento da regra que interdita o TPO, aprovada e entrada em vigor a 1 de Maio de 2015. Nesta deliberação de Maio a FIFA estabelece que "A interdição entrará em vigor a 01 de maio de 2015", sendo que "os acordos já existentes devem ser mantidos até à sua expiração contratual" e que "os novos acordos assinados entre 01 de Janeiro e 30 de Abril de 2015" estarão limitados à duração máxima de um ano.

Ou seja o caso com a Doyen, não só não está coberto por esta norma, como também não tem absolutamente nada a ver com a guerra contra os fundos mas apenas e só com o incumprimento e quebra de contratos e obrigações estabelecidas pelos mesmos. E nesse caso, já foi proferida sentença, da qual não há recurso, na qual fomos condenados a pagar além das custas do processo, o valor em falta acrescido de juros, tendo por isso a UEFA cativado as nossas receitas das participações nas suas provas. Acontece também que a conta continua a avolumar-se por ainda não ter sido dada a ordem de liquidação da divida.

Obviamente, que todos concordaremos que, da maneira que estavam a acontecer, os TPO eram um cancro para o futebol, muitas vezes desvirtuando a verdade desportiva. E nunca foi por defender isso que Azevedo de Carvalho foi criticado. Mesmo que inflado de uma importância que nunca teve e assumindo o transporte vanguardista de uma bandeira que nunca foi sua (a FIFA já discutia o TPO há anos), nunca foi a critica ao modelo dos TPO que provocou as reacções de desaprovação ao que se fez no das Doyen. Foi sempre a quebra das responsabilidades e obrigações societárias do Clube. Inverter isto, é apenas mais uma das pós-verdades que foram repetidas à exaustão pela propaganda.

Mas, ainda assim, convém perceber a fragilidade dos princípios de Azevedo de Carvalho que em Dezembro de 2016 assina protocolo com a Traffic (de que a foto acima é prova), empresa que esteve no centro do escândalo de corrupção da FIFA, investigada, e em alguns casos já sentenciada, sobre fraude, lavagem de dinheiro e corrupção nos últimos 24 anos e que tinha na sua estratégia fundamental de negócio o TPO, sendo percussora também nos novos esquemas para contornar esta proibição e que passam pela posse ou controle de Clubes e/ou SAD's, desenvolvendo aí o mesmo tipo de negócios em rodízio (semelhante ao que acontece neste momento com Bruno Paulista que ninguém percebe a quem efectivamente pertence).

Paulo Pereira Cristóvão
Paulo Pereira Cristóvão, emobra não seja flor que se cheire, respondeu às afirmações do presidente do Sporting, Bruno de Carvalho, nas redes sociais, onde o seu nome é referido.

«1º Fui no dia de hoje confrontado com mais um post escrito na página do senhor bruno azevedo de carvalho, onde, após anunciar em título que iria chamar "os bois pelos nomes" discorre uma teoria conspirativa sobre dois sócios do clube, um dos quais sou eu. 

2º É unicamente nessa circunstância que publicamente dou resposta aquele empregado do meu clube do coração de há mais de quatro décadas e meia e sempre com quotas pagas, ao contrário do citado empregado azevedo de carvalho. 

Sobre o alegado mail que ali o senhor azevedo "denuncia" não tenho qualquer dúvida sobre a falsificação do mesmo mas para isso concerteza que o senhor Dr. Joao Paiva dos Santos, porque é o visado directo, dará a resposta que melhor achar adequada a um deslumbrado hipócrita que faz do Sporting a sua quinta e que encontrou neste emprego a resolução de muitos dos problemas financeiros mas, seguro que estou do que afirmo, a breve trecho encontrará o resultado do que tem andado a fazer em verões passados. 

3º Na verdade, a sua "idoneidade" pessoal e profissional anteriores a este emprego já aconselhavam a cautelas redobradas, receios que se vieram a confirmar com os motivos que impuseram e impõem uma auditoria de gestão profunda. Nao querendo antecipar o que aí vem fica a consciência tranquila de quem, ao contrário do senhor azevedo, nunca viveu às custas do Sporting ou se auto-aumentou em mais de 10 vezes por mês em relação ao parco vencimento que auferia antes das funções para as quais foi eleito. 

4º Fica também desde já assente que, pelo que lemos no tal post, resultam evidentes as razões pelas quais o anterior presidente do conselho fiscal abandonou funções. O senhor azevedo confunde o poder executivo com o poder que fiscalizador e é por isso que se dá ao desplante, qual Erdogan da Quinta das Conchas, de "mandar" o CF expulsar este e aquele sócio.
 
5º O Sr. azevedo padece de um síndrome obsessivo-compulsivo em manter o seu modo de vida e para isso fará literalmente tudo o que puder para não o perder. Inclusive difamar, falsificar, inventar, mentir e ser o hipocrita permanente que realmente é.

