ALGUNS TENTARAM DIVULGAR A VERDADE E FORAM SILENCIADOS.NÓS CHEGAMOS DISPOSTOS A DENUNCIAR, SEM MEDO,O NEPOTISMO,O TRÁFICO DE INFLUÊNCIAS, O MERCENARISMO E O TERRORISMO CORRUPTO QUE A COMUNICAÇÃO SOCIAL, EM ESPECIAL A DESPORTIVA, NÃO TEM A CORAGEM DE ASSUMIR.

DIVULGA www.pulpuscorruptus.blogspot.com EM PROL DA VERDADE E COMBATE À CORRUPÇÃO!

E-Mail: pulpuscorruptus69@gmail.com

domingo, 30 de outubro de 2011

(Os Vizinhos da 2ª Circular) A MÁFIA DA PALERMO PORTUGUESA (30)

O Sporting (2)      

Ser Sportinguista é freudiano (Miguel S. Tavares)
Para um sportinguista é doutrina assente que, se o Sporting não é campeão, digamos a cada 3 anos, é porque os árbitros não deixam. E esta “verdade” não é discutível.
Em minha opinião, o Sporting entrenta um futuro negro: a prazo não muito distante poderá mesmo vir a extinguir-se como clube de referência no futebol poruguês: a falta de sustentabilidade.
Aceitar esta realidade, esta morte lenta não é fácil. É mais do que compreensível que os sportinguistas não se habituem facilmente à ideia de terem ficado irremediavelmente para trás na corrida do futuro. E daí esta obsessão com as arbitragens, este delírio de calimeros, que mais não é do que um reflexo freudiano de fugir à realidade e encontrar um factor alheio, um inimigo externo, que os impede de serem quem eram. O delírio foi levado tão longe que se transformou numa cultura do clube numa condição natual de um sportinguista. O sportinguista começa a contestar o árbitro ainda antes de o jogo começar, começa a assobiá-lo aos dois minutos de jogo e, se não triunfa, já se sabe que o culpado único é o homem do apito. Quando fala de futebol, o sportinguista diz sempre “o Sporting, o clube mais perseguido pelas arbitragens” e já nem se preocupa em justificar porquê ou sequer em convencer quem quer que seja dessa verdade adquirida. Não importa que lhes lembrem as tantas outras vezes em que o Sporting é beneficiado, que lhes lembrem que muitos dos árbitros que tanto contestam até são conhecidos por serem sportinguistas (pelo contrário, ainda desconfiam mais), ou que lhes lembrem o pífio desempenho internacional dos leões. (…)
E, quando manifestamente já nem a arbitragem serve como desculpa então surge a revolta interna – contra jogadores, treinador, dirigentes e até um presidente acabado de tomar posse a quem, seja lá como for, o milagre instantâneo de inventar um equipa de campeões sem dinheiro nem sócios nas bancadas.
Testemunho
«Paguei a árbitros para favorecerem o Sporting, como pagaram os dirigentes de quase todos os clubes e situações houve em que o adversário pagou mais do que eu”.

Jorge Gonçalves in A Bola magazine, Janeiro de 1998.


"Godinho Lopes, ex-vice presidente, do Sporting e ex da "holding" do clube de Alvalade, recentemente eleito Presidente do Sporting foi um dos dois homens detidos na segunda-feira de 18 de Março de 2002 pela Polícia Judiciária (PJ) por suspeita de corrupção e administração danosa no alojamento em navios durante Expo-98.
A notícia foi avançada pela Lusa, citando fonte ligada ao processo.
Godinho Lopes e Januário Rodrigues foram suspeitos de terem desviado cinco milhões de euros, tendo sido por isso detidos pela Direcção Central de Investigação da Corrupção e da Criminalidade Económica e Financeira (DCICCEF), no âmbito da operação "Barca Bela".
(Jornal "Público" de Março de 2002).



"Filipe Soares Franco, o presidente do Sporting Clube de Portugal, é alvo de dois processos por burla, abuso de confiança e infidelidade.
O processo corre termos no Tribunal Judicial da Comarca dePonta Delgada, nos Açores, estando em causa cerca de 1,5 milhões de euros, supostamente relacionados com a venda de um terreno pertencente a família Borges Coutinho.

