ALGUNS TENTARAM DIVULGAR A VERDADE E FORAM SILENCIADOS.NÓS CHEGAMOS DISPOSTOS A DENUNCIAR, SEM MEDO,O NEPOTISMO,O TRÁFICO DE INFLUÊNCIAS, O MERCENARISMO E O TERRORISMO CORRUPTO QUE A COMUNICAÇÃO SOCIAL, EM ESPECIAL A DESPORTIVA, NÃO TEM A CORAGEM DE ASSUMIR.

DIVULGA www.pulpuscorruptus.blogspot.com EM PROL DA VERDADE E COMBATE À CORRUPÇÃO!

E-Mail: pulpuscorruptus69@gmail.com

segunda-feira, 22 de agosto de 2016

(Nalgas, O Trafulha) A MÁFIA DA PALERMO PORTUGUESA (169)

 Da série, “Um Sportinguista sem palas”.
Afinal era tudo Treta
Quando Bruno de Carvalho "aterrou de pára-quedas" no futebol português, desde logo tentou passar uma imagem de "revolucionário". Quase de imediato, cortou relações com o FC Porto, e com o passar do tempo, incompatibilizou-se com tudo o que são clubes e instituições do futebol.
Tudo isto com aquele propósito de tentar passar aos sportinguistas a imagem de uma suposta "liderança-forte". Somente isso. É essa a conclusão a que chego, já que a realidade tem chocado de frente com a alegada luta pela transparência.

Vejamos:
Costa Aguiar, que passou das carnes para o futebol. Talvez se deva ao empreendedorismo de Bruno de Carvalho em promover baixos/médios empresários... Quero acreditar que é isso.

Bruno de Carvalho promoveu uma luta contra os fundos, porque alegava haver dinheiro sujo que não se sabia qual era a sua origem. O curioso, é que nunca nos chegou a explicar a origem do dinheiro que prometeu dos fundos russos e dos fundos americanos...
E qual a origem do dinheiro do Mosquito? O Recretivo de Caála já dá mais garantias de transparência?

Há umas semanas atrás, o Correio da Manhã falou em 2 milhões mistério relacionados com a trânsferencia de Montero.
Bruno de Carvalho teve a oportunidade de se explicar perante as câmaras da Sporttv, mas preferiu despachar o assunto para o facebook. No texto que escreveu, nada explicou. Somente se vitimizou.
É curioso que uma personalidade que processa antigos dirigentes, sócios, jornalistas, e até comentadores, não tenha colocado um processo ao Correio da Manhã...

Assim como é curioso que Bruno de Carvalho tenha afirmado que os autores do Leaks seriam todos presos. Os tais que denunciaram quase todas as suas contradições. E na volta, ainda foi "gozado"...

Na campanha eleitoral de 2013, uma das promessas para o futebol do Sporting era que a base da equipa seria a formação e que a contratar jogadores, essas aquisições seriam meramente cirúrgicas. Os tais jogadores experientes que entrem de caras no onze.
Isto está no programa eleitoral de Bruno de Carvalho. É só uma questão de pesquisarem.

E quando Bruno de Carvalho assumiu a presidencia, na prática, o que aconteceu? Trouxe Augusto Inácio para o Sporting e com a sua colaboração e cumplicidade, desbarataram milhões em dezenas e dezenas de pérolas ao nível de Ivan Piris, Mauricio, Vítor Silva, Gérson Magrão, Héldon, Shikabala, Rabia, Rossel, Slavchev, Tanaka, Sacko, Gauld, Enoh, André Geraldes, Everton Gonçalves, Hugo Sousa, Matias Perez, Welder, Sarr, Dramé, Gazela, King, ou Sambinha.
Jogadores que nada evoluiram até ao momento. Ryan Gauld Bruno Paulista até já assumem publicamente que de certa forma foram enganados.

Como referi, durante 2 anos contrataram-se jogadores daquela "qualidade". Leonardo Jardim e Marco Silva não tiveram sequer direito a dar uma opinião.
E a maior prova disso, é a conferencia de imprensa de Dezembro de 2014, em que Bruno de Carvalho passa o recado a Marco Silva, de que os reforços de inverno seriam precisamente os Slavchevs, os Rabias, os Gaulds, os Sackos, etc... Autenticas nulidades como jogadores, e que mais tarde, Jorge Jesus desprezou completamente.

E por falar em Jorge Jesus. Como Jorge Jesus não é um treinador em inicio de carreira e de baixo-perfil, naturalmente que com ele as "brincadeiras" acabariam.
Augusto Inácio foi imediatamente afastado de Alcochete!

Augusto Inácio esse, com algum passado como treinador, e que foi até campeão pelo Sporting em 1999-2000. Em vez de sair do Sporting e dar continuidade à sua carreira de treinador, preferiu continuar em Alvalade como relações-internacionais, quando nem inglês sabe falar...
§§O que prende Augusto Inácio a Bruno de Carvalho, ou vice-versa?

É também em Augusto Inácio que mais uma vez, Bruno de Carvalho entra em nova contradição. Relembro que Bruno de Carvalho criticava os fundos, os empresários, e inclusive os comissionistas.

Vocês sabiam que Augusto Inácio foi treinador de um clube romeno chamado Vaslui? Sabem o disse o director-geral do Vaslui na hora em que Augusto Inácio foi de lá corrido?

Ora recordemos este comunicado de 2012:
«O Vaslui respondeu aos comentários do treinador Augusto Inácio, proferidos após ter sido despedido recentemente do emblema romeno. O diretor-geral do Vaslui, Daniel Stanciu, concentrou a resposta em comunicado, enviado para A BOLA.

