ALGUNS TENTARAM DIVULGAR A VERDADE E FORAM SILENCIADOS.NÓS CHEGAMOS DISPOSTOS A DENUNCIAR, SEM MEDO,O NEPOTISMO,O TRÁFICO DE INFLUÊNCIAS, O MERCENARISMO E O TERRORISMO CORRUPTO QUE A COMUNICAÇÃO SOCIAL, EM ESPECIAL A DESPORTIVA, NÃO TEM A CORAGEM DE ASSUMIR.

DIVULGA www.pulpuscorruptus.blogspot.com EM PROL DA VERDADE E COMBATE À CORRUPÇÃO!

E-Mail: pulpuscorruptus69@gmail.com

sábado, 19 de setembro de 2015

(O Refrescar de Memórias Corruptas) A MÁFIA DA PALERMO PORTUGUESA (146)


FLOPETEGUI Temporada 2003/04 do Rayo Vallecano
“Desastrosa temporada en la que dirigen al equipo Julen Loeptegui, Jorge D´asselandro y Chechu Rojo y en la que se consuma el descenso á la Segunda B.

El equipo, con jugadores de renombre y planificado para el ascenso, cae en dos anos de la Primera Division à la Segunda B. Acaba la Liga en el puesto 21º con 43 puntos y 45 goles a favor y 63 en contra”.

Casillas
Doze milhões de euros brutos (6M/ano) é o valor que o Real Madrid aceitou pagar a Iker Casillas para acelerar o processo de transferência do guarda-redes para o FC Porto.
O montante representa quase metade do valor a que o jogador, de 34 anos, teria direito pelos dois anos de contrato que ainda o ligavam aos merengues: 25 milhões de euros brutos (12,5M/ano).
Os números foram revelados pelo diário espanhol ‘El País’, que garante ainda que os dragões ficam responsáveis pela quase totalidade do restante salário do atletaCasillas ganhará em Portugal cerca de quatro milhões de euros limpos por ano. Ou seja, e feitas as contas, Casillas terá perdido um milhão de euros ao trocar o Real pelo FC Porto, segundo aquele jornal. Esta segunda-feira, na despedida oficial do guardião do clube espanhol, Florentino Pérez, presidente dos merengues, garantiu que a proposta dos azuis-e-brancos foi a única que chegou a Madrid. "O Iker sai porque é esse o seu desejo", declarou, minutos antes de, no relvado do Estádio Santiago Bernabéu, ser apupado pelos adeptos, que lhe exigiram a demissão, culpando-o pela saída de Casillas.  

Casillas não tem nada a ver
A BeinSports adquiriu em Espanha a GOLTV, uma plataforma de pago que existía sensivelmente há cinco anos. Durante esse periodo de tempo a GOLTV transmitiu sempre no seu alinhamento os jogos da Liga Portuguesa com os seus respectivos direitos. Aliás, os principais jogos da Liga portuguesa já são vistos em Espanha há varios anos ainda que muitos deles - incluindo algum que outro Classico - fossem transmitidos em diferido porque á essa hora a GOLTV preferia dar jogos da liga espanhola ou italiana.

A BEINSports limitou-se a confirmar o que a GOLTV já fazia, ou seja, garantir ao publico espanhol do Cabo que podem continuar a ver os jogos da liga lusa (e francesa, inglesa, alema ou italiana). A única variação é que muitos desses jogos, até agora em diferido, possam passar a ter preferencia sobre os da liga italiana.
Nada de novo, portanto e com pouco a ver com o impacto Iker Casillas.

O Porto o mais beneficiado em 2014/15
O FCP foi a equipa mais beneficiada pela arbitragem em 2014/15. Tiveram 22 erros graves a favor e apenas 9 contra o que dá um benefício arbitral de +13 erros. Por outro lado, o Benfica e o Sporting tiveram mais erros contra do que a favor. No caso dos encarnados o saldo é negatvio em -3 (13 erros a favor e 16 contra) e os verdes mostram um saldo negativo de -1 (13 erros a favor e 14 contra).

Na tabela classificativa o Benfica continuaria a ser campeão mas o Sporting trocava de posição com o Porto. No caso do Porto a diferença traduziu-se numa vantagem de 10 pontos. Os leões obtiveram um prejuizo de 5 pontos.