Para já, o processo ainda está em fase de inquérito, mas o líder leonino já terá sido ouvido e até constituído arguido."

In www.jn.pt 2009-02-21



.

Já para não falar nas recentes detenções de membros da Juve Leo por tráfico de droga. Tendo-se confirmado que foi também a Juve Leo a incendiar a sede dos No Name Boys.


Testemunho

O Sporting também foi muito “apoiado” pela autarquia Lisboeta, levou dez milhões e mais terrenos, imóveis e autorizações para construção em grande escala nos terrenos à volta do estádio.

Para não faltar “cash”, a EPUL mudou a sua sede para um dos edificios do clube onde esteve seis anos e onde pagava 700 mil euros por ano, isto é dois mil euros/dia. A EPUL que constrói casa por tudo quanto é sítio precisou de arrendar uns escritórios por uma renda milionária!!!

Comentário do Sportinguista Daniel Oliveira
"Porque o Porto não é um adversário. É, com a bonomia e ausência de ódio que o futebol exige, o que de mais próximo há de um inimigo. Contra o Benfica move-nos o futebol. Contra o Porto move-nos a civilização contra a barbárie. Os portistas não são nem melhores nem piores do que os outros. Mas a sua direcção é de natureza diferente. Move-se pelo tráfico de influências, a batota e métodos inaceitáveis num Estado de Direito. Baseia a sua paixão num bairrismo provinciano, que se mistura facilmente com o ressentimento contra Lisboa."
Zé Diogo Quintela

«(...) O grande problema do Sporting não são os erros da arbitragem - é não conseguir meter a bola na baliza» Bruno Prata, Público, 23/8/2011
Esta afirmação de Bruno Prata, que tem sido repetida por muitos, é falsa.

Porque o Sporting consegue meter a bola na baliza, mas o golo é mal invalidado. No jogo contra o Olhanense marcámos golos, contra o Beira-Mar é que não. E esse jogo foi depois da birra dos árbitros. E a questão não é essa. A questão é o facto de tanta gente querer fazer pensar que a questão é essa.

Imaginem que um homem, incompetente no seu trabalho, é despedido. Nesse dia volta para casa mais cedo e surpreende a mulher com o amante. Faz um escândalo. Eu digo que o marido é traído porque a mulher é galdéria, o Bruno Prata e outros jornalistas desportivos dirão que é traído porque é incompetente no emprego.

Mas não nos podemos iludir. A culpa desta situação é nossa, do Sporting. Não a culpa de falharmos golos ou de termos ofendido os árbitros, mas a culpa de ter aceitado, passivamente, o que tem acontecido nos últimos anos.

A culpa é nossa por nunca termos dito nada sobre o Apito Dourado. Por termos tido presidentes que se sentaram, como se nada fosse, ao lado de Pinto da Costa, o homem que recebe árbitros em casa, que lhes paga viagens ao Brasil, que lhes oferece fruta e ameaça oferecer o jantar. Por apoiarmos a eleição para a Liga de Fernando Gomes, ex-vice-presidente do Porto do tempo do Apito Dourado. O Sporting ajudou, com o seu silêncio, com a sua conivência, a que os comportamentos corruptos, que prejudicam o clube, passassem impunes e, mais grave, passassem a ser considerados irrelevantes.

Não foi só o Sporting, claro. Também têm culpa os jornalistas que continuam a fingir que não se passou nada. Os directores que evitam os assuntos polémicos, com medo de perder o acesso aos dez minutos iniciais dos treinos e às conferências de imprensa cheias de banalidades. Os comentadores que negam que o que se passou seja grave, para não terem de admitir que festejam títulos ganhos com trafulhice. Os clubes que não protestam quando são prejudicados em favor do Porto. Os dirigentes da Liga e da Federação que olham para o lado. Todos contribuem para que, em Portugal, a trapaça seja normal. Se é normal um presidente receber em casa um árbitro que, dois dias depois, vai beneficiar o seu clube num jogo importante e se, ainda por cima, é o presidente do clube que já pagou viagens ao Brasil a outros árbitros, então qual é o espanto por haver golos mal anulados como o do Sporting-Olhanense?