"As declarações públicas de Augusto Inácio foram uma surpresa para mim. Com todo o respeito pelo futebol português e as pessoas que trabalham na área, as suas opiniões são uma má publicidade para todos os treinadores, não apenas na Roménia, mas em toda a Europa. Devo mencionar que em cinco meses em que trabalhou no Vaslui, ganhou muito mais do que Vítor Pereira numa temporada inteira no FC Porto, apesar de não ter o mesmo sucesso, nem ter conquistado qualquer troféu, embora estivesse ao comando de uma forte equipa e com forte apoio financeiro", aponta aquele responsável do Vaslui, especificando:

"Augusto Inácio desviou-se da atividade de treinador, mas revelou-se um agente de jogadores excecional. Ficou aborrecido por nos termos oposto à transferência de alguns jogadores da 2.ª Liga de Portugal, que custariam ao clube centenas de milhar de euros, ou de atletas livres, dos quais os seus agentes pediam comissões exorbitantes. Transferimos jogadores que ele pediu, mas não pelo valor proposto, dos quais os emails de negociação servem de prova. Daquilo que tomamos conhecimento pelas pessoas envolvidas, ele definia os preços e, também, estabeleceu os cortes nos ganhos."

Relativamente a este tema, Daniel Stanciu recorda um episódio:

"É bem conhecido um incidente num hotel do Porto, quando ele e um agente português tiveram uma acesa discussão, testemunhada pelo agente de jogadores Gaspar [Freire], pelo antigo futebolista Ioan Timofte e o presidente da Olhanense. Haveria muitas mais coisas a dizer, mas tenho algum pudor em referi-las." »

Bruno de Carvalho que entrou no Sporting com um passado empresarial que ainda hoje pouco ou nada se conhece. Do pouco que se conhece, conclui-se que não passou de um aventureiro com a mania que era empresário. Em 2011 o Correio da Manhã chegou a escrever isto.
Não surpreende assim, que Bruno de Carvalho queira ter o poder absuluto no Sporting querendo-se perpeturar no poder, sentido até a necessidade de perseguir anos e anos de dirigismo do Sporting com autenticas falácias inventadas por ele próprio, e também com uma obcessão doentia pelo facebook, chegando a processar sócios e a fazer dessa plantaforma o alvo dos seus longos monólogos nas Assembleias-Gerais.

Quanto a Augusto Inácio, faz pela vida. É público que a sua vida não está fácil,
(Augusto Inácio, diretor para as relações externas do Sporting integra a lista de devedores ao Fisco. A informação é avançada pelo Correio da Manhã, que revela que o dirigente leonino se encontra no escalão de dívidas entre 100 mil e 250 mil euros.
Questionado sobre esta situação, Inácio recusou fazer comentários e remeteu para as suas declarações de 2014, quando reconheceu tratar-se de uma "dívida antiga" que estava a "ser paga mensalmente". Paralelamente, o clube escusou-se a tomar qualquer posição neste tema, considerando-o "um assunto pessoal" de Augusto Inácio.)

Tornando-se assim um "cão de fila" de Bruno de Carvalho. O mesmo Inácio que apregoa que defende o Sporting no programa Play-Off da SIC, mas que em 2010, numa entrevista ao Correio da Manhã, afirmou que o Sportingnão era o seu clube e que não teria qualquer problema em trabalhar no Benfica ou no FC Porto.

Ver gente que idolátra deuses de pé-descalço, e que por vezes dão a sensação que confundem o clube com essas personagens, a mim ofendem-me no meu sportinguismo. E é isso que me custa.

Três anos de Bruno de Carvalho, e três anos de frases que só "abasteceram" o "Ferrari" do Benfica para atingirem o seu tricampeonato 39 anos depois.

Recordemos algumas:
“É importante os nossos adversários começarem a dar mais um bocado de luta.”
“Estamos em 1º e quero desejar-lhes boa sorte e que vão olhando bem para nós porque não vamos sair do 1.º lugar"
"No Sporting mudei tudo. Lá não mudou nada, (...) mas o cérebro não está lá!".
"Mau colega... Treinador... Como não o qualifico como treinador, não me considero mau colega. Para ser treinador tem de ser muito mais... Fi-lo sair da toca. Ele tem de se assumir. Para treinar o Benfica tem de se assumir. Para conduzir um Ferrari tem de ter andamento para ele",
“Era fácil pôr o Rui Vitória deste tamanhinho, mas não o vou fazer por respeito".

Na época passada, Marco Silva recusou-se a alinhar nas patéticas estratégias de Bruno de Carvalho e este foi achincalhado em público e tudo fizeram para encontrar um qualquer pretexto para o despedirem. Foi caluniado por José Eduardo, mas como não resultou, foi necessário continuar a tentar queimar a sua imagem perante os adeptos.

O inenarrável Eduardo Barroso chegou a afirmar que a Taça de Portugal não salvaria coisa nenhuma.

Mas esta temporada, num ano que o Sporting andou a fazer um frete na Liga Europa em que perdeu com o Skenderbeu por 3-0 dando primeira vitória de uma equipa albanesa nas competições europeias; e que na Taça da Liga perdemos e fomos eliminados por um Portimonense da II Liga; o facto do Sporting ter feito uma boa pontuação no campeonato, é só por si motivo para festejar.

Ontem à noite, até a página do presidente desapareceu. O mesmo presidente que na derrota contra o Benfica em Alvalade, amuou e deixou treinador e jogadores a dar a cara perante os adeptos, enquanto que este "fugiu" imediatamente para o balneário.
É nas horas de adversidade que os lideres se revelam. E mais uma vez, Bruno de Carvalho demonstra que não tem perfil para ser o líder do Sporting!

E depois de tudo o que se disse e sucedeu, ter a "lata" de se aproveitar da ingenuidade dos miúdos e da falta de juízo de alguns graúdos; e apelar a que estes fossem receber a equipa como se de um título de tratasse; é de facto "a cereja em cima do bolo", parafraseando Jorge Jesus.
A irresponsabilidade de apelar a uma imagem de clube "pequeno" e acima de tudo, a irresponsabilidade de expor os adeptos a confrontos físicos com adeptos do Benfica - que naturalmente, estavam por todo o lado.