A amostra do estudo é constituida por 26 elementos fazendo parte alguns treinadores da 1ª e 2ª liga, árbitros no ativo e 1 ex-árbitro internacional.
São considerados erros graves: penalites por assinalar e mal marcados, golos mal anulados, golos precedidos ou que surgem de fora de jogo, falta para cartão vermelho ou duplo amarelo ou faltas assinaladas sem amostragem do respectivo cartão.
É considerado um erro grave quando existe consenso em relação a um lance (mais de 50% da amostra tem a mesma opinião).

Comentários de 2 adeptos portistas ao texto que mostram a cumplicidade com a batota e com a vergonha entre adeptos do Porto.

1º Adepto do FCP identificado com nome:
“Como portista também considero que tivemos alguma sorte com a arbitragem. Em relação ao treinador já não tivemos sorte nenhuma. Abraço e não casquem tanto no FCP”.

Resposta do 2º adepto anónimo do FCP:
“Em vez de vires para aqui expor as fraquezas do nosso clube podias estar calado, adeptos como tu não são precisos”.

Porque perdeu o FCP? Ou, “Karma Is A Bitch”!
No tradicional jogo de apostas no início da temporada que agora se consumou, praticamente todos os comentadores da bola embarcaram, à uma e sem pestanejar, na lancha da evidência: o Porto investira fortemente e exibia ponderosos e imbatíveis trunfos para a reconquista do ceptro nacional.

E nem a inexperiência do timoneiro em pelejas desta rijeza os fazia vacilar nas suas férvidas previsões: digamos que todos eles jogavam as fichas todas na casa do Dragão, o que, em linguagem do nosso povo, significa que eram «favas contadas».

Esta certeza, porém, viria, como sabemos, a revelar-se perigosamente incauta, pois que assentava imprevidentemente no primado exclusivo de uma certa lógica matemática, como se a mais jogadores de qualidade correspondesse uma equipa melhor, mas bem sabemos da Psicologia que o todo supera dinâmica e irreversivelmente a mera soma das partes que o integram. E, já agora, uma outra inadvertência: esqueceram que, mesmo assim, não basta a qualidade técnica para que uma equipa se revele melhor que outra – o que é decisivo é a qualidade do seu estado mental, estado esse que se obtem a partir da qualidade e do teor dos pensamentos e emoções que circulam no interior do grupo.

Então, por que perdeu, afinal, o FCP de forma tão enervante e traumática para todo o universo portista?

E aqui vai a primeira dose de veneno que o grupo avidamente engoliu, em clima de jubilosa cruzada: obrigou-se a ganhar. O Porto tinha que ganhar este campeonato! Esquecimento fatal: tudo o que se faz porque se tem que fazer o mais certo é que isso se não consiga mesmo fazer.

Mas houve mais veneno que todos os portistas se deleitaram em sorver: o do contra. Não se tratava simplesmente de ter sucesso – era contra, obsessivamente contra o Benfica que era imperioso tê-lo. Mas tudo a que se resiste persiste – como as bactérias da tuberculose que, combatidas maciçamente, regressam agora sob a forma reforçada de uma estirpe desconhecida de super-bactérias, deixando perplexas as autoridades sanitárias.

Mas há ainda mais veneno – que era insaciável a sede de vingança: o objectivo de tirar ao Benfica, a qualquer preço, o campeonato que, a ser ganho, representaria a tragédia da perda da tão cisosa hegemonia no futebol.

Eis os condimentos de uma receita letal: tirar e medo!

Tirar o título ao Benfica: quando se deseja muito algo não enquanto isso que genuinamente se deseja, mas enquanto algo que a outra tem se tira/rouba, é a si mesmo que acaba por tirar, porque a mente humana toma tudo à letra – ela não se pauta pela obediência aos princípios da lógica.
Medo: é o certificado de que se obtem sempre aquilo que se teme; ele é o atalho mais seguro e rápido para lograr uma desgraça – como a que acaba de acontecer ao FCP.

Mesmo assim, duvido que a lição tenha sido aprendida.

O Benfica, depois de muitas lágrimas, parece tê-la aprendido.
(José Antunes de Sousa é doutorado em Filosofia pela Universidade Católica Portuguesa e é Professor na Universidade de Brasília).

Da Série, “Recordar é Viver”
O futebol português mete-me nojo. De entre a escumalha dirigente, passando por treinadores e atletas e acabando na profusa fábrica de jornalistas imbecis e comentadores vendidos a um sistema porcalhão, poucos são os que se aproveitam - e mesmo esses, quando são descobertos, das duas uma: ou desaparecem do mapa do futebol lusitano ou entregam-se aos mesmos exercícios putrefactos que é este deprimente futebolzinho.