Os árbitros só fizeram este boicote patético porque acham que, como é o Sporting, podem. Porque, vendo a atitude do Sporting nos últimos anos, julgaram que éramos tíbios. Alguém acha que faziam isto ao Porto, por exemplo quando o Villas Boas criticou João Ferreira, antes de um jogo na época passada? Claro que não faziam. O Porto é que manda. Ou manda dar fruta, ou manda dar o jantar. Ou putas, ou porrada.

Quem não se dá ao respeito, como Sporting não se deu nos últimos anos, acaba assim, com um grupo de bandalhos a achar que nos pode intimidar. Mas ainda podemos mostrar-lhes o quanto estão enganados.

O que há a fazer, aconteça o que acontecer, é não pedir desculpa. Está fora de questão ceder sequer um milímetro. Seria admitir que somos menos do que os outros clubes. E, se palhaçada continuar, então devemos recusar participar neste campeonato. Era a atitude que devia ter sido tomada quando se descobriu que a fraude do Apito Dourado ia passar incólume. Ainda vamos a tempo.

PS - A solução para o problema do futebol português não passa pelo aumento da competência dos árbitros através da sua profissionalização. É uma falácia. A maioria das vezes não erram por incompetência, erram por corrupção. E aumentar-lhes o salário só vai fazer com que se esforcem mais para fazer batota a favor de quem influencia a decisão sobre que árbitro tem melhor nota e sobe de escalão, logo ganha mais. O Apito Dourado mostrou bem quem manda nesta bodega. Enquanto o Presidente do Porto puder oferecer fruta, viagens e cafezinhos à vontade, o que é que interessa se é a árbitros de classe média ou a árbitros de classe média alta? Ou será que, se ganhasse mais dinheiro, Augusto Duarte já não precisava de aconselhamento matrimonial de Pinto da Costa para o seu pai? E Jacinto Paixão, com um aumento de salário, deixava de preferir mulatas?"

A Luta pelo Poder na FPF

Hoje assistimos a mais um episódio na luta pelo poder na FPF. Pura e simplesmente o que está em causa é mesmo isso, o poder. A alteração de estatutos veio retirar margem de manobra às associações e clubes que são a face do sistema, mas a luta está acesa para que no fundo tudo continue na mesma, ou ainda pior. Com as alterações de estatutos a Liga passará pura e simplesmente a fazer aquilo que deve ser a sua principal responsabilidade - organizar e promover o espectáculo futebolístico.

Contudo o cerne de toda esta questão, está centrado na arbitragem e no conselho de disciplina que transitam novamente para a FPF. É algo de novo? Não, não é pois antes da criação da Liga, à excepção do Conselho de Justiça o controlo da arbitragem já residia na FPF e foi nessa altura que o polvo se instalou no seu explendor com Lourenço Pinto, Pinto da Costa, Mesquita Machado, Pimenta Machado, Valentim Loureiro, Reinaldo Teles e Adriano Pinto a minarem toda a estrutura do futebol português através dos jogos de poder das Associações de Distrito e respectivos clubes.
Eis então que surge Filipe Soares Franco. Há que dizer mais umas verdades pois esta é uma luta entre PS (que Soares Franco representa ) e PSD que estará ou estaria representado por figuras como Hermínio Loureiro, Fernando Seara ou antes Gilberto Madaíl.

É uma guerra Norte Sul porque assim o querem fazer crer pois no fundo o que interessa é saber quem lucrará com as 3 grandes fatias deste bolo, Arbitragens, Transmissões Televisivas e contrato com a Nike. Quando há negócios todos sabemos que alguém ganha com isso e não me venham falar de santinhos pois este é um mundo onde ninguém tem asas.

Sobre Soares Franco, homem ligado familiarmente ao nosso Borges Coutinho, mas que nada se parece com ele como dirigente desportivo, falamos de alguém intimamente ligado a Joaquim Oliveira, que foi cúmplice no seu silêncio aquando do escândalo apito dourado, falamos de um homem que muito ganhou à custa do seu suor, mas é um homem ligado a interesses.
Além disso costuma-se dizer "Diz-me com quem andas e dir-te-ei quem és" e isso vê-se pelos apoios que Soares Franco já tem - Associações do Porto, Braga e Coimbra que foram as que o lançaram e figuras como Pinto da Costa (apito dourado), António Salvador (corrupto), Rui Alves (corrupto), Eduardo Simões (corrupto e condenado por isso) e António Silva Campos também arguido num processo de transferências e vistos ilegais de jogadores jovens.  
Contudo é importante que alguém impeça a vitória de um homem que vai ajudar a perpetuar o sistema e asfixiar o futebol português. É que o futebol jovem, as infraestruturas para se competir, a credibilidade, a competitividade que deveriam ser o mais importante, vão ser a parte secundária pois assim serão sempre os mesmos que até agora têm matado o futebol português.