O Sporting comprava resultados, diz o Croata
A um dia do duelo com Portugal, estalou uma autêntica bomba na Croácia a envolver o nome de Portugal. Miroslav Blazevic, técnico que deixou os bancos em 2014 e que teve uma longa carreira - desde 1968-, acusou o Sporting e a Seleção Nacional de terem "comprado" os árbitros em duelos em que formações por si orientadas estiveram presentes. Blazevic diz mesmo sentir ódio dos portugueses...

"Por que razão haveria de aconselhar, se não me pediram? Mas vou dizer-te aqui que odeio Portugal. Um sentimento que começou em 1982, quando jogámos contra o Sporting e eles compraram os árbitros num jogo com o Dínamo Zagreb. Derrotaram-nos, num jogo em que nos anularam dois golos limpos e eles seguiram em frente na Taça dos Campeões. Depois, já enquanto selecionador da Bósnia, (a seleção) comprou o jogo também. Compram tudo e todos, não são justos. Não têm desportivismo", acusou Blazevic, em declarações ao jornal sérvio 'Kurir'.

No caso do Sporting, Blazevic, de 81 anos, refere-se a um duelo da 1.ª ronda da Taça dos Campeões de 1982/83, no qual os leões reverteram uma derrota por 1-0 trazida do reduto do Dínamo Zagreb e venceram por 3-0. Quanto ao jogo da Seleção Nacional, o antigo selecionador bósnio aborda os encontros do playoff de apuramento para o Mundial 2010, que Portugal venceu com um agregado de 2-0.
“Disse a verdade. Se tiveram tomates, que venham cá e digam-me na cara que não compraram o jogo!"

Jorge Gonçalves assume corromper árbitros
O antigo presidente do Sporting Clube de Portugal assumiu em declarações à BOLA ter corrompido árbitros durante o período em que liderou os leões.
«PAGUEI A ÁRBITROS PARA FAVORECEREM O SPORTING”” in A bola magazine, n.º128/ Janeiro de 1998.

O CHINÊS
1977/78, o FC Porto apurou-se para a final da Taça de Portugal. O outro finalista era o Sporting.
A final foi um jogo muito quente, com uma arbitragem escandalosa, e ficou marcada por um penalty polémico, favorável ao Sporting, que foi convertido por Menezes. Tendo o jogo terminado empatado (1-1), foi necessário disputar-se uma finalíssima, no dia 24 de Junho de 1978, arbitrada pelo senhor Mário Luís de Santarém.
Com uma arbitragem idêntica ao que era (é!) HABITUAL nos jogos em Lisboa contra o Sporting, e que validou um golo irregular à equipa leonina, o FC Porto perdeu por 1-2. No final do jogo, Seninho, o autor do golo portista, diria o seguinte:“O ÁRBITRO ENTREGOU A TAÇA AO SPORTING”.

Mas o mais escandaloso estava ainda para vir. Menos de 48 horas depois da finalíssima, o Sporting partiu para uma digressão à China. Qual não foi o espanto quando se constatou que integrados na comitiva sportinguista, e vestidos com um fato à medida igual ao dos restantes elementos, iam dois... árbitros!
Porém Luís de Leiria e, nada mais nada menos, que MÁRIO LUÍS, o árbitro da finalíssima, a partir daí conhecido como o “CHINÊS”.

O ROUBO DO SÉCULO. O XINÊS VOLTOU A ATACAR
No dia 22 de Agosto de 1981 iniciou-se o campeonato nacional de 1981/82 com um Sporting - Belenenses em Alvalade numa quente noite de verão.

Estive lá nessa noite e nunca esquecerei o maior roubo deliberado de arbitragem de que tenho memória em Portugal.

O árbitro foi o já falecido Mário Luís de Santarém (O XINÊS) que tinha integrado a comitiva do Sporting à China após ter arbitrado a final da Taça da época anterior em que descaradamente beneficiou o Sporting em desfavor do Porto.

Quem ainda se lembra desse jogo deve recordar-se do «banho-de-bola» que o Sporting levou durante todo o jogo. DJÃO inaugurou o marcador aos 25m
Como o Sporting não reagia, o árbitro Mário Luís (o XINÊS) decidiu intervir e, entre mil e umas pequenas faltas sempre em favor do Sporting, decidiu inventar um penalty contra o Belenenses a 4 minutos do intervalo. Jordão converteu e fez o 1-1 sem que o Sporting tivesse feito algo para o merecer. Antes do penalty já tinha anulado mais um golo limpíssimo a Djão por um pretenso fora-de-jogo inacreditável quando Djão estava uns bons 4 metros antes do último defesa sportinguista! As imagens na TV também não deixaram margem para dúvidas sobre isto. Ao intervalo por protestos, o árbitro expulsou Cepeda que era suplente.
Na segunda parte o jogo não se alterou e o Belenenses continuou a criar oportunidades atrás de oportunidades.
Até que mais uma vez Djão tem uma arrancada sensacional pela direita, cruza para finalmente MOISÉS acertar na baliza de um ângulo muito difícil. Era o 1-2 aos 76m e o jogo parecia sentenciado tal a supremacia azul e a incapacidade leonina.

Mas qual quê?! A 4 minutos do fim Alhinho protege com o corpo uma bola que vai a sair pela linha de fundo já dentro da área e Manuel Fernandes sem qualquer hipótese de lhe chegar atira-se para cima do defesa e deixa-se cair agarrando a bola. Para surpresa geral o "vendido" Mário Luís assinala o segundo penalty a favor do Sporting! Mais uma vez por protestos o «árbitro» expulsa outro jogador azul, Pinto da Rocha.

Jordão converteu de novo fazendo o 2-2. Na sequência do golo Alhinho agarra a bola para queimar algum tempo devido à inferioridade numérica e M. Fernandes dá-lhe um pontapé por detrás. Mário Luís expulsa M. Fernandes, Alhinho e Padrão! Este último tinha-se envolvido em discussão com o avançado do Sporting pela agressão a Alhinho.