Para aferir da qualidade de um povo, nada como identificar o modelo pelo qual ele se rege e para o qual contribui com vénias, altos louvores e humilhantes mamadas por debaixo das mesas da burocracia. Ora, no caso desta gentalha que polui os ares do futebol português, o exemplo não podia ser mais claro da portuguezinha e decadente condição: um beato corrupto, com um ódio de estimação que vem de um trauma profundo de ter vergonha das próprias origens. O português tem historial no gosto por beatos malvados, mas desta vez excedeu-se, metamorfoseando a ideia política na ideia desportiva para criar esta espécie ainda a necessitar de um estudo mais complexo e detalhado mas que, em linhas gerais, se resume a isto: Pinto da Costa é uma mistura de tudo o que é mau no povo lusitano - corrupto, padreco, mentiroso, burlão, caloteiro, labrego e profundamente inspirado por um sentimento de menoridade em relação aos outros (no caso, o Benfica). É este verdadeiro exemplo de tudo o que há de mau no homem lusitano que serve como farol a 90 por cento dos agentes do futebol em Portugal. Espanta que o mesmo futebol esteja pelas ruas da decadência e da sujeira, quando se idolatram heróis desta imunda estirpe?

Não espanta. Como não espanta observar a cartilha pela qual se regem os treinadores, jogadores e dirigentes das equipas adversárias do Benfica. 

Primeiro mandamento: entrar em campo como se fosse o último jogo das suas vidas - espumar da boca, ir a todas as bolas como se dela dependesse a vida dos filhos, pressionar o árbitro, simular lesões, fingir agressões adversárias, morrer em campo, se for preciso. Alguém consegue, em consciência, dizer que os adversários do Benfica entram da mesma forma nos jogos com que entram contra Sporting e, especialmente, Porto? Só se for muito cego. Ou então amante de algum cacique beato que por aí ande a pagar jantares a putas brasileiras, enquanto estas lhe vão aparando os peidinhos com o esguio fumo de cigarros finos e delicados. O Vitória ontem só não acabou o jogo com 8 ou 9 bolas no saco porque teve sorte, tal foi o desgaste até ao intervalo. A expulsão (justíssima, mas só para alguns, pelos vistos) veio acentuar as línguas de fora mas era demasiado evidente que a equipa, após aquela primeira parte de cães raivosos, estava de rastos. 

Segundo mandamento: independentemente da actuação do árbitro, no jogo frente ao Benfica dizer sempre que houve prejuízo claro. A cartilha aqui sofreu nos últimos anos uma mudança nas alíneas: antes, as equipas só reclamavam quando tinha havido uma arbitragem sem casos. Agora passaram a reclamar também nos jogos em que saem beneficiadas. Não interessa a verdade, interessa fazer barulho e contribuir para futuros erros (mais ainda) contra o Benfica, para no fim o dono dar uma bolachinha, que é como quem diz: oferecer um Olhanense, uma Académica, um Braga, um Leiria para ir treinando e brincando aos treinadores de futebol ou aos jogadores emprestados. Nesta cartilha, está também o exemplo contrário, como é óbvio: nos jogos frente ao Porto, por mais que a arbitragem seja vergonhosa e prejudicial às equipas B, no fim está tudo muito bem, o treinador vem dizer que o Porto é uma excelente equipa e que nada podia ter feito contra a supremacia adversária - eles, que normalmente experimentam novos conceitos tácticos nestes jogos ou retiram 6 ou 7 titulares para experimentações de âmbito - como dizer? - exploratório, por coincidência sempre contra a mesma equipa. Por coincidência, naturalmente.