O Sporting? Joga para os dois lados. Se ganhar Fernando Seara que lute pela credibilização do futebol português. Se ganhar Soares Franco, certamente o seu "sócio" tratará de meter umas cunhas para conseguirem aquilo que raramente conseguem fazer - GANHAR EM CAMPO.

O Sporting

Parece haver quem pense que o Sporting pode voltar atrás. Não pode. O Sporting desistiu de ir por um caminho, no consulado de Bettencourt, e, ao optar por investir dinheiro que, pura e simplesmente, não tem, para mudar uma equipa inteira, queimou a ponte. Por outro lado, ao recuperar Luís Duque e Carlos Freitas e ao contratar um treinador do Porto, como Domingos, jogou demasiado forte para poder falhar. A lista de consenso de Godinho Lopes, em que todas as tendências do establishment encontraram lugar é, antes, uma lista do consenso final. O Sporting, neste momento, não tem outra alternativa senão funcionar, nem que ande mais cinco ou seis anos a enterrar dinheiro e a vender anéis.

Isto comprova-se, mais do que tudo, na mudança potencialmente fundamental que o Sporting teve relativamente ao Porto. Ao contratar um portista, ao ressuscitar o ataque ao sistema, ao insistir no ataque aos árbitros (como se viu agora Godinho Lopes, ao dizer uma série de baboseiras após um jogo miserável da sua equipa para manter a campanha anti-arbitragem a correr) e ao aproximar-se do Benfica num momento em que a arbitragem vai passar a depender, acima de tudo, do presidente da Federação Portuguesa de Futebol, o Sporting teve, pelo menos, um grande mérito: deixou de apontar a meia altura e passou a apontar altoO Alvo do Sporting, neste momento, já não é o Benfica mas sim a primeira potência, o primeiro lugar, o topo. O Porto. Este é um tipo de movimentação de fundo que pode ser revolucionária no futebol português. Um erro político que Pinto da Costa nunca cometeu foi ficar, simultaneamente, contra Sporting e Benfica. Com dirigentes audaciosos no Benfica e Sporting (como é o caso actual) o Porto não tem força para manter a supremacia no futebol nacional.Sem os «intangíveis», o Porto deixa de ser tão melhor que os outros.
(Retirado do blogue “religiaonacional”).

“Detesto o sangue”, por Eduardo Barroso. Humor Sportinguista (1)