O Belenenses terminou o jogo com dois jogadores a menos e com Baltasar na baliza. Apesar disso o resultado final manteve-se nos 2-2.

O escândalo gerou forte controvérsia durante muito tempo e o Belenenses emitiu um comunicado denunciando a arbitragem e a nomeação deste árbitro mas nada se alterou apesar do ex-árbitro Adelino Antunes ter desmascarado totalmente este verdadeiro «roubo do século» comentando as imagens televisivas.
Alfredo Farinha em "A Bola" escreveu sobre o segundo penalty: "Não vimos nada que se parecesse, mesmo remotamente, com um penalty".

Mário Luís após muito interpelado pelos jornalistas uns dias depois do jogo disse, "Irei à China com quem me convidar".
ESCANDALOSO PENALTY A FAVOR DO SCP
Palavras para quê? Um penalty inventado a dar a vantagem no marcador ao Sporting no jogo com o Belenenses. É que nem há falta…..e o contacto é tão fora da área!”. (Record)

O CASO MANACA
O campeonato de 1979/80 aproximava-se do fim e, quando faltavam apenas dois jogos, o Sporting e o FC Porto seguiam empatados na liderança. Na penúltima jornada, enquanto o FC Porto recebia em casa o Boavista, o Sporting tinha de ir a Guimarães, 6º classificado numa das deslocações mais difíceis.

Os jogos realizaram-se no dia 25 de Maio de 1980, com início à mesma hora, e ao Sporting bastava-lhe obter o mesmo resultado do FC Porto. Quando, aos 28 minutos, Frasco marcou para o FC Porto, em Guimarães ouviu-se um burburinho nas bancadas mas, apenas 8 minutos depois, Manaca marcou um auto-golo que deu a vitória ao Sporting nesse jogo.
Nos balneários, houve mesmo uma cena de pugilato entre o autor do auto-golo e um seu colega de equipa, Tozé, com este a acusá-lo de se ter “vendido”.

DONATO RAMOS
No dia 2 de Janeiro de 1993, o Sporting tinha uma deslocação difícil ao Estádio da Mata Real onde, na época anterior, a de estreia do Paços de Ferreira entre os grandes, perdera por 1-0. O Sporting ganhou por 3-0, mas no fim do jogo estalou a polémica: Jaime Cardoso, chefe do departamento de futebol do Paços de Ferreira, acusou o seu congénere Juca de ter entregue presentes escondidos em sacos de plástico à equipa de arbitragem chefiada pelo viseense Donato Ramos.
O árbitro confirmou a recepção de "insignificantes máquinas fotográficas", mas disse que deixava a arbitragem se o caso desse lugar a algum castigo. Uns dias depois, a 7 de Janeiro de 1993, foi instaurado um processo disciplinar ao Sporting, por suspeita de aliciamento ao árbitro mas, apesar de ter ficado provada a oferta, não houve qualquer tipo de sanção e o processo foi arquivado.

PAULO PEREIRA CRISTÓVÃO CONDENADO A QUATRO ANOS E MEIO
27/5/2016
O antigo vice-presidente do Sporting e ex-inspetor da PJ foi condenado a quatro anos e meio.
A juíza disse que “a prova é inequívoca” e sentenciou: quatro anos e meio de cadeia, para Paulo Pereira Cristóvão. Em causa, o pagamento de dois mil euros, depositados numa conta no Funchal, ao árbitro assistente José Cardinal para um jogo com o Marítimo para a Taça de Portugal de 2011. O também ex-inspetor da Polícia Judiciária criou, ainda, uma lista de árbitros e de observadores, com os respetivos números de identificação fiscal, identificação bancária, rendimentos, titularidade de bens móveis e imóveis e identificação do cônjuge.

Os Lagartos nojentos e o Torino
Quando aconteceu o desastre de Soperga em Maio de 1949, um trágico acidente de avião que matou toda a equipa de profissionais e treinadores do Grande Torino, a melhor equipa de Itália na época e uma das melhores da Europa, que tinha ganho vários campeonatos de Itália seguidos, o Torino teve de jogar com os juniores nas competições em que entrou no ano seguinte.
O que fizeram os seus adversários dentro e fora de portas? Jogaram também com as suas equipas de juniores contra eles, por uma questão de fair play e em atenção à grande tragédia que se tinha abatido sobre o clube.
Com uma única excepção: na Taça Latina o Sporting jogou com os seniores!
(Denunciado na BTV)

Lagartos, a escumalha de Portugal
Lagartos Vergonhosos
Sandro, médio brasileiro que esteve perto de assinar pelo Sporting, acusou este sábado os leões de má-fé no que respeita à maneira como decorreram os testes médicos, nos quais alegadamente reprovou por problemas no joelho.

"Os clubes conseguem tratar os jogadores como se fossem carne. Não os tratam como pessoas. O futebol é isto: os clubes tratam-nos como se fôssemos um produto", começou por dizer ao jornal "The Sun".

O brasileiro contou depois como decorreram os exames em Portugal: "Tinha a sensação de que não esperavam que eu fizesse testes médicos, porque quando cheguei ao hospital e as coisas não estavam prontas. Os jogadores não têm de trazer o seu próprio equipamento para fazerem testes médicos. A seguir era a parte de verificarem o meu corpo mas foi incrível: só viram o meu joelho direito. Perguntei se não iam ver o outro e disseram-me que estava tudo bem, mas eu sabia que não".

A mudança de posição dos leões foi rápida: "O clube disse que o meu joelho não estava bem. Passados 10 minutos, o meu agente ligou-me e disse-me que ofereciam metade do salário, mais bónus. A última coisa que o meu empresário disse foi que eu não ia querer ir para um clube como aquele. Era suposto assinar por quatro anos, por isso disse que o faria apenas por dois. Mas eles apenas queriam cortar no salário. Tudo fez sentido: porque haviam de ver apenas um joelho e não todo o corpo a não ser por não me quererem comprar?".