Terceiro mandamento: o verdadeiro comentador de futebol deve ser aquele que constantemente vê nos jogos do Benfica uma arbitragem favorável aos de vermelho. Mesmo que o que se passe em campo seja o contrário - o que é bem mais habitual. Ontem tivemos mais um excelente exemplo de como se comenta em Portugal: uma suposta falta de Maxi Pereira fora da área foi discutida durante uma hora como um penálti que terá ficado por marcar.
Já Javi Garcia, que faz um gesto obtuso mas sem qualquer tipo de violência ou agressividade dignas de uma expulsão, parece que conseguiu o feito extraordinário de cotovelar ao mesmo tempo que dava cabeçadas. Isto a julgar pelas palavras do parvalhão de serviço, enquanto se falava também num possível penálti, se o árbitro tivesse querido - que a bola estava parada é apenas um pormenor sem importância nenhuma. Mas há mais: os bons jornalistas/comentadores ou, vá, os assim-assim, também começam a cair no caldeirão da poção mágica da Madalena, na esperança de não serem definitivamente postos na prateleira e enterrados vivos. É assim que funciona: exacerbar os feitos do Porto dá lugares na rádio, televisão e jornais. Se a isso vier agregado um anti-benfiquismo primário, é caso para termos uma reaparição de gente repescada do fundilho das memórias.

Ontem foi Ribeiro Cristóvão, sportinguista pelo qual sempre tive o maior dos apreços mas que parece estar a passar por uma crise profunda - seja económica, seja ideológica. Claro que há também o facto de o Sporting este ano estar um bocadinho mais forte, o que gera logo no sportinguista (mesmo no mais lúcido) aquele gritinho histérico a querer sair, aquele anti-benfiquismo rasteirinho pronto a dançar pela língua e Cristóvão não se conteve: não só não era penálti sobre o Nolito como ainda o rapaz devia ter sido expulso! Ah Ribeiro, Ribeiro, a fominha é muita. 

É neste lodo que o Benfica tenta dançar sem escorregar muito. Não lhe basta ser melhor, tem de ser MUITO melhor para poder ganhar em Portugal. E, mesmo quando é claramente superior aos adversários, como há dois anos, tem de penar até ao fim para garantir o título. Outros beneficiam de jornadas iniciais em que os adversários são afastados por arbitragens vergonhosas para chegarem a Janeiro tranquilos - é a chamada organização competente. Mas este ano vão ter de levar connosco. E só serão campeões se mais uma vez puxarem dos galões e mostrarem ao mundo os corruptos que são. Vai ter de ser aos olhos de todos e de forma escandalosa.

Divagações Porcinas de Jagunços
1. Agora recordo as minhas habituais superstições, crendices, feitiços, mezinhas ou rituais, é verdade que nunca desprezo essas bruxarias ancestrais, e o Padre Fontes de V. Perdizes poderia exorcizar alguns fantasmas, já que hoje nem temos o Delane Vieira.

Bem, o numero 33 tem sido aziago, afinal a idade de Cristo estava nos 33 anos, os "outros" estão no 33, e os nossos atletas quando atingem o seu jogo nº 33 como titulares, alguma coisa acontece, e recordo, aqueles que eram os mais utilizados:

Jackson em Braga fazia o seu jogo 33 como titular e pela primeira vez lesionou-se!
Danilo na Champions cumpria o seu jogo 33 da temporada como titular, e que susto todos vivemos!
Fabiano com o Arouca fazia o seu 33º jogo a titular nesta temporada, e no minuto 12, vizinho do 13, foi expulso!

Bom, para a Choupana, o Herrera fará previsivelmente o seu 33º jogo da temporada como titular, e vamos começar já a exorcizar essa coisa demoniaca do 33, chamem o Padre Fontes!

‪2. Luis G. Vieira disse...
Em suma: "Somos roubados, enxovalhados, criticados, odiados e marginalizados... porque somos do norte, os melhores e os mais galardoados. Os mouros sempre foram derrotados e cobardolas... e como nao conseguem atingir os objectivos por vias legais, procuram denegrir e escarnecer da nossa integridade e supremacia.
Enfim, os clubes do regime continuam activos e enganam-se os que pensam que o império acabou.
A imprensa tornou-se numa espécie de "lambe-botas", nomeadamente, a bolha, o raskorde, o correio da maralha... e as instituicöes ligadas ao futebol perseguem-nos, ameacam-nos e penalizam-nos!..."
- Chamem de volta o Vímara Peres; só ele pode resolver esta situacäo e acabar com a praga dos marmanjos que nos sonegam e querem aniquilar! ABRAM A BRAGUILHA E VAMOS A ELES!!!

A campanha da imprensa fascista do regime está sempre em alta rotação, o nosso clube é o habitual alvo a abater, mas há muito que passou a ter no seu centro Julen Lopetegui!