Detesto o Benfica. Quero que percam sempre, preferia que não ganhassem este campeonato, até porque isso representaria a quase falência. Tenho imensos “amigos de peito” que são do Benfica. Nunca tive problemas com qualquer dos meus amigos benfiquistas. De resto, muitos deles também detestam o Sporting, e eu acho bem.
Um bom sportinguista, um genuino sportinguista desde o berço, não gosta de vermelho. Não uso camisas vermelhas, não uso uma gravata encarnada e como cirurgião detesto o sangue. A maior ambição de qualquer cirurgião é fazer uma intervenção cirúrgica sem perda de sangue.
Como não gosto nada do Benfica, acho sempre que ganharam com pouco mérito. Como detesto o clube acho sempre que o seus jogadores são medianos ou mesmo maus e não têm nenhum fora de série.
Por isso penso que o DiMaria é um bom jogador de futsal. Que só uma imprensa parcial e com óculos vermelhos acredita que algum clube do mundo vai dar 40M€ pela sua transferência. David Luis é um defesa central banal e muito faltoso. Nenhuma equipa de topo de nível mundial quereria nos seus quadros um central que oferecesse duas ou três faltas perigosas por jogo.  Carlos Carvalhal, tal como Paulo Bento, é muito melhor treinador do que Jorge Jesus. Bettencourt é um presidente que coloca Filipe Vieira na prateleira.
Dito isto, fica claro que para além de ser um sportinguista de alma e coração sou um anti-benfiquista militante. Um adepto da não violência, incapaz de agredir seja quem for, reconhecendo a minha total incapacidade de ser imparcial e muito menos racional. Detestar o Benfica faz parte da minha condição de apaixonado do Sporting. Nunca vou mudar.  Detesto, mas detesto mesmo, visceralmente o sangue que não consigo dominar. Sou assim. Nunca irei mudar. Os benfiquistas que me perdoem. Deixem-me em paz!
(Prova de que os robots podem ser bons a operar cirurgicamente, mas são irracionais e castrados mentais).
JE Bettencourt e o Benfica. Humor sportinguista (2)
O início de época do Sporting tem estado bastante abaixo das expectativas dos adeptos leoninos, com o treinador Paulo Bento a ser o principal visado nas críticas às más exibições da equipa. No entanto, o presidente do Sporting, José Eduardo Bettencourt, entende que o principal problema não passa "nem pelo treinador nem pela atitude" da equipa. Aproveitando a presença na cerimónia de celebração do 9.º Aniversário do Núcleo sportinguista de Vendas Novas, o dirigente leonino teceu inúmeras críticas aos rivais, em particular ao Benfica e ao fundo de investimento criado pelo clube da Luz.
"O fundo de investimento do Benfica é uma vergonha, em que se avaliam jogadores como o JaviGarcía em 17 milhões de euros e juniores que ninguém conhece em 5 milhões. Com metade do orçamento ficámos quatro anos à frente do Benfica. Com muito menos dinheiro investido, com muitas menos condições, conseguimos sempre ficar à frente de uma equipa que investe muito no seu plantel, todos os anos. Temos metade do orçamento dos nossos rivais mas continuamos de cara lavada e com a nossa dignidade intacta", salientou. 
(Ser pobre, calimero e parvo é sinal de dignidade).
Na mesma linha de pensamento, o responsável leonino elogiou a estratégia de gestão do Sporting. "É extraordinário como ainda existe um Sporting com esta força depois de anos e anos a brincarem connosco e a termos diferentes apoios dos outros clubes. Mantemos sempre a mesma postura correta no futebol. Isto incomoda muita gente. A equipa sofre muito desde que começou esta época, pois sentiu, desde muito cedo, a pressão da onda que nasceu em torno do Benfica. Não é um problema de treinador nem de atitude. É um problema de cabeça, pois existe uma vontade enorme de contrariar aquilo que tem sido dito", afirmou. 
(A culpa é da grandeza do Benfica).
Numa clara alusão aos desempenhos de Sporting e Benfica na Liga Europa, Bettencourt socorreu-se das estatísticas para realçar a vitória dos leões, lançando mais uma indireta aos encarnados. "Foi a primeira vez que ganhámos a uma equipa alemã. Um conjunto que lutou até à penúltima jornada pelo título alemão, mas que toda a gente diz que não joga nada. O Everton ganhou 4-0 ao AEK de Atenas, mas os gregos é que têm uma grande equipa", sentenciou.
Por fim, José Eduardo Bettencourt, lançou um sério aviso aos responsáveis do clube. "Há alguns sportinguistas que se acham grandes protagonistas e que têm as soluções todas para o Sporting. Posso garantir-lhes: não têm. São os sócios que fazem do Sporting aquilo que ele é atualmente. Espero que alguns comecem a ter vergonha na cara e que se deixem de armar em salvadores, porque salvadores são aqueles que, de uma forma silenciosa e invisível, dão o seu apoio a este clube", reiterou. 
(E a competência, sabe o que é?)
Humor Sportinguista (3)
Algaraviada do Dias Ferreira no “Dia Seguinte”