Sandro afirmou que ainda é afetado pelo episódio atualmente e acusou o Sporting de ter feito um caso semelhante com Lucas Silva: "Senti-me muito mal. Como é que um clube faz isto a um jogador? Andaram a brincar comigo e isso não é justo. O que fizeram não só me afetou naquele dia como ainda me afeta atualmente. Não consegui assinar com o WBA e outros clubes porque eles viram as notícias. Uma semana depois de o Sporting me fazer isto, fê-lo também com o Lucas Silva. Disseram que ele tinha um problema cardíaco. Um dia depois regressou a Madrid e estava bem. Isto mexe com a vida das pessoas".

Sandro, de 27 anos, pertence ainda ao Queens Park Rangers, com quem tem contrato por mais uma temporada e procura agora manter a forma até encontrar uma solução para o seu futuro.

terça-feira, 26 de julho de 2016

(Também há Lagartos sem Palas) A MÁFIA DA PALERMO PORTUGUESA (168)


Conflitos de Bruno Carvalho com o CM
Bruno de Carvalho sempre tentou de tudo para amordaçar quem pensa pela sua cabeça e que, naturalmente, poderá ser perigoso para a sua própria agenda.
Ora são processos contra sócios, ora são horas de discurso em AG a falar de facebook, ora inventa parvoices como o Governo-Sombra, ora mete um exército de crianças no facebook a chatear as pessoas; e inclusive, chegou a processar o comentador Pedro Marques Lopes (processo já vencido pelo conhecido portista).
Ele à partida até sabe que não irá ganhar em tribunal, mas é uma forma de amordaçar os restantes criticos.

Mas é curioso, que no que toca ao CM, simplesmente manda os seus soldadinhos ir à net e debitar ódio só porque sim.
Não digo que o Correio da Manhã não tenha fama de "pasquim" por culpa própria, mas será que dizem sempre mentiras?

Se dissessem só mentiras, não seria fácil a Bruno de Carvalho processar o CM, com a mesma facilidade com que processa personalidades com menor poder mediático?
Provavelmente, porque tem a noção que processar o CM não faria com que o Jornal se calasse - tal como fez com José Socrates. Porque tem a noção que perderia mais um processo com a mesma facilidade com que afirmou que os autores do Futebol Leaks seriam todos presos...

Assim, tal como o que o CM noticiou sobre José Socratés, ficamos sempre com aquela pulga atrás da orelha em relação a Bruno de Carvalho.

1.
Bruno de Carvalho manteve um conflito com o clube leonino pela utilização da marca ‘Centenário Sporting’. Em 2006, quando os leões comemoravam o ano do centenário do clube (foi fundado em 1906), foram confrontados por Bruno de Carvalho que tinha a marca ‘Centenário Sporting’ registada em seu nome. O actual candidato à presidência tinha então fundado o site www.centenariosporting.com. O clube – que operou uma enorme campanha publicitária e criou novos símbolos – pretendia utilizar as palavras ‘centenário’ e ‘Sporting’, mas Bruno de Carvalho mostrou resistência e tentou tirar proveitos da marca que tinha registada. Uma coisa é certa: a palavra ‘centenário’ acabou substituída pelo número 100. Aliás, só mesmo a intervenção do departamento jurídico do clube permitiu resolver a situação sem recurso a um longo litígio nos tribunais. Ernesto Ferreira da Silva, presidente da Comissão do Centenário do clube, lembrou ao CM a "existência de um conflito de marcas", mas que foi um assunto que lhe passou ao lado, por ter sido entregue ao departamento jurídico. Apesar da insistência do Correio da Manhã, não foi possível obter uma reacção junto do candidato Bruno de Carvalho.

2.
Empresa deve mais de 630 mil euros. De acordo com um relatório de uma empresa de informação de risco financeiro a que o CM teve acesso, uma das firmas de que Bruno de Carvalho é sócio deve 634 276 euros a quatro credores. Segundo o documento, o principal credor da Polibuild - Construção Civil Lda., em que o candidato à presidência do Sporting detém uma quota de 2500 euros, 50% do capital, é a Prelumiar – Imobiliária Lumiar, que reclama créditos no valor de 561 933 euros. Contactado pelo CM, Bruno de Carvalho nega, categoricamente, esta informação. "Esses dados estão incorrectos e ao contrário. Existe uma dívida, sim, mas dessa empresa [Prelumiar – Imobiliária Lumiar] para com a minha e por valores mais altos do que aqueles que referiu." E acrescentou: "Não sei de que forma isso contribui para ajudar o Sporting ou para evitar empates com o Rio Ave." O relatório diz que os outros credores da Polibuild são a Canon Portugal, que reclama 1646,12 euros, a Electro Profissional, Instalações Eléctricas, 67 544,44 euros, e Maria Helena & Filha, 3152,97 euros. O candidato à liderança do Sporting é sócio de mais duas empresas, Soluções Atelier, com um capital de 3500 euros num total de 5000 euros, e da Soccer Fans, em que detém a totalidade do capital, no valor de 5000 euros. Nestas empresas, não se registam quaisquer incidentes com credores. Anteriormente, Bruno de Carvalho foi sócio de outras cinco empresas, sendo que numa delas, a Nuclimater, Lda., detinha metade do capital social. Esta sociedade, diz o relatório, tem dívidas reclamadas no valor de 238 270,26 euros, mas não se sabe se foram contraídas ainda com Bruno de Carvalho como sócio. Na empresa Bruno Carvalho II, em que o candidato detinha duas quotas, de 40% e 10%, dissolvida em Julho de 2009, há também registo de uma dívida de 4470,20 euros, reclamada pela Optimus.