Eles estão em pânico, só de pensarem no que lhe pode acontecer falta-lhes o ar! Tudo o que Julen faz está em julgamento pela inquisição do regime, ao endeusado chiclas tudo lhe é permitido, o nosso Julen é um herege, nada é permitido, absolutamente nada tem perdão, pelo contrário, ainda se deturpa a realidade para dar um ar de pecado a tudo o que faz, por mais ridículo que seja!
Há sempre um parolo pronto a comer o que eles cospem!
Isto dá nojo, é assim HÁ ANOS E ANOS, e no entanto, temos de assistir a "Portistas"(?) a ir nesta onda da propaganda... pqp...
Até quando?

3. LAMACHÃ disse…
Sinceramente pessoal, é vergonhoso!! É a mesma coisa do que andarem a roubar a nossa própria casa e a gente oferecer lhes de beber!!
Eu tenho uma ideia que é radical, há quem diga que não, outros que sim...por mim começando pelos jornalistas só entravam no nosso estádio o jornal o jogo, e o porto canal, e o ricardo pateiro e o Azevedo viesse quem viesse não entravam, independentemente de estar cotado na bolsa, cmvm etc...quem manda no barraco são os socios e não os queremos lá ponto final doa a quem doer
Os arbitros....esses para entrarem no nosso estádios e para sair teriam que passar um mau bocado, tipo perseguição, trata los a abaixo de cão, AMEAÇA-LOS....
Quanto aos dirigentes da liga de clube e da Federação não ponha os pés no nosso estádio nem que eles se refodessem como costume dizer quem manda no barraco somos nós!!!!!!!


4. Teófilo disse…
Caros Portistas,
Isto só vai lá à antiga, desde o Presidente a nós adeptos, temos de começar à chapada a estes fdp todos, nós não podemos permitir que esta vergonha continue, é demais.

Temos sempre a hipótese de apedrejar o carro no fim do jogo que não passa nada, de mandar uns casuals varrer a feira que não passa nada ou ainda de levarmos uns kilos de coca para o presidente do Arouca que também não passa nada, basta dizer que vem da porta 18 que não há qualquer problema. Em relação ao caso da porta 18 o que faz o nosso clube?? não fala no Porto canal porquê? Façam jornalismo e ivestiguem e publiquem uma coisa bem feita e que mostre os vigaros que eles são. Vejam que apanharam 2 toneladas de coca que vinha da Colombia e quem foi o xibo?? pois é, não terá nenhum relacionamento?? é nisto que o Porto anda a dormir há muitos anos, que tristeza.

5. Xebeu disse...
- O nosso Clube precisa urgentemente de mudar a politica de comunicação pois como já todos vimos e comentamos assim esta mal !!!
- Quanto aos pseudo jornalistas, já disse e repito, isto só lá vai com APERTOS... que vão gozar com a Puta que os Pariu!!!
Temos fama?? Então vamos ter o proveito!!!
Partir os dentes a um comentador ou outro, virar um arbitro ao contrario...
Quando se vierem queixar... As virgens ofendidas... Comem mais um bocado...!!!!
Se querem guerra.... Damos guerra!!! Será que os cabrões não percebem percebem que guerra é o nosso palco favorito????
Vamos lá lutar por isto que somos TODOS da fibra e nas dificuldades é que nos erguemos!!!!!!

6. Pispis disse...
É preciso recuperar o nosso ADN, é preciso recuperar árbitros que não nos deixem com 10 em pleno Dragão logo na primeira parte, é preciso recuperar jogadores emprestados pelo Porto que cavam pênaltis contra o Porto e ainda por cima os concretizam, é preciso muita coisa e esta época fomos uns anjinhos...
(No blogue "Dragão até à morte") 

O Ódio dos Porkos
Não podemos facilitar.

Nós. A equipa. O treinador. O steward. O apanha bolas. As "hospedeiras" dos camarotes. O gajo que vende o gelado durante o jogo.

Todos, sem excepção, devem ser o expoente do ódio eterno que temos sobre todos aqueles que defendem a cor do regime. Não podemos recebe-los bem. Não lhes queremos bem.

O Estádio do Dragão, à beira de um cenário de guerra, será um paraíso. Não os queremos cá, mas já que vieram, têm que sair daqui com a certeza que ao nosso Estádio nunca mais quererão vir.

Temos que atacar desde o primeiro minuto.
Temos que olhar olhos nos olhos desde o primeiro minuto.
Temos que durante 90 minutos apoiar a equipa, empurrar a equipa.