6º Entendo que neste momento estão mais que reunidas as condições para que o Sr. Azevedo de Carvalho, atentas às comprovadas e reiteradas infrações disciplinares, seja ele próprio alvo de um processo disciplinar que eventualmente resulte na sua expulsão de sócio do clube e no afastamento das funções que, por inerência exerce.
Para tal irá ser, no mais curto de espaço de tempo possível, elaborada a competente participação, não só disciplinar mas também, nos casos em que assim a Lei determinar, aos tribunais civis, atento os factos apurados que configuração ilícitos penalmente relevantes.
Pretendo assim não baptizar qualquer boi mas sim responsabilizar quem deve ser responsabilizado pelos actos que têm vindo a cometer. 

7º Por último, refiro que compreendo o afã do senhor azevedo em afastar do clube todos aqueles que não obedecem à linha do "pensamento único", o tal pensamento que lhe permite auferir os elevados ganhos que aufere sem qualquer inspecção apurada. No entanto, e agora a ele me dirijo porque a coragem de falar olhos nos olhos ficou no seu tio-avô, muito provavelmente será primeiro ele expulso de sócio do clube do que eu.

Os 10 Mandamentos do Nalgas, que ele não cumpre
1. Que nenhum sportinguista tenha um comportamento de verme ou terrorista em nenhuma circunstância;

Ao cuspires e mandares à merda todos os que não são do Sporting, é só por si suficiente para quebrar este mandamento? O que é afinal um comportamento de verme ou terrorista?

2. Que a estupidez fosse irradiada do mundo;

Sempre era da forma que não tínhamos um imbecil que há 4 anos anda a dizer que "os adversários têm que dar mais luta" e que inclusive, no início desta época, deu-se ao ridículo de colocar uma vitrina vazia aguardando o próximo título nacional. Haverá mais estupidez que isto? Provavelmente, porque para ti não há limites!...

3. Que as pessoas deixassem de contribuir, comprando ou vendo, para meios de comunicação social sem credibilidade;

Exacto, faz como o Vasco.

4. Que nunca seja invadido pelo vírus da hipocrisia;

Hipocrisia?! Sabes o que isso é? Enquanto sportinguista percebi isso quando não tiveste tomates para dar a cara quando quiseste despedir o Marco Silva a meio da época. Aliás, quem pagou os 10.000€ de indemnização ao Marco Silva? Foi o Zé dos tachos ou este sempre foi buscar mais algumas comissões para não meter a boca no trombone?

5. Que os comentadores dos outros clubes deixassem de falar sobre o Sporting pois se não tiveram a sorte e o bom gosto de ser deste clube não têm nem conhecimento nem moral para falar sobre o mesmo;

Mas tu e o sem-pescoço dedicam mais comunicados ao Benfica do que ao nosso clube. Mas enfim, bardamerda para os comentadores!...

6. Que uns continuem a mandar areia para os olhos do mundo que o Sporting continuará a somar vitórias nas propostas de alteração profunda do futebol como o vídeo-arbitro e os fundos. Estas alterações vão trazer cada vez mais verdade desportiva, transparência, credibilidade e dignificação do futebol;

Atirar areia para os olhos é fazer de conta que tu é que te lembraste do vídeo-árbitro e que é uma luta recente iniciada e vencida por ti! Fundos? Onde anda o Bruno Paulista do Recreativo de Cáala?... Para dignificares o futebol tinhas que ter um comportamento de homem, e não de uma criança mimada que se for preciso cuspe num outro presidente e ainda manda o restante mundo do futebol para a bardamerda! Aceita mas é a auditoria que um sócio se disponibilizou para pagar!

7. Que ninguém se ache acima da lei pois todos acabam por cair um dia;

E vais cair Azevedo, e vais cair... E por falar nisso, lembrei-me do célebre "não me deixem cair porque tenho família para sustentar". E agora ainda tens a Ornelas para dar de comer... Mas vais cair e na história do Sporting vais te resumir à insignificância que és!

8. Que os sportinguistas se informem pelos meios e plataformas do clube;

Sim filho, os Vascos já sabem...

9. Que quem me quer colocar uma mordaça saiba que conheço as leis pelas quais tenho de responder e sei bem o que significa liberdade e democracia;

Mas processaste sócios do Sporting Clube de Portugal por darem as suas opiniões na internet, numa tentativa de amordaçar quem não seja carneiro! Processos em nome do clube, com advogados e custos em nome do Sporting para simplesmente satisfazer os teus caprichos de menino-mimado. Claro que não ganhaste um único processo, mas conseguiste o que na prática era o teu objectivo: pôr na linha o famoso Governo-Sombra de 6 pessoas que se multiplicam em 100 que tanto tem assombram!...

10. Que cada vez que conheço mais o futebol, mais agradeço a Deus ser do Sporting! 
Que Deus tenha misericórdia de ti, seu demónio de trazer por casa!

(No blogue “Por Um Sporting Fiel aos Seus Pergaminhos”)