“Pôr a mão na consciência... e dizer que... o Sporting tem efectivamente  tiques de organização vencedora. Porque é de uma injustiça extraordinária... hum a gente olhar pr´á  xistência do Sporting e não ver... mas o Sporting... onde o Sporting não tem vencido nos últimos tempos... é no futeboli...é no futeboli. E se nós formos comparar... eu pergunto... o Sporting realmente não tem na sua SAD, não teve na sua SAD até hoje uma pessoa, por exemplo, com a alta competência que tem por exemplo o prof Moniz Pereira no atletismo. Pode-se dizer que o Sporting parou... desculpe... desculpe..., oiça uma coisa, mas oh Paulo Garcia, não estou a dizer isso e mas há uma coisa que eu tenho obrigação de o fazer..., eu tenho obrigação de o fazer. Eu sou o Presidente da Assembleia Geral do Sporting Clube de Portugal... e portanto tenho... que não aceitar, não posso aceitar que se diga que o Sporting não é uma organização vencedora. Porque nessa circunstância eu estaria a denegrir o atletismo... por exemplo, no caso os resultados que nós temos tido, ao longo da história, não é de agora, ao longo da história..., porque nós se tivessemos no futebol.... um residente e um dirigente... competente residente que permanecesse os mesmos anos que o prof. Moniz Pereira permaneceu no atletismo e que eu espero e desejo que permaneça muitos mais...  Portanto há uma autoridade residente, uma pessoa competente residente no sector do clube. Portanto, o que nós temos que admitir é que  no outro sector que é efectivamente a mola real... que é importante que esse meio... que é um instrumento do Sporting Clube de Portugal, que é a SAD, é que não funciona como deve ser. É que parece que efectivamente não tem organização vencedora. Mas mesmo ai talvez haja alguma injustiça relativamente ao que se passou. Agora o que não se pode dizer, porque eu estou à vontade para falar... porque estive muito contra a direcção anterior... estive muito contra a direcção anterior, mas também há uma coisa que eu tenho obrigação de fazer..., é que eu não sou propriamente uma pessoa que leve todos os radicalismos de toda a maneira e feitio... e depois que não vejo nada à minha frente. E tive a oportunidade de ver, que o trabalho que foi realizado, foi na minha perspectiva globalmente positivo, e o Sporting estava a dar passos, e designadamente fez um congresso que se... que mostrou claramente, que as pessoas tinham atingido o patamar que... tinha de ser mais além, tinha de se projectar o futuro, e definir... e estratégias. Portanto, eu acho que se estou muito de acordo, e estou muito de acordo e há muita coisa que o José Eduardo Bettencourt tem ali por trás daquelas afirmações, que eu estou de acordo. É preciso é... assumi-las, ahn..., não interessa nem é...nem deve haver grande preocupação, de a gente vir dizer digamos em conferências de imprensa cá para fora por muito respeito que a comunicação social nos mereça, que nos leva a nossa palavra também aos milhares e milhares de sócios que uma Assembleia Geral ou um reunião da Conselho ou do que quer que seja evidentemente não consegue levar, mas também tem de ser levada de determinada maneira e tem de ser pensada..., não há duvida nenhuma que tem de ser pensada. E... eu tou de acordo... que... há muita gente que não estará... correctamente nem concordar com a função mas isso é uma coisa que tem de ser assumida  e nesse aspecto eu estou absolutamente solidário com ele, mas há que pôr as coisas no devido lugar, e eu penso..., e esta é que é a marca fundamental, é que penso que... o dr... ahn... José Eduardo Bettencourt... não terá tido... a... a... digamos... a intenção... de...de...de... de...  beliscar... talvez o...ahn...ahn....os dirigentes anteriores, que aliás foi um princípio que ele estabeleceu muito correcto, que era para ver se... o presidente que vem nunca diz mal do seu antecessor, não passa a vida a dizer do antecessor,  foi uma linha que ele pretendeu quebrar, e muito bem, portanto eu penso que ele não teve essa intenção de beliscar, em todo o caso, na realidade, não tenho que ... não tenho que dizer e... e...nem sequer nem sequer estou a desculpar, porque... porque não estou a desculpar...,  e também quero dizer umas coisas, julgo que é... uma declaração inoportuna..., intempestiva..., fora do local... e...e ...um pouco e um pouco injusta, um pouco não, bastante injusta, ahn...para certas pessoas, que neste últimos anos, ahn...nem sempre com o sucesso que eles procuram e desejavam, mas que, mas que também não era fácil tiveram muitos problemas para resolver.          
(....)
E portanto não se pode pensar que... a vida que suporta o balneário, ou a vida que deve aguentar o balneário, ahn..., que tá com ferrugem ou que oh que está ali provisoriamente em madeira à espera que venha o cimento porque não há o cimento necessário ali. Isto... eu acho... que... que não é... que não é... que não é bom... e portanto é por isso que eu lhe disse há bocadinho que aquilo que.. o que estava a acontecer... não me surprendia... ahn... como tal não me surpreendeu as vitórias que o Sporting teve sucessivas, não me surprendeu, que, à primeira contrariedade, ao primeiro and..ento, ao primeiro... o processo, se juntasse exactamente na mesma, porque eu acho que..., nunca há estabilidade, nunca há aquela tranquilidade que o Paulo Bento tanto falou, e ele também, e ele foi o próprio fautor de alguma tranquilidade , ahn... ahn... a instabilidade é que em coisa nenhuma da vida, normalmente trás boas coisas. 