3.
Bruno de Carvalho viveu a noite madeirense intensamente na véspera do jogo com o U. Madeira (domingo, derrota por 1-0). Antes de se ter envolvido em desacatos na discoteca Vespas, no Funchal (que obrigaram à intervenção da polícia e resultaram num ferido ligeiro), o presidente do Sporting ganhou fãs ao corresponder aos muitos pedidos de fotos. O líder leonino desfrutou da sua enorme popularidade, e não só junto de adeptos do Sporting. No Facebook, o próprio líder leonino contou como foi parte da sua noite: "Precisam de notícias bombásticas, cá vai uma sugestão: presidente do Sporting convive com adeptos de clubes rivais, pois sempre que confrontado com um pedido de fotos de dezenas de pessoas que diziam não ser do Sporting nunca recusou e até conviveu com elas", escreveu, negando ter-se envolvido em confrontos. Bruno de Carvalho em desacatos na noite do Funchal Esta terça-feira, esses adeptos partilharam os momentos nas redes sociais. Sempre com um sorriso, Bruno de Carvalho acedeu a todos os pedidos.

4.
Sporting informou Tribunal Federal da Suíça que não tem dinheiro. O Sporting fica em risco de não poder pagar os salário aos jogadores, e a outros funcionários do clube, se for obrigado a liquidar já os 12,7 milhões de euros à Doyen, no caso Rojo, a que foi condenado pelo Tribunal Arbitral do Desporto (TAS). Esta conclusão consta no recurso à decisão do TAS que o clube de Alvalade enviou para o Tribunal Federal da Suíça, no dia 22 de fevereiro. No documento, em que também foi pedido (e recusado) o efeito suspensivo da condenação no TAS, os representantes dos leões sublinham que a situação do Sporting se deteriorou a partir de 30 de setembro de 2015 (a equipa foi eliminada da Champions em agosto) e apontam um défice de tesouraria de 10,1 milhões de euros em 30 de junho. O clube informou ainda o Tribunal Federal suíço de que a reestruturação financeira que acordou com BCP e Novo Banco impede que sejam feitos empréstimos junto de outras instituições financeiras. Além disso, o Sporting vincou que 50% dos lucros das vendas de jogadores que ultrapassem os 8,4 milhões devem ser usados para pagar aos bancos. E estimou em 25,5 milhões o valor da venda de jogadores para poder pagar os 12,7 milhões de euros à Doyen. No recurso está ainda escrito que os 7,5 milhões obtidos em prémios da UEFA em 2014/15 vão igualmente ser utilizados para reembolsar os bancos.

As Tácticas Negociais do Babalu
Diziam hoje fontes do mercado de jogadores que empresários do futebol tem andado a tentar contactar BdC sem sucesso que depois das declarações deste sobre Slimani leva a entender que há interesse do presidente deixar cair a ideia de venda/compra para lá do dia 30 de Junho e exigir a clausula que entender, poderá é não haver quem queira dar e Slimani, nesse caso, como se sentiria? Feliz da vida?
Todos os jogadores já estão a vislumbrar o método de negociação que pode equacionar o seu futuro...
Com Carillo foi igual, as pretensões deste estavam à um ano em cima da mesa de BdC tentando (disseram pessoas próximas de Cedric) fintar o jogador com clausulas adicionais e tácticas semelhantes, depois deu o que deu.

Se João Mário fizer um bom europeu e BdC não se dispuser a melhorar consideravelmente, estará aí uma guerra para durar contaminando muita estimativa.

O Grande Negociador Lagarto
Quando Dier foi chamado a renovar contrato, depois de um ano no banco em detrimento de um tal de Mauricio, foi proposto contrato com clausula de renovação de 45M o que foi prontamente recusado pelo jogador, pois entendeu que era uma cláusula extremamente elevada e desajustada face ao salário que lhe era proposto, o jogador efectuou uma contraproposta em que a cláusula de rescisão seria de 20M, proposta recusada pelo Presidente da Administração da SAD, sendo transmitido ao jogador que apresenta-se uma proposta para ser transferido pois entrava no ultimo ano de contrato.
Após um ano no banco de suplentes, em detrimento de um jogador da qualidade de um XERIFE como foi apelidado pela carneirada, em que o seu valor não foi reconhecido pela casa de o formou durante mais de 10 anos, se temos aceitado a contraproposta do jogador, hoje estava em Inglaterra pelos 20M, ato de gestão danosa.

A famosa CULTURA DE EXIGÊNCIA:

1º Caso Carrillo, mais um que não foi valorizado dentro de portas, onde a renovação deveria ter sido colocada em cima da mesa no dia em que Carrillo deixou 5 defesas alemães do Shalke para trás e entregou a bola ao Nani para encostar no fundo da rede, estávamos em Novembro de 2014, na epoca 2014/15 foi o jogador mais influente da equipa, suplantando estatisticamente o tão amado Nani, eis que na Gala Anual o prémio do jogador do ano foi para o WCarvalho que esteve uns furos a baixo em relação ao rendimento da época anterior. Mais uma vez não conseguimos discernir e valorizar o que temos dentro de portas.

2º Caso Dier.

3º Caso Danilo, jogador pedido por JJ, substituto natural de WC que se apresentou lesionado no inicio de época, o que nos custou a ida à Liga dos Campeões, basta recordar o sub-rendimento de Adrien naquela posição e o sofrimento na 2ª parte em Moscovo, mais 12M a voar.

4º Rafa, do Freamunde para o Braga, foi o 1º defeso da actual direcção e estava dado o tiro de partida, jogador que escolhe o Braga em detrimento do Sporting.

5º Cervi, enviar para a Argentina um advogado mandatado para fechar um negocio que para o técnico é um reforço prioritário é de amador, veja-se o caso de presidentes de outros clube, em raides pela china e america, questões da equipa de futebol são os próprios a tratar ou mandam MANDATARIOS!?, aqui somos bons é no banco de suplentes e a acompanhar a equipa nos estágios.