Ao contrário, quando eles ousarem aproximarem-se das Antas, que sintam logo aquilo que vão ter que enfrentar. O ódio que temos ao clube do regime. O ódio que temos a tudo que seja daquela cor.

Durante o jogo, sejamos também nós parte da guerra. O Tribunal das Antas sempre foi conhecido, mas sobretudo temido. Não nos calemos a cada decisão contra os nossos. Eles não estão, não podem estar sozinhos. Não tolerem qualquer parcialidade para com o inimigo. Não se calem quando os nossos forem impedidos de jogar. Não se conformem quando os amarelos contra nós surgirem. Não encolham os ombros quando nada é feito, quando não marquem as faltas a nosso favor.

De nada vale queixarem-se dos erros depois. Ali, é o momento para pressionar e inverter tendências.

Temos que acordar o Tribunal das Antas. Temos que demonstrar que estamos atentos, que somos críticos e que se for preciso, invadimos aquilo. O PORTO É NOSSO.

AQUI É O PORTO. E aqui mandamos nós, na nossa cidade, no nosso estádio.
(Blogue “Bibó Porto, Carago!!”)

Os S.D. Opinião de Portista (FCP-Penafiel)
Só tenho pena, que aqueles que ontem abandonaram as bancadas antes do fim, sejam aqueles que no inicio da época receberam um prémio da SAD. Tomaram os lugares na Sul que pertenciam a sócios, como eu, que nunca viraram costas à equipa e sairam do estádio.
Os SD entre muitos méritos que têm, acham que mandam no clube. E acham que são mais portistas que todos os outros. Andaram a ameaçar, verbalmente e fisicamente, sócios que protestavam contra as mudanças na bancada sul, alguns deles com 40/50 anos de sócio e que foram obrigados a mudar de bancada por causa do prémio dado aos SD.
Ontem, pela tristeza de um Danilo que merecia uma homenagem à Porto, pela falta de respeito para com o clube, os SD para mim passaram a ser simples parasitas. Dispensáveis. Também eles precisam de novos lideres, e novas filosofias. (fonte blogue portista).

A Venda de Danilo em 31/3/2015
“O FC Porto recebeu 10M dos 31,5M€, que serviram para pagar salários e despesas correntes, o mês de Abril foi um mês muito complicado em termos  de liquifdez, (foi um trimestre muito, muito difícil, como se pode ver pela abertura de um crédito de 3M€, a 2 meses, com o Banco Carregosa, mais 1,5M€ com o Montepio e um financiamento de 5M€ da For Gool Co Ltd, uma empresa off shore, que ficou com Herrera como garantia e mais valias em caso de transferência - será aprofundado mais tarde, pois esta parte sim é a mais preocupante e importante do R&C, e a primeira alternativa em vigor ao fim do TPO. O RM paga mais 9,356M€ até ao fim do ano e 12M€ na próxima temporada. (EM “Trinual do Dragão”)

Mas o FCP tem que pagar, do seu bolso, a mais-valia ao Santos e a comissão aos intermediários. Isto é, em termos de cashflow não ficaram a ganhar grande coisa pelo que a venda foi feita em desespero de causa para não apresentarem um resultado negativo monstruoso no 3ª trimestre.

Este "Chorão Diário" é um mentiroso crónico. É verdade que RM irá pagar 31,5M mas até agora pagou apenas 10M, o resto virá apenas no fim do ano e no ano seguinte.

Além disso o Porto terá de pagar os valores correspondentes aos valores de intermediação, vulgo comissões aos empresários, prémios, custos financeiros e a parte da transferência que cabe ao Santos, como veio registado no R&C do 3º timestre 2014/15 do FCP, uma notícia falsa plantada num jornal em Madrid.

Isto é, dos 31,5M restará apenas cerca de 26M, muito longe do quando diziam que o RM pagava todos os custos de intermediação atingindo a transferência o valor total de 39,5M.

Este valor de 39,5M foi publicado em blogues e na CS mas nessa altura o "Chorão Diário" não se deu ao trabalho de desmentir uma coisa que qualquer pessoa percebia que era uma mentira descarada!   

3 comentários:

  1. Alguém sabe como está o caso do Pereira Cristóvão e dos seus dois cúmplices? Será que a lagartagem também compra os juízes e os gajos vão ser todos soltos?

    ResponderEliminar
  2. Essa incitação do blogue dos porcos é abaixo de nazi. Parece coisa dos terroristas islâmicos!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É mesmo! E fazem-no repetidamente!

      Eliminar