(Um fio de pensamento claro, lógico e cristalino como a água pura e refrescante da nascente. Será que o homem nasceu no Algarve?)

8 comentários:

  1. LOL, desta vez carrega-se naquela submissada.

    Todos os assuntos são interessantes e ainda bem que aqui são recordados, porque às vezes há BRANCAS na memória de muita gente.

    Aquela do Bigodes pagar a árbitros, mas haver quem desse mais dinheiro que ele, está de ir ás lágrimas. Esses apintadores ganhavam (ganham) a dois carrinhos.

    Força PULPUS. Não parem!!!

    ResponderEliminar
  2. Sou sportinguista, visitante do teu blog há tempos, gosto de o ler e, sinceramente, não vejo outra razão para este "post", neste momento, se não por um sentimento benfiquista - que é normal - que te subiu pelo sangue - vermelho, claro - após esta série de vitórias do Sporting.

    Algarvariada foi "isto" a que chamaste "post" e onde juntaste ataques ad hominem e um suposto pagamento de árbitros em 1980 e troca o passo, para justificar... ainda não sei bem o quê. Que o Sporting se manteve calado durante os anos do Apito Dourado? Que memória tão selectiva. Quem foi o primeiro a chamar os nomes pelos bois? O Vilarinho? Ou o Dias da Cunha? E isto no tempo sem youtubes, benficas tv, blogs e caralho.

    E quem é capaz de dizer que, nos finais dos anos 80, inicios anos 90, o Sporting não foi bárbaramente roubado é porque, ou é faccioso ou na altura ainda era muito novo para ver como isto era.

    Saudações Leoninas.

    ResponderEliminar
  3. http://oantitripa.blogspot.com/2011/10/negociata-lolk.html

    ResponderEliminar
  4. A melhor resposta ao sportinguista Captomente deu-a outro sportinguista de seu nome Zé Diogo Quintela. Mas provavelmente nem leu o post todo.

    ResponderEliminar
  5. O lagarto Captomente apenas leu "as brancas e deixou as pretas", assim se define um analfabeto.

    Se realmente soubesse ler e como refere o anónimo das 22:11,debruçava-se sobre o que diz Zé Diogo Quintela inserido no corpo do "post".

    Perdeu uma boa oportunidade para se remeter ao preferível silêncio.

    ResponderEliminar
  6. A PRIMEIRA DENUNCIA

    http://amordacados.blogspot.com/

    ResponderEliminar
  7. Numa decisão estranha, esdrúxula e inaceitável, o tribunal de gaia suja a bandeira do seu pais com a libertação dos corruptos das ruas de cedofeita e das torres das antas no desporto em portugal ..

    Quanto ao lagarto, poderia ser um material de estudo para eles, e talvez conseguissem salvar o exemplar raro …

    esta fixe meu, da-lhes ca tranca, caso contrario os cegos surdos e mudos dos tribunais fariseus de gaia via lucilio fecham os olhos a tudo que e bandido pela escumalha dos andrades no pais que se chama portugal..

    ResponderEliminar
  8. Se não fossem os inocentes e otários, o que seria dos espertos corruptos é mafiosos deste pais a beira-mar plantado ? Certamente passariam necessidades. Ou virariam assaltantes menos desonestos! mais!!!!. Ou seriam obrigados a trabalhar honestamente, não ACREDITO...

    força ai companheiros a luta vai ser feroz mas vamos ganhar contra a mafia dos androides ..

    karlos

    ResponderEliminar