6º Labyad, 3 anos para despachar um engodo e nada...atesta a capacidade de arranjar parcerias no mercado de transferências.

7º Ryan Gauld, Slavchev, Sacko, Cissé, Jonathan Silva, Rossel, e por ultimo o emprestado da Caala, Bruno Paulista...tudo somado deve dar 15M para o lixo, lá se vai a mais valia do Slimani...

Comentário de adepto lagarto
por Trinco, em 16.06.16
Depois dos €50M dos russos, dos €70M milhões dos americanos (cortesia do "representante da ONU" Baptista da Silva) eis que são atirados mais €80M, recusados por um jogador em Janeiro. E nem se trata de uma "invenção" jornalística, ou ironia em relação a uma venda de um rival (como cheguei ontem a ler). Foi mesmo discurso directo e há até a prova em formato video. E nem sequer era uma oferta com letras pequenas e objectivos difíceis de alcançar. Era a pronto!
Antes de mais, acreditar que alguém chegue ao Clube, na vigência das contratadas clausulas de rescisão e apresente uma proposta equivalente a 33% acima da mesma, é de uma ingenuidade assustadora. E não sei se será mais assustador a desfaçatez de quem o afirma ou a cegueira de quem o aceita acriticamente. Como ainda pior é verificar que quem tinha €80M em Janeiro, não tenha tido €60M agora antes da mesma clausula expirar e continuar a acreditar.

Mas uma vez afirmado pelo próprio (e repetido na meia hora do presidente no canal do regime sem explicação alguma tirando a habitual verborreia), a declaração ganha força de verdade e é sobre ela que se tem que avaliar as coisas. E assim sendo, esta recusa é má gestão. Sob qualquer prisma. Não é má, é péssima. E já que Azevedo de Carvalho gosta tanto de tribunais, não se podendo aplicar o Artigo 235º do código penal referente a Administração danosa por este só ser referente a empresas públicas, relembro-lhe o Artigo 235º referente a Infidelidade que refere que:

1 - Quem, tendo-lhe sido confiado, por lei ou por acto jurídico, o encargo de dispor de interesses patrimoniais alheios ou de os administrar ou fiscalizar, causar a esses interesses, intencionalmente e com grave violação dos deveres que lhe incumbem, prejuízo patrimonial importante é punido com pena de prisão até três anos ou com pena de multa.

Não há um jogador que seja, no plantel do Sporting que valha esta recusa. Nenhum. E estes €80M significariam a possibilidade de alavancar uma estabilidade económica sem precedentes nos últimas décadas de Clube, algo que está longe de ser irrelevante. Poderia permitir, apostas desportivas mais ambiciosas a partir dessa mesma estabilidade. Assim, é um nada que de nada nos serve, a não ser como tiro falhado numa pré-campanha aflita que já leva 6 meses, mesmo com declarações (isto ontem foi fértil) de não estar minimamente preocupado com elas...
Já no ano passado se recusaram €12M (não, não foi o jogador a recusar) por um jogador em rota de colisão (Carrillo), inclusive com referencias jocosas ao clube que se viria a tornar campeão inglês (Leicester).
Entretanto, no mesmo período da pretensa oferta, despacham-se jogadores relevantes (Montero) para o mesmo objectivo assumido como razão para a recusa (€5M nas contas de cá, €7M nas informações de lá, no que ao que parece é tactica comissionoista para continuar), contrata-se um jogador de 27 anos com uma dezena de minutos nesta época para ama de companhia de outro, contrata-se outro da mesma idade, que passou o ano a ser suplente do suplente por €2M depois de ter sido oferecido livre há um ano, havendo uma alternativa de valor proveniente da formação e vário entulho contratado desde 2013, a uma média de €10M por ano gastos, para o mesmo sector (Paulista, Slavchev, Rosel, etc).
Deve ser um novo conceito de excelencia e rigor!

P.S. Se isto, em conjunto com a reclamação da revisão da contabilidade dos titulos que hoje até sai à estampa no jornal do Clube, com as visitas guiadas aos velhacos dos jornalistas, às obras no estádio e academia a lembrar a mais anacrónica politica de fachada praticada por essas autarquias e não só afora já tem mão da nova direcção de comunicação, estamos fortes..."muita" fortes!
Recusou 80 milhões em Janeiro por um jogador cuja clausula são 30 milhões (Slimani).
E os ofertantes agora em Junho não voltaram cá podendo fechar o negócio por 30 milhões !!!!!!!!!!
Como dizia o grande Jô Soares:
- Tem pai que é cego
eheheheheheheheheheheheheheheheheh

OCTÁVIO: «As aquisições estão a ser feitas cirurgicamente, em silêncio, sem grandes alaridos. É bom saber que muitos jogadores querem vir para o Sporting, algo que não acontecia no passado. Os jogadores sentem que aqui podem valorizar-se e participar na Liga dos Campeões, onde queremos estar sempre. O SPORTING, NESTE MOMENTO, ESTÁ NO CENTRO DO FUTEBOL MUNDIAL, foi o Sporting que mexeu com o futebol português», salientou o diretor para o futebol profissional dos leões, em entrevista à televisão do clube.

O Benfica terminou a sua participação europeia com a eliinação frente ao Bayern Munique. Os encarnados acabam na 6ª posição.
O Sporting acaba em 39º lugar.

BRUNO DE CARVALHO: «Queremos lutar por todos os títulos nacionais e fazer uma campanha europeia que comece A MOSTRAR DE NOVO A NOSSA DIMENSÃO EUROPEIA AO MUNDO», traçou o presidente dos leões, em entrevista à Sporting TV, realçando que uma «CONQUISTA EUROPEIA NESTAS TRÊS TEMPORADAS» seria muito importante para o clube.

O SKENDERBEU, UMA NOITE ÉPICA PARA O FUTEBOL ALBANÊS. ANALISANDO TODAS AS VITÓRIAS DE EQUIPAS ALBANESAS EM TODAS AS PROVAS DA UEFA, ESTE TRIUNFO POR 3-0 FOI A TERCEIRA MAIS VITÓRIA DE SEMPRE DE UMA FORMAÇÃO ALBANESA.
Melhor, só perante adversários malteses.

BRUNO DE CARVALHO: "Se o Sporting não tivesse objetivos tão bem definidos e tão bem traçados, em JANEIRO PODIA TER VENDIDO UM JOGADOR, POR 80 MILHÕES, A PRONTO. Não interessa qual seria o jogador. O Sporting não está obcecado por fazer grandes vendas. o Sporting não está obcecado em fazer grandes vendas; o Sporting tem um plano desportivo económico e financeiro muito bem definido. Sabemos o que queremos. Há prioridades. A primeira era a estabilidade financeira: adquirimos; a seguir, é a conquistas desportivas.", disse.

Corrupção, diz ele
Carta Aberta de Domingos Carneiro
Numa carta dirigida ao Presidente do Conselho de Justiça da Federação Portuguesa de Futebol, Juiz Conselheiro Manuel Santos Serra, e tornada pública pela rádio TSF bem como no nosso site, o advogado que foi afastado do organismo por ter contra o perdão no caso Slimani e relembra que foi o unico dos sete membros da Comissão de Disciplina.
“Voto de vencido, aliás, que, em meu entender, viria a funcionar como causa próxima para a minha não inclusão na lista de 20/04/2016, encabeçada pelo Dr. Fernando Gomes e candidata aos órgãos sociais da FPF, 2016/2020”, escreve o ex-vogal.

«Como é sabido, e resulta dos autos, dos sete membros que compõem o Conselho de Disciplina, um houve que votou vencido: EU! Voto vencido, aliás, que, em meu entender, viria a funcionar como causa próxima para a minha não inclusão na lista de 20/04/2016, encabeçada pelo Dr. Fernando Gomes e candidata aos órgãos sociais da FPF, 2016/2020.

Decidi enviar a carta ainda na qualidade de dirigente desportivo, de modo a que se alguém ligado ao movimento federativo se sentir atingido pelas palavras possa, querendo, recorrer à Justiça Desportiva.

À luz das leis e regulamentos que regem a Justiça Desportiva na FPF, é por demais evidente que a solução proposta pelo Relator do Acórdão de 8/4/2016, é tudo menos uma decisão baseada na Lei e nos Regulamentos. É, antes uma deliberação de política desportiva, determinada por 'atendismos'».

Para Domingos Carneiro, este é “um processo com contornos nunca antes vistos”, cuja decisão, além de “um verdadeiro escândalo é tudo menos uma decisão baseada na Lei e nos Regulamentos”.
“É, antes uma deliberação de política desportiva, determinada por “atendismos”; É uma deliberação, com cuja proposta o Conselho de Disciplina foi confrontado, de supetão, em violação das normas constantes do Regimento do Conselho”, prossegue.
O ex-vogal considera, ainda, que o processo “não salvaguardou, entre outros princípios, o da integridade da competição e da transparência de procedimentos”, o que levou a que o Conselho de Disciplina e o Conselho de Justiça fossem “achincalhados por alguns dirigentes – felizmente poucos – com interesse no processo, sem que a mais alta figura do Futebol Português (Presidente da FPF) diga o que quer que seja, sendo caso para dizer, que falta de liderança onde sobra gestão”.

O Ditador
Da série, “Um Sportinguista sem palas”

“Trabalho na área de ciência política e relações internacionais e as similaridades existentes entre a comunicação de Bruno de Carvalho e a comunicação de regimes oligárquicos ou mesmo ditatoriais são assustadoras. Estamos perante um verdadeiro método de propaganda dirigida para um homem que apresentada (novamente) assustadores tiques ditatoriais, que nos trás à memória várias personalidades que tiveram no culto de imagem uma ferramenta para se eternizarem ao poder. Embora essencial para alguns, qualquer regime oligarca ou ditatorial sabe que o culto do líder não chega para hipnotizar as massas. É preciso acrescentar a componente do medo. E caso haja um estado de guerra, mais fácil se torna manipular ou amansar as gentes.

Hoje vemos a diabolização do passado do Sporting e as constantes injecções de medo pela possibilidade de regressar a este, que é completada pela máxima de que BdC é a única solução para o Clube. Surgiu como Cristo na terra para salvar o Sporting, e só esta liderança pode trazer sucesso. Além de dar o mote sobre a ideia do passado, o medo é também utilizado como arma para silenciar quem ousa criticar o regime, no caso do Sporting através de processos internos ou judiciais e tentativas de humilhação na praça pública. Como polícia política, para assegurar que a “lei” é cumprida e que os infractores são punidos, temos uma facção de adeptos brunistas que prefere acreditar no populismo enquanto solução (maioria jovens), juntamente com os dirigentes ao serviço do ego presidencial (destaque para o execrável Jaime Marta Soares). E para terminar, a ideia de guerra lançada ao Sporting pelo mundo inteiro (alguns inimigos já definidos e outros a definir consoante a conveniência) serve para arregimentar as tropas e as massas à volta da causa e permitir rotular como traidor os que não se revêem nesta. A tão importante divisão entre bons sportinguistas e maus sportinguistas.

Em relação à utilização dos meios de comunicação do Clube, lembro também o destaque dado à frase de BdC na capa do Jornal Sporting depois da vitória na Taça CERS de 2015 em hóquei em patins, com direito a "lettering" antigo, quem sabe para substituir a mítica frase de José de Alvalade. http://jornais.sapo.pt/desporto/4621@2015-04-30

PS: Concordo com a crítica feita aos que podem denunciar as mentiras que alicerçam esta propaganda. Ninguém quer ver a sua imagem arrastada na imundice que saí da boca de BdC, mas espero que a dada altura a responsabilidade sportinguista fale mais